segunda-feira, 29 novembro 2021
Tags Posts tagged with "Arte"

Arte

ArteGente, livro que busca valorizar e apoiar o artista independente, principalmente em tempos de isolamento e distanciamento social, recebeu até julho inscrições de todo o Brasil e, inclusive, de fora do país. A obra, que será lançada ainda em 2020, é o quinto projeto editorial do perfil @sobregentes no Instagram, conhecido por compartilhar histórias de personagens da vida real.

Uma equipe de curadores ficou responsável pela seleção dos nomes, que traz de grandes conhecidos do público a novos talentos, passando por criativos de outras áreas, que encontram nas artes um refúgio e bem-estar. É o caso de Cris Visnevski, RP do Hotel Fasano Salvador, que apresentará um pouco da sua paixão por Fotografia.

Entre outros nomes já confirmados estão os já consagrados artistas visuais Bel Borba e Denissena e a pintora Maria Adair, que, inclusive, assina a capa do 3º livro do SobreGentes, Colo de Mãe. Entre os talentos da nova geração, surgem nomes como o do escritor Edgard Abbehusen, grande incentivador da leitura em tempos de redes sociais; do fotógrafo Celo Hermida; e do artista plástico Elano Passos, que terá o prazer de contar com a participação do filho e ilustrador, Enzo Passos, na mesma obra.

Saiba mais acessando www.sobregentes.com.br e conheça todos os nomes no destaque “Artistas”, no Instagram do SobreGentes.

À frente do perfil @sobregentes no Instagram, onde relata histórias reais que conectam seus seguidores a uma diversidade de personagens de carne e osso, Dan Maior se prepara para a produção do quarto livro que leva assinatura do projeto, o SobreGentes Arte. A ideia da obra é valorizar e apoiar o artista independente, principalmente em tempos de isolamento social, quando a arte – em suas diferentes vertentes – foi percebida como ainda mais essencial ao bem-estar das pessoas.

Para o livro, o SobreGentes selecionará, através de um grupo de curadores, até 100 artistas das mais diversas áreas, que ganharão, cada um, duas páginas na publicação: uma com a foto da obra e outra com uma mini entrevista. Dentre os artistas já selecionados, estão o escritor Edgard Abbehusen, o artista plástico Elano Passos, o fotógrafo Celo Hermida e o quarteto da Confraria da Música.

Serão aceitas inscrições para fotografia, literatura, desenho, ilustração, colagem, pintura, escultura, música, dança e teatro. Os interessados podem se inscrever através no site oficial do SobreGentes.

 

Pertencente a uma nova geração de mestres da arte popular brasileira, que inova pela linguagem e pelo estilo próprio, Marcos Paulo Lau da Costa – conhecido como Marquinhos de Sertânia – é um importante representante da escultura em madeira. Nascido em Sertânia, Pernambuco (1974), ele é oriundo de uma família de agricultores e artesãos. Marquinhos decidiu mudar a tradição de seus familiares que produziam utensílios domésticos e pequenas esculturas de boi e passou a retratar a aflição provocada pela seca, ao extrair da madeira figuras esqueléticas carregadas de dramaticidade e melancolia.


Uma de suas obras mais emblemáticas, o cachorro esculpido em madeira, nos remete à Baleia, a cadela de Vidas Secas de Graciliano Ramos. “Criei um estilo mais próprio, emagreci os personagens para dar mais sofrimento. Vivi tudo isso aí que coloco no meu trabalho. Já sofri com a seca, já ajudei minha mãe a carregar água na cabeça, meu pai era vaqueiro, já vi o gado morrer de fome”, conta. Marquinhos de Sertânia hoje sustenta sua família com o seu talento e criatividade.

Cachorro esculpido em madeira por Marquinhos de Sertânia

As esculturas do artista, além da dramaticidade impressa, dão a impressão de estarem em constante movimento. “As pessoas lá de Sertânia achavam feio o que eu faço. Eu desproporcionalizava as coisas, mas eu gosto do desproporcional, da mesma forma como eu acho meu universo bonito. Claro que a seca é terrível, mas a caatinga é bonita. Uma vez me disseram que meu trabalho parecia com o de Portinari. Quando conheci os quadros dele vi que o que eu fazia ele também fazia”, conta. A obra dele já foi comparada também com a obra do artista plástico e escultor italiano Amedeo Modigliani.

