sábado, 13 agosto 2022
Tags Posts tagged with "Fabricio Boliveira"

Fabricio Boliveira

Noite de sexta de felicidades para o ator Fabrício Boliveira e toda uma comunidade preta.

Com a atuação brilhante em Breve Miragem de Sol, Fabrício que levou em 2019 prêmio de melhor ator no Festival de Cinema do Rio, agora foi a vez de Cuba com o Prêmio Coral de atuação masculina no Festival de Cine de La Habana.

Havana é um dos principais polos do cinema mundial, terra que formou o diretor do filme, Eryk Rocha.

“Muito emocionado em ter recebido esse prêmio de Cuba, um país que me recebeu há alguns anos atrás muitíssimo bem, com muita alegria e respeito ao meu trabalho. As novelas brasileiras são muito conhecidas em Cuba e eu estava com uma no ar quando fui, fiz grandes relações de muita identificação artística e cultural. Receber esse prêmio nesse país e com essas pessoas tão preparadas para o cinema, em Havana as pessoas podem ver cinema aos domingos gratuitamente, filmes do mundo inteiro, as pessoas estão assistindo, o cinema é para todo mundo evidentemente, mas muito bom dialogar com gente que tem visto bastante cinema, as referências, os papos são diferentes. Muito feliz com essa premiação, muito mais significativo do que ganhar um OSCAR é ser premiado em Cuba” contou Fabrício ao site Uran.

“Um coletivo potente que pariu uma história que tem se comunicado por continentes. Estivemos na China, estreamos em Londres, fomos sucesso no streaming argentino” lembrou o ator em seu post de agradecimento no Instagram.

“Talvez o público mais preto a acompanhar a saga de Paulo e o público mais democrático no quesito cinema. Todes veem cinema do mundo gratuitamente em Havana. Muito honrado” agradeceu Fabrício que já ganhou prêmio de melhor ator no Uruguai no Festival Infinito e em Miami no Miami Film Festival com Simonal.

Lembrando que Breve Miragem de Sol levou também prêmio de melhor som para Edson Secco no Festival de Cine de la Habana. Mais sobre Fabrício no Instagram.

Idealizado por Fabrício Boliveira e Gabriel Bortolini, o projeto ELENCO NEGRO tem o objetivo de potencializar, dar visibilidade e suporte a atores negros e da periferia do Rio de Janeiro.

Como faz há mais de três décadas, a fundadora e presidente Zezé Motta no Centro Brasileiro de Informação e Documentação do Artista Negro (CIDAN), o projeto  exerce papel fundamental para a expansão do mercado para atores pretos, assim o “Elenco Negro” traz a inquietação em forma de continuidade.

“A união da minha trajetória de ator e diretor com a do Gabriel de produtor executivo e de elenco na criação desse projeto é motivada pela inquietação de algumas falas como “não tem ator preto bom nesse perfil” / “precisa ter pelo menos um ator preto” / “é sempre mais difícil achar ator preto, é mais limitado” / “essa cena deveria ter mais preto, mas não tem, esses foram todos os que achamos”.  Nosso objetivo é acabar com essa falácia e entender como melhor dar suporte e fortalecer o setor.” – Afirma Fabrício Boliveira, idealizador do projeto.

O escopo do projeto visa fortalecer atores negros, maiores de 18 anos, nos mais variados estágios da carreira, residentes no estado do Rio de Janeiro, que estão procurando se inserir e/ou se fortalecer no mercado audiovisual e criar uma rede de apoio e suporte para os artistas no mercado de trabalho. Além dessas contribuições, esse formato de cadastramento para os artistas dará mais visibilidade a esses profissionais principalmente aos que ainda não são reconhecidos no mercado audiovisual do país.

Os primeiros a se inscreverem terão acesso a serviços imediatos, de acordo com suas áreas de interesse, como  edição de vídeos, atuação de textos elaborados por dramaturgos convidados, oficina jurídica com foco no auxílio de resolução de burocracias, lives mentorias com profissionais negros dos mais variados seguimentos, ensaios fotográficos para produção de material de divulgação e apadrinhamentos para favorecer e fortalecer as trocas de experiências e o crescimento pessoal e profissional.

