quarta-feira, 6 julho 2022
Tags Posts tagged with "moma"

moma

Capa do álbum Vulnicura(2015) / Bjork

A islandesa de 49 anos, Bjork começou o 2015 com muitas surpresas: Lançamento do novo álbum, exposição e livro,  tudo para o primeiro semestre do ano. Vulnicura é o nome do nono álbum de estúdio da cantora, lançado as pressas no dia 20 de janeiro, por causa do vazamento de algumas músicas em sites de download..

Vulnicura surpreende pelo teor confessional. Björk documenta a crise conjugal e a separação do artista Matthew Barney. São nove faixas, sendo as seis primeiras datadas em relação ao divórcio (“5 meses antes”, “6 meses depois”). O disco está disponível no Itunes, sendo Stonemilker, Lionsong e History of Touches, as músicas com maior aceitação do público.

Em março, o MOMA – Museu de Arte Moderna de Nova Iorque apresentará uma retrospectiva da obra multifacetada da compositora e artista Björk. A exposição é concebido e organizado por Klaus Biesenbach, curador-chefe at Large no MoMA e Diretor do MoMA PS1, baseia-se em mais de 20 anos de projetos ousados e aventureiros da artista.

Debut - Bjork
Debut – Bjork

 

Cronologicamente,  começa com o lançamento do primeiro álbum solo maduro de Björk, Debut, em 1993, e prossegue através de sua carreira até seu trabalho mais recente em 2015, incluindo uma nova instalação de vídeo e música encomendada especialmente para o Museu, Black Lake (que também aparece em seu novo álbum, Vulnicura(2015).

Capa do pen[ultimo álbum de Bjork /  Biophilia(2011)
Capa do pen[ultimo álbum de Bjork / Biophilia(2011)

Na mesma altura será lançado um livro – Björk: Archives – que traçará uma linha do tempo na sua obra, que conterá ensaios, fotografias e artigos referentes a todo o seu percurso. A exposição estará patente em Nova Iorque entre 7 de Março e 7 de Junho de 2015, enquanto o livro será lançado dia 30 de Março.

Confira alguns celebres trabalhos da artista que certamente não ficarão de fora da exposição no MOMA.

 

 

O

Ravished by Matisse

Desde que me mudei para Nova Iorque, aprendi a entender o tempo como as coisas aqui funcionam. E se tratando de todos os tipos de arte, cultura, Nova Iorque é uma industria, onde se produz dia e noite e sem férias. Curioso que sou, venho buscando e tentando conhecer/absorver o máximo que essa cidade nos proporciona. E hoje vou compartilhar algumas pouquíssimas coisas,  que mais me fizeram refletir sobre quem sou? O que eu vim fazer aqui? O que é Arte?

American Folk Art Museum In New York To Be Razed
MOMA

blue-nude

MOMA(Museu de Arte Moderna): Lugar que ninguém pode deixar de visitar. O Moma, foi o primeiro museu que eu visitei e o que mais vezes visitei em NYC. O acervo do MOMA é um dos que mais me encanta em NYC. Um museu muito fácil e gostoso de ser visitado. Periodicamente suas exposições são  modificadas. No MOMA tive oportunidade de ver obras dos meus artistas favoritos. Me lembro o quão emocionante foi ver Dalí, centímetros a minha frente, Van Gogh, Picasso, Frida, Andy Warhol, Miró, Monet, Haring… entre outros muitos. O museu possui diferentes espaços para todos os tipos de arte contemporânea e com isso você tem oportunidade de conhecer em um só lugar pinturas, esculturas, arquitetura, fotografia, filmes, impressos, tecnologia(interativo), designer…  então não tem desculpas, tem pra todos os gostos.

O MOMA sedia a exposição de Henry Matisse até fevereiro de 2015.

Frick Collection:
Frick Collection:

10752121_10204635818887605_47586498_n

Frick Collection: Obra de pintores “old master” e arquitetura e decoração do mais requintado e fino escalão. Henry Clay Frick( o homem mais odiado da America), foi o patrão da indústria do aço e de artes nos Estados Unidos. Depois de sua morte, sua casa e todo o seu acervo foram doados para a instituição que leva o seu nome. E lá foi criado o Frick Collection Museum. O Frick Collection é um museu pequeno, mas com uma coleção (old master – pintores que antecede o ano de 1800) de altíssima qualidade, assim como as esculturas, finíssimos moveis, peças de decoração e porcelana. A mansão dos Frick’s é nada mais nada menos que um quarteirão na 5° avenida com a rua 70°, em frente ao Central Park.

 

Botticelli_2000 (1)
The Virgin de Boticelli em exposição na Frick pela primeira vez nos Estados Unidos até fevereiro // Uma das 10 obras pertencentes a The Scottish National Gallery

No acervo do Sr. Frick, você encontra nomes como o do pintor romântico Francisco Goya, o renascentista El Greco, Edouard Manet, entre muitos outros old masters.

Whitney Museum
Whitney Museum

 

Whitney Museum: The Whitney, como é conhecido por aqui, é um museu que tem como foco expor artistas dos séculos XX e XXI da cena americana de arte. No Whitney temos acesso a obras que vem protagonizando a cena contemporânea de arte no mundo. Artistas como Mark Rothko, que foi a história da peça de teatro “Vermelho” protagonizada por Antonio Fagundes, ainda Andy Warhol, Keith Haring, Roy Lichtenstein, Jasper Johns.

Girl in Window (Study for World’s Fair Mural), 1963] Roy Lichtenstein

E Jeff Koons, o artista americano que divide opiniões entre os críticos, mas já foi apontado como um dos artistas mais inventivos da arte moderna pós Andy Warhol, está com uma bela exposição. Trazendo muitas cores, esculturas feitas a partir de um tipo de plástico especial, que me trouxeram lembranças da minha infância. Uma exposição muito atraente aos olhos. Não sou crítico de artes, mas achei uma exposição comercial que não me tocou como algo pra vida, porém acho importante conhecer e tirar a própria conclusão.

Obs: Fique ligado, o Whitney Museum está mudando de endereço, indo para proximidades do High Line.

Galerias: No Chelsea entre as ruas 18 a 28 e 10° e 11° avenida, é uma área de galerias e lá já vi exposições incríveis. Vale muito apena ficar ligado no artista que você gosta e correr para a galerias pra ver seu trabalho e depois se perca nas galerias e entregue sua alma . Vale lembrar que as galerias são gratuitas e as quintas-feiras acontece uns coquetéis em algumas galerias das 6pm as 8pm, que é uma oportunidade muito bacana de distração e para dá um hang com os consumidores e artistas da cena nova-iorquina.


SA Agência Digital