Com produção assinada pela Benza3 Soluções Criativas, A Casa do Bosque na Alameda das Algarobas em Salvador, receberá a exposição coletiva As Cores de Omame.

Inspirados no espírito grande que mora em tudo na natureza, a exposição é promovida pelos artistas plásticos Eder Muniz, Artur Soares e Sirc Heart, traduzindo em linguagem visual o universo da cultura indígena.

A charmosa  Casa do Bosque fica no Caminho das Árvores, número 138 em Salvador e receberá os seus convidados na próxima quinta-feira, dia 04, às 19h na mostra que fica em cartaz até o dia 02 de junho .

A  exposição  “Jenner  Augusto – A Poesia da Cor” organizada pelo galerista Zeca  Fernandes, neto do  pintor, com a intenção de resgatar a memória do artista (1924/2003) considerado um dos expoentes do Modernismo Brasileiro.

Igreja de Santana por Jenner Augusto
Igreja de Santana por Jenner Augusto

 

Com curadoria de Mario Britto, vinte e dois quadros pintados dos anos 50 aos anos 90, retratam fases diversas como a dos Coroinhas, dos Pescadores, dos Retirantes, Casarios e Marinhasm, tendo a cor como característica marcante do seu trabalho. O coquetel de abertura da mostra que fica em cartaz até dia 30 de dezembro, acontece das 19 as 21h30 do dia 10 de novembro, para convidados, no Museu da Misericórdia, em Salvador.

SERVIÇO:

O QUE- Exposição “Jenner Augusto – A Poesia da Cor”

ONDE- Museu da Misericórdia, Rua da Misericórdia, 6- Praça da Sé, Salvador

QUANDO:  Quinta(10) das 19 às 21h30

VISITAÇÃO – até 30 de dezembro( Segunda à sexta-feira – das 10 às 17h/Sábado das 9 às 17h/ Feriado das 9 às 13h/Domingo – Fechado)

A Caixa Cultural Rio de Janeiro apresenta a exposição Ex-Voto, Alma e Raiz, de 30 de abril a 26 de junho de 2016. A mostra é uma homenagem do artista plástico baiano César Romero ao pintor sergipano Antonio Maia, que foi seu amigo. A montagem é composta por 40 telas do artista produzidas nos últimos 30 anos, além de livros, catálogos, cartas, postais, origamis e ex-votos originais de Maia pertencentes ao curador. A exposição tem entrada gratuita, patrocínio da Caixa e do Governo Federal.

Oferendas by César Romero
Oferendas by César Romero

Salvador vai ganhar uma loja para deixar sua casa ainda mais aconchegante e charmosa. É que na próxima quarta(24), a Alameda Decor vai inaugurar sua primeira loja na Alameda das Espatódeas, no Caminho das Árvores. Contando com a parceria de algumas lojas, os clientes e profissionais do ramo de decoração poderão ver, orçar e comprar todos os itens  e serviços que englobam uma reforma ou um up na casa.

Mármores e granitos, pisos, revestimentos 3D, papel de parede, tapetes, paisagismo e objetos de decoração estarão à disposição com total comodidade de ter todos os itens em um só lugar para fazer composição nos projetos e conseguir visualizar as cores, texturas e materiais que irão compor sua decoração.

IMG-20160218-WA0008
Jean Marcos Bizantino
IMG-20160218-WA0027
Cris Montenegro

Com iniciativa dos jovens empreendedores Ana Lúcia e Arnaldo, a Alameda Decor  disponibilizará um espaço que agregará, móveis planejados com a qualidade Criare, móveis “soltos” como sofá, cadeiras, mesas, como já acontecia na sede da Terenzo, em Lauro de Freitas, móveis de área externa da Vime Móveis, pedras e granitos da Brazil Stones, vidros com SL Vidros, paisagismo com Ridecor Interiores e Paisagismo com Rita Reis e Yolanda Andrade, galeria de arte assinada pelo arquiteto Stefano Diaz, agência de marketing e design Top Design e a Revista Artedecor.