Apesar da população negra compor 50,7% da população brasileira (IBGE, 2010), os pretos representam apenas 20% dos atores que atuaram em papel de destaque no cinema até 2012 e tal fato contribui para a exclusão de vivências e perspectivas das minorias, impede a criação de referências positivas através de role-models, estereotipa grupos, entre outros tantos problemas.

“Elenco Negro” quer atuar continuamente na contramão desses números e estereótipos e também fortalecer nomes de projetos recentes como o Coletivo Preto, que surgiu em 2016, é formado por quatro jovens atores, escritores, circenses e produtores negros: Drayson Menezzes, Licínio Januário, Orlando Caldeira e Sol Menezzes, que produzem, fomentam e divulgam trabalhos nos quais coloquem o homem e a mulher negra em papeis de protagonismo.

Gabriel Bortolini

“Entendemos que muitas iniciativas vieram antes de nós, seja o CIDAN de Zezé Motta e “Coletivo Preto” do Drayson Menezes e Orlando Caldeira, e possíveis outros que não entramos em contato. Temos que agradecer pelo passado, o que estamos fazendo agora no nosso presente, mas também na continuidade do projeto no futuro, com novas articulações podendo atender mais e mais e de outros estados. É sobre nós fazermos pelos nossos”. – Afirma Gabriel Bortolini, idealizador do projeto.

O projeto conta com apoio do Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, com produção da Reprodutora e Pras Cabeças,através da Lei Aldir Blanc.

Siga o Instagram @elenconegro e faça o seu cadastro e espalhe esse projeto.

Com um currículo invejável de atuações no teatro, cinema e na televisão, o ator Fabrício Boliveira comandará curso totalmente virtual, através do Zoom.

Serão dois dias de aulas ao vivo com o ator que ganhou prêmios como ator do ano pelo Grande Prêmio do Cinema Brasileiro e no Brazilian Film Festival e muitos outros.

Como se constrói um personagem? Como se dá o processo criativo que desemboca na interpretação?

O Ative a Cidadania convocou Boliveira para elucidar esses questionamentos no curso que terá como tema: Leitura e e Interpretação para Dramaturgia nos dias 11 e 12 de fevereiro.

Manda direct para o @ativeacidadania e saiba como participar. Últimas vagas!

SOBRE O CURSO: Etapas
1. Leitura do roteiro, discussão sobre o roteiro
2. Discussão sobre criação da personagem e interpretação

Carga horária de 4 horas (2 encontros de 2 horas).

Curso 100% prático
Aulas online (Aulas ao vivo com o autor, via plataforma Zoom)

Sobre Fabrício Boliveira

Estudou na universidade federal da Bahia  o curso de interpretação em artes. Ele é ator da rede Globo de televisão e tem vasta experiência em Interpretação. Depois de algumas peças, como Capitães da Areia e  experiências com áudio visual, fez em 2006 sua primeira novela, Sinhá moça (Bastião) Fez o Sítio do pica pau amarelo (Saci), A favorita (Didu), Boogie Oogie (Tadeu), Segundo Sol (Roberval Santos). Fez algumas séries, como Suburbia, Nada será como antes, 13 dias longe do sol. No cinema alguns memoráveis personagens, A Máquina ( valdene), 400×1 ( Cavanha), Faroeste Caboclo ( João de santo Cristo ), Tropa de Elite 2 ( Marreco ), Trinta  ( Calça Larga ), Operações especiais ( Décio ), Além do Homem- ( Tião), Vazante ( Jeremias ), Tungstenio ( Richa ), Simonal ( Wilson Simonal ) e Breve Miragem de Sol ( Paulo ) direção Eryk Rocha .

Alguns prêmios:
2006- ator revelação prêmio contigo de novelas ( sinha moça  )
2014- Melhor ator academia brasileira de cinema ( faroeste caboclo )
2015- melhor ator festival de Bratislava ( faroeste caboclo )
2018- melhor ator de novelas do ano pela folha de São Paulo . ( segundo sol )
2018- melhor ator festival do Ceará de cinema ( Simonal )
2019- melhor ator  festival brasileiro de cinema Miami e Uruguai. ( Simonal )
2019 – melhor ator no festival do Rio. ( Breve Miragem de Sol)
2020- Melhor ator pela academia de cinema brasileira ( Simonal)

Foto Ricardo Konká

Uma foto cheia de cumplicidade, harmonia e muito amor. Captada por Caio Lirio, um encontro de pele e alma, Larissa Luz e Fabrício Boliveira – ator convidado- se entregam em nova produção musical da artista em “ Não tenha medo de mim”.

Composição que surgiu no isolamento da quarentena, momentos de questionamentos mil e inspiração. Luz de expressão e renascimento.

“Falar do nosso profundo é se despir sem pudor! Quantas vezes eu ouvi na construção de relacionamentos:”você é foda, mas …”Trazer a nossa percepção sobre o afeto , contar sobre o amor em meio ao caos, é um desafio necessário! Abrir espaço para diálogos! Para abraços… para o acolhimento, confiança e construção !” escreveu Lari no insta.

O clipe gravado em locações no Comércio  e no Santo Antônio Além do Carmo em Salvador, contou com uma equipe preta de responsa.

Na direção Edvaldo Raw, figurino de Marie Silva, cabelo Edemilson Andrade, Maquiagem de Hávata Serena, Jack Elesbão na direção de movimento para o clipe que lança nessa quinta, dia 17 em todas as plataformas digitais.

Siga @larissaluzeluz

Mais uma vitória do cinema brasileiro. No domingo, dia 11 de outubro foi realizada a edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2020, com a apresentação das comunicadoras Adriana Couto e Marina Person.

Com plateia virtual pela primeira vez na história, o público acompanhou através da internet e da TV Cultura os vencedores das 32 categorias de uma das principais premiações do setor no país, escolhendo as melhores produções de longas, curtas, documentários, série, ficção, animação e os profissionais envolvidos.

Simonal levou 4 prêmios: Melhor ator para Fabricio Boliveira dividindo o mesmo com Silverio Pereira por Bacurau. Melhor primeira direção de longa-metragem para Leonardo Domingues, Melhor Som criado pelos mestres Marcel Costa, Alessandro Laroca, Eduardo Virmond, Armando Torres Jr, ABC e Renato Deadato e a Melhor Trilha Sonora com Wilson Simoninha e Max de Castro.

O longa já foi premiado em setembro do ano passado – 2019, na vigésima terceira edição do Brazilian Film Festival, levando três lentes de Cristal na opinião do corpo de jurados nas categorias Melhor Ator para Fabrício, Melhor Filme e melhor Cinematografia para Fábio Baião. Levando ainda o prêmio de melhor filme no voto popular.

O filme conta a história do cantor carioca Wilson Simonal, que fez grande sucesso nas décadas de 1960 e 1970, mas foi acusado de delatar colegas à polícia ideológica do governo na época — o temido DOPS — durante a ditadura militar, e por isso condenado ao ostracismo artístico pela classe.

Mais sobre o filme no Instagram @simonalofilme e sobre o ator @fabricioboliveira .

Confira todos os ganhadores do Troféu Grande Otelo no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro no Instagram @academia_brasileira_de_cinema.

Bárbara Colen e Fabrício Boliveira em Breve Miragem de Sol

O Soterópolis, desta quinta-feira (24), destaca os 40 anos da música ”A Massa” de Raimundo Sodré e Jorge Portugal que foi composta na ditadura militar.

O programa exibe também uma reportagem sobre o filme ”Breve Miragem de Sol” do cineasta brasiliense Eryk Rocha, lançado no final do ano passado, além do destaque para as novidades da banda Suinga que completou 10 anos de carreira e lançou seu EP com 3 músicas inéditas no mês de julho. A exibição é às 22h, na TVE.

“A Massa” é um samba chula e foi um marco da música brasileira, quebrou paradigmas e influenciou comportamentos na época de sua estreia. Com refrão de Raimundo Sodré e letra de Jorge Portugal, a obra foi composta no período da ditadura militar. Foi apresentada pela primeira vez para plateia no Maracanãzinho durante o “Festival da Nova MPB 80”, da Rede Globo. A empatia com o público foi imediata e, na etapa final do concurso, o público já cantava toda letra da canção.