A ideia da loja é agregar! Então, além de oferecer toda essa comodidade, o espaço também vai contar com sala de reunião que ficará disponível para reuniões entre o profissional e o cliente. Uma sala de apresentação de projetos, tanto da Criare, quanto do próprio profissional, onde será realizado também cursos e palestras”, explica Ana Lúcia Almeida, sócia-diretora da Alameda Decor.

IMG-20160219-WA0004
Kel Konduru
Leonel Mattos
Leonel Mattos
Stefano Diaz por Uran Rodrigues
Stefano Diaz por Uran Rodrigues

Estou muito feliz de participar dessa mostra, não pude recusar esse convite maravilhoso que os curadores Rosânia Maxixe, Augusto Senna e Rita Gomes e a própria loja me fizeram. Sempre quis fazer uma galeria de arte, pois tem tudo a ver comigo. Tive ajuda de vários artistas de renome e tenho certeza que será sucesso” comentou ao Site UR, Stefano que convidou para ambientar a Alameda Decor, os artistas Leonel Mattos,  Vânia Brandão, Ana Montenegro, Kel Kondurú, Mírcia Verena, Renata Nalin, Marister Manfroi, Jean Marcos Bizantino,  Carminha, Oliver Dórea, Carla Farias, Guido Calheiros, Ana Valverde, entre outros.

Obra de Rebeca Silva, uma das artistas do Festival Foodstock

Vem aí a segunda edição do Festival Foodstock, um evento que une gastronomia, arte, música, sustentabilidade e criatividade em um só lugar. O Foodstock acontecerá no Shopping da Bahia entre os dias 15 a 18 de outubro, a partir das 11 horas, no estacionamento F.

Para encantar a garotada, estão programados Bailinho a Fantasia, Oficinas Criativas, Momento Circo, Musicalização e Teatro. O grupo Lá Dentro da Mata vai se apresentar no sábado e domingo às 11hs horas e o Bailinho a Fantasia também vai acontecer no final de semana às 14 hs e será conduzido pelo grupo Três Três Passará, um trio nordestino que toca cantigas infantis.

Coxa Coxinha por Francielly Costa
Coxa Coxinha por Francielly Costa

Um dos destaques do Festival são os equipados Foodtrucks que vão compor a praça de alimentação do evento. São 8 carros com cardápios variados e muitas novidades gastronômicas. Dentre eles, está o Coxa Coxinha, o Foodtruck queridinho da cidade que vai lançar um novo sabor feito especialmente para Foodstock. A pizza do Chicopaca, o crepe do Daitan, o hambúrguer do Black Pepper e o saboroso hot dog do Pahua, também estão entre os destaques gastronômicos do Foodstock.

Para adoçar os paladares, teremos 6 Foodbikes com doces, sorvetes, bolinhos, picolés e até mesmo açaí. O grande charme do evento está na Galeria dos Artistas, com 10 artistas convidados pelo evento que irão desenvolver live painting, e nas barraquinhas que compõem a Galeria Criativa, expositores recheados de produtos irreverentes, trabalhos manuais e muita criatividade.

Dentre os 17 expositores desta galeria estão: Cak (cactos e suculentas no jarrinho pintado à mão), Leila Boavista (acessórios sustentáveis e feitos à mão), Candida Specht (bolsas, malinhas e jardins suspensos com estampas e tecidos irreverentes), Miranda Estudio (moringas, agendas, bandeirinhas e quadrinhos, tudo feito com muito amor e criatividade), Matilda (amor em potinhos), Las Conchitas (lançando sua marca no Foodstock com acessórios de cabelo ultra irreverentes), Naftalina Art Retrô (móveis e objetos de decoração retrôs) e La Abuela (bordados para uma vida mais colorida).