Vânia Dias, apresentadora do Soterópolis / Foto Sérgio Isensee

O filme nacional “Breve Miragem de Sol” estreou no Festival de Londres em outubro de 2019 e depois passou por Suécia, Portugal, Bahia, São Paulo e Rio. Vencedor de diversos prêmios, três deles só no Festival do Rio 2019, o longa é uma coprodução entre Brasil, França e Argentina. Dirigido por Eryk Rocha, filho do cineasta Glauber Rocha, a história se passa pelas ruas do Rio de Janeiro e acompanha as vidas que se cruzam dentro de um táxi. Disponível no Globoplay.

A banda Suinga é conhecida por suas letras despojadas e irreverentes que brincam com o cotidiano de Salvador. Os integrantes do grupo experimentaram o nascimento e a explosão do movimento “axé music” na Bahia e com esta influência suas canções foram compostas. Seu estilo vai desde o “axé music”, pagode, arrocha, fricote, “samba-reagge” até ijexá, sempre fazendo releituras de estilos com um som bem agitado.

 

Serviço:

Programa Soterópolis
Quando: Quinta-feira (24), às 22h. Reapresentação: sexta-feira (25), às 19h e domingo (27), às 18h30
Onde: TVE e www.tve.ba.gov.br/tveonline

Jack Elesbão

ANTÍGONA
“Não nasci pro ódio, nasci pro AMOR”
Quando: Domingo, dia 27 de setembro a partir das 20h

Para participar link na bio dos perfis do Instagram @casacharriot e  @prascabecasprodutora

Um casarão antigo de sete andares no bairro do Comércio em Salvador, tem sido ocupado por artistas das mais diversas áreas com o único intuito de produzir conteúdo mais que relevante, investigando sensações e emoções através da arte.

Uma encruzilhada, bebidas, muitas tragadas e uma conversa sobre gênero e raça que desencadeia uma série de movimentações, em instantes de descanso, lutas internas e encontros potentes, provenientes da diversidade de mulheres pretas.

Primeira montagem dirigida pelo ator Fabrício Boliveira em parceira com a Casa Charriot, firmando o elo com a Pras Cabeças Produtora, tendo no elenco Jack Elesbão, Maju Passos e Nini Kemba Nayo.

O longa experimento será transmitido através de link privado no youtube, com plateia virtual PRETA inscrita através do formulário disponível nos links do Instagram @casacharriot e @prascabecasprodutora, com cota para brancos.

Jack e Maju

— Pras Cabeças —

Com projetos audiovisuais expressivos já assinados pela produtora como a primeira Leitura virtual, usando as principais plataformas digitais vigentes – Facebook, Instagram, YouTube e Zoom- simultaneamente no espetáculo “Namíbia, Não!”

Recentemente apresentou o filme “Breve Miragem do Sol”, lançado no Brasil através da plataforma digital e no processo de feitura de “Antígona: Não nasci pro ódio, nasci pro AMOR”, inspirado no clássico da literatura grega, que resultará numa transmissão ao vivo na internet e longa metragem sobre a experiência.

Ficha Técnica

Elenco: Jack Elesbão/ Maju Passos/ Nini Kemba Nayo
Direção: Fabricio Boliveira
Produção: Pras Cabeças e Casa Charriot
Produção Executiva: Lilian Pinho
Assistente de Produção: Valjan Jr/ Priscila Silveira
Direção de Arte : Jorge Oliveira
Iluminação: Márcio Nonato
Trilha Musical: Manuela Rodrigues/Damilare Falade
Figurino: Soddi
Participação Especial: Malayka SN/Abigail Marianno
Tecnologia: Damilare Falade
Fotografia: Márcio Nonato/Isaac Souza
Comunicação/ RP: Uran
Agradecimentos: Boca de Cena, Pitaya Drink Bar, Loyásicam Bolos Nordestinos

Um ano depois de revelar a trajetória extraordinária de Wilson Simonal nos cinemas, o ator ​Fabrício Boliveira ​joga uma lupa na vida ordinária e comum de ​Paulo o protagonista do primeiro filme exclusivo da GloboPlay.