12074604_641818082624553_1543126701455050055_n
Naftalina Art Retrô

 

Para quem ama uma boa música, o Foodstock é o lugar certo! Com uma programação diversificada, misturando sons instrumentais e Djs irreverentes, todos os dias, das 16h às 22 horas, teremos apresentações como: Dj Roger, Dj Pureza (tocando vinil) e Dj Telefunksoul, além do consagrado Filipe Evans com seu violino moderno e o sax de Daniel Duarte. Quem também estará presente será a flautista Flávia Bandeira fazendo um dueto impecável com violão! E não para por aí, para fazer a cabeça dos mais antenados, na sexta à noite teremos apresentação cover de Jimi Hendrix! Uma variedade de atrações para agradar todos os estilos!

A sustentabilidade está no coração do Foodstock, valorizamos e incentivamos ações de amor ao meio ambiente! Todo o resíduo gerado pelo evento é reciclado em parceria com a cooperativa de reciclagem Canore e o oléo utilizado será reaproveitado para confecção de sabonetes pela Recicle Óleo. A grande novidade desta edição será a charmosa Vila Orgânica, assinada pela Toca Ambiental e irá oferecer produtos orgânicos em parceria com produtores locais. Além disso tudo, junto à Secretaria da Cidade Sustentável, com o seu incondicional apoio as iniciativas do Foodstock, teremos a distribuição de plantas pela Escola de Jardinagem e oficinas educativas de plantio e hortinha. E as novidades não param no Foodstock, nessa edição teremos encontro de Vinil, lojinha de produtos do festival, bike de hortinha, bicicletário e muitas oficinas criativas. Outras 4 edições já estão confirmadas e vão acontecer no Shopping da Bahia até fevereiro. Como todo o conceito do evento gira em torno da criatividade, a cada edição teremos novidades e ações inusitadas para a família se divertir!

Acompanhem as novidades e programações do festival através do instagram  @festivalfoodstock.

Sua obra é mais que viva, chega a impressionar. Os poros, os pelos, o brilho da pele, do sangue, tudo ganha uma outra profundidade, quando os sentimentos e as emoções humanas, são registradas através da pintura do artista plástico baiano, Fábio Magalhães. Formado em artes plásticas pela Universidade Federal da Bahia, suas telas mais se confundem com fotografias, chegando a Fábio dizer que não se considera como um pintor hiper realista, segundo o artista, lhe basta apenas um resultado realista.

Eu gosto da ideia de uma pintura que ao primeiro olhar se pareça com uma foto, mas que nos próximos segundos e logo se desfaça e a pintura se revela. Uma zona intermediaria, uma zona paralela entre a pintura e fotografia” comentou Fábio.

Fábio Magalhães -
Onde moram os Devaneios – Óleo sobre Tela – 230x210cm – 2013

Suas obras surgem de metáforas criadas a partir: das condições psíquicas e substratos de um imaginário pessoal, até chegar a um estado de Imagem/Corpo. Os resultados são obtidos por meio de artifícios que nascem de um modus operandi, que parte de um ato fotográfico e materializa-se em pintura.

Seus trabalhos já circularam diversos salões e exposições por todo o Brasil,  recebendo em 2011, o Prêmio FUNARTE Arte Contemporânea / Sala Nordeste; em 2010, Prêmio Matilde Mattos/FUNCEB, Prêmio Aquisição e Prêmio Júri Popular no I Salão Semear de Arte Contemporânea em Aracaju, SE; Prêmio Fundação Cultural do Estado, em Vitória da Conquista, BA, e Menção Especial em Jequié, BA. Saiba um pouco mais sobre o processo de criação do artista Fábio Magalhães e os projetos futuros em conversa com o SiteUR.

SiteUR: Sua obra é viva . De onde vem a inspiração?

Fábio Magalhães: Tenho observado bastante a vida, o comportamento do homem nas situações adversas e principalmente olhado pra dentro, no intimo, pois acredito que existem alguns lugares do Ser que só poderão ser acessados a partir do Eu.

SiteUR: Quando deu o start para sua primeira exposição individual?Onde foi? 

Fábio Magalhães: Minha primeira exposição individual foi ainda como estudante, eu havia terminado uma série de Pinturas/Desenhos numa matéria que havia cursado, Nesse período estava muito interessado pelo abstracionismo, pelo gestualíssimo, a action painting do Jackson Pollock e com uma série pronta me inscrevi para a seleção de pautas que a Galeria da Aliança Francesa oferecia, isso foi em 2008.

12
“Diz-se das Línguas maledicentes”, 2010, óleo sobre tela, 100×130 cm, coleção particular
8
“Próximo Segundo”, da série “O Grande Corpo”, 2008, óleo sobre tela,110×140 cm, coleção particular

SiteUR: Sente que seu trabalho tem evoluído?

Fábio Magalhães: Bastante! A cada série que costurou, vão surgindo coisas novas, novas questões, que vou arrastando para dento do trabalho, o processo esta evolução constante.

 SiteUR: Conhece outros trabalhos semelhantes ao seu com tanto aproximação hiper-realismo?

 Fábio Magalhães: Sim! Hoje existem muitos artistas trabalhando nessa vertente. Muitos me apontam como um pintor Hiper-realista e acho um equivoco, pois em meu trabalho precisa apenas de uma certa carga de realismo, penso meu trabalho inserido em questões a cerca da Arte Contemporânea.

Trouxas II (Alusivo ao Artur Barrio)- Óleo sobre tela – 190x250cm – 2013 – Coleção Particular
DSCF6199
“Encontro Impossível”, da série “Superfícies do Intangível”, 2014, óleo sobre tela,190×230 cm

SiteUR: Enumere as principais exposições e mostras que participou

Fábio Magalhães: Para falar em números é complicado, porquê foram muitas, mas posso citar algumas: exposições individuais, a primeira em 2008, na Galeria de Arte da Aliança Francesa – Salvador/BA como falei anteriormente. Em 2009, “Jogos de Significados”, na Galeria do Conselho – Salvador/BA. Em 2011, “O Grande Corpo”, edital Maltide Mattos/FUNCEB, na Galeria do Conselho – Salvador/BA. Em 2013, “Retratos Íntimos” na Galeria Laura Marsiaj – Rio de Janeiro. Entre as mostras coletivas estão: Em 2012 “Convite à Viagem – Rumos Artes Visuais 2011/20113”, no Itaú Cultural – São Paulo/SP, com curadoria do Agnaldo Farias; “O Fio do Abismo – Rumos Artes Visuais, 2011/2013” – Belém/PA, com curadoria de Gabriela Motta; “Territórios” na Sala FUNARTE/Nordeste – Recife/PE, com curadoria do Bitu Cassundé; “Espelho Refletido” no Centro Cultural Hélio Oiticica – Rio de Janeiro/RJ, com curadoria do Marcus Lontra; “Paraconsistente”, no ICBA – Salvador/BA, com curadoria de Alejandra Muñoz; Em 2009, “60º Salão de Abril” em Fortaleza/CE; e “63º Salão Paranaense” em Curitiba/PR; “XV Salão da Bahia” em Salvador/BA, em 2008; “I Bienal do Triângulo” em Uberlândia/MG, em 2007; Entre outras.

120 Gramas – da Série _Fonteiras do Devoluto_- Óleo sobre tela – 90 x 110 cm – 2015

“A pintura me dá respostas as questões as quais procuro,  que só são concedidas através do olhar” FM

SiteUR: Participa de editais com qual frequência? são importantes para incentivar o fazer artístico?

Fábio Magalhães: Sim! Com frequência, a politica de editais tem sido uma alternativa para os artistas, e principalmente numa cidade como a nossa que não esta inserida no Circuito Nacional das Artes.

1
“Encontro”, da série “Superfícies do Intangível”, 2014, óleo sobre tela,190×315 cm

SiteUr: Quais os próximos projetos? Exposições

Fábio Magalhães: Agora! Estou numa fase de produção! Estou com finalizando uma série nova, que estou pensando em apresentar primeiro aqui em Salvador, mas será no fim de ano.

Em Tempos de incertezas, o devaneio é a via de fuga-Óleo sobre tela-170 x 220 cm-2015

Sobre SALVADOR…

Salvador tem cor? Tem ! Salvador tem as cores da Beleza Negra.

O que sente falta? Mais espaços voltados à arte contemporânea.

Lugar predileto na cidade? Solar do Unhão – Mam

Lazer com a família. Onde? Praia.  Flamengo.

Shopping predileto? Não costumo ir com frequência a Shopping, mas gosto do Café da Livraria Cultura do Salvador.

Série Retratos Íntimos- sem titulo Óleo sobre Tela – 140 x 190 cm – 2010

Por Gabriela Motta – curadora(Carne/Corpo, 2013)

As obras de Fábio Magalhães surpreendem. São grandes telas, límpidas, em que se vêem vísceras reluzentes. Estas porções de carne (humana?) aparecem ora asseadamente suspensas em sacos ou cordas, ora costuradas ou tensionadas e estendidas em superfícies também assépticas. Não são restos, não estão em ambientes fétidos, não parecem podres ou descartadas. Ao contrário, elas apresentam-se com elegância e altivez, o que colabora para a construção de uma atmosfera austera, quando poderia se esperar um clima mais mórbido dada a natureza das imagens. Todas elas fazem parte da série Retratos Íntimos, que o artista desenvolve desde 2011. De fato, estas telas apresentam um enquadramento que alude ao formato retrato, o que lhes dá humanidade. Além, é claro, de sermos feitos daquela mesma matéria.

O que só existe na Bahia? Um imaginário que inspirou as obras do Jorge Amado, Pierre Verger e Caymmi, que é fabuloso além dessa “energia” que existe aqui, que só entende que vem aqui!

Karol Farias por Humberto Farias

Conhecida no meio artístico por criar figurinos para cantoras de personalidade forte como Daniela Mercury e Márcia Castro, a estilista baiana Karol Farias apresenta um novo projeto cheio de estilo e ousadia. Em parceria com sua irmã Rafaela Farias, Karol acaba de lançar a T. Camisetaria, uma marca de t-shirt e t-dress que aposta no design e na arte como estilo de vida. As peças podem ser encontradas no LáLá Multiespaço (sábados e domingos, das 15 às 22h/Rua da Paciência, 329, Rio Vermelho) e na Afreeka (segunda à sexta, das 9 às 18h; sábado, das 9h às 16h) e Shopping Colonial (loja 15/Barris/em frente à Biblioteca Central).

euvistoarte
Fotos de Humberto Farias

Em cada peça, uma obra assinada por artistas e fotógrafos contemporâneos, além de estampas inspiradas nas obras de artistas que marcaram a História da Arte. A escolha pela camisetaria é uma aposta na simplicidade, mas, ao mesmo tempo, algo carregado de identidade. A artista , pessoalmente, garimpa os artistas e interfere nas obras, deixando em cada peça a sua “digital”. Inovando nos shapes, sempre buscando referência no universo das camisetas. Dessa forma, o design está presente não apenas nos prints, mas também nas formas de suas tees.

Artistas contemporâneos como Iansã Negrão, Bruno Marcello, Vinicius Xavier, Juliana Moraes, aos consagrados como Paul Gauguin, Isaac Israels, Paul Cézanne, Van Gogh e Egon Schiele,  foram alguns dos selecionados para as primeiras tees. Mesmo com pouco tempo no mercado, a marca de estilo artsy já virou queridinha dos soteropolitanos. A ideia de levar a moda ao universo mais urbano e cotidiano das camisetas, mantendo a arte como foco, conquistou as mentes mais descoladas.

A aposta da estilista em uma roupa do dia-a-dia com forte expressividade, deu tão certo que alcançou um espectro mais largo de público: uma linha kids, com desenhos assinados por crianças, já está vestindo a galerinha.

t_kids

IMG_9191
t_masc

 

 


SA Agência Digital