​“​Breve Miragem de Sol​” conta a história de um taxista que dirige nas noites do Rio de Janeiro para poder pagar a pensão do filho. O longa, dirigido por ​Eryk Rocha​, chega na plataforma de streaming no dia 30 de agosto.

Não se sabe em que tempo se passa ​“Breve Miragem de Sol”​, mas, de dentro do carro, Paulo recebe notícias de um Brasil bem atual. Com o rosto cansado, fragmentos da cidade passam por esse pai – ora como as sirenes da rua, ora como mensagens do celular e ora como as conversas dos passageiros que ele transporta. Dentro dessa rotina esmagadora e desse país em crise, Paulo tenta angariar o dinheiro para poder ver o seu filho, Mateus.

E, durante essa trajetória, sua sensibilidade expande.
“Breve Miragem de Sol” retrata o universo do trabalhador brasileiro. Além de ser um filme de denúncia, em que mostra esse pai querendo ascender em uma sociedade bastante desigual, é também um apontamento de uma saída, de como é possível gerir a crise de um país no dia a dia da cidade.

Paulo é um homem melancólico, mas totalmente aberto aos pequenos respiros e miragens que a vida lhe dá. E essa subjetividade é captada de maneira muito delicada através do silêncio, das lágrimas e dos poucos sorrisos.

A interpretação rendeu a Fabrício Boliveira o Prêmio de Melhor Ator ​no Festival do Rio em 2019. O longa teve a sua estreia oficial, no ano passado, na Inglaterra, no ​BFI London Film Festival. Eryk Rocha ganhou o ​Prêmio de Melhor Diretor ​no Festival Pachamama​, do Acre. E o filme ainda conta com a atuação de Bárbara Colen, protagonista de “Bacurau” (2019).


SINOPSE:​ BREVE MIRAGEM DE SOL conta a história de Paulo (40), um homem desempregado e recém divorciado que começa a dirigir um táxi pelas noites do Rio de Janeiro. Carregando uma dívida de pensão com seu filho, Mateus (10), ele encontra no novo trabalho a chance de um recomeço. Conforme Paulo aprende a coreografia da nova profissão, a solução aparentemente provisória se solidifica como momento presente, e noite após noite, conversas com os passageiros misturam-se às de sua vida. Karina, enfermeira de um hospital público, surge na vida de Paulo como um respiro de amor e luta. Assim como ela, cada passageiro possui um destino diferente, mas ao fim é sempre Paulo que está no comando do volante, tecendo uma grande narrativa sobre um país em convulsão política, econômica e social.
FICHA TÉCNICA​:

Direção:​ Eryk Rocha
Produzido por​: Eryk Rocha, Edgard Tenembaum, Diego Dubcovsky e Walter Salles

Roteiro:​ Eryk Rocha, Fabio Andrade e Julia Ariani
Direção de Fotografia:​ Miguel Vassy
Produção Executiva:​ Joelma Oliveira Gonzaga
Montagem:​ Renato Vallone
Desenho de som:​ Edson Secco
Trilha original:​ Ava Rocha, Negro Léo, Kiko Dinucci
Produção associada:​ Pras Cabeças, Carlos Diegues
Coprodução: ​Globo Filmes, VideoFilmes e Canal Brasil
Produção:​ Aruac Filmes, Tu Vas Voir, Varsovia Filmes

ELENCO​:

Fabrício Boliveira (Paulo)

Bárbara Colen (Karina)

Cadu N. Jay (Mateus)

Filme exclusivo do GloboPlay

Fotos de Rodrigo Peixoto para registrar a alegria de colaborar com um projeto pela vida. Será que a gente precisa mesmo de tudo o que tem?

Estamos isolados e é sempre bom rever velhos hábitos. Repensar a forma de viver, entender que o planeta não suporta mais o consumo desenfreado e o tanto de lixo que a gente gera. Repensar as roupas, reaproveitar, reusar, reformar. Ostentar não tá com nada!

 O projeto [ 5por1 ] do querido Milton Castanheiras tem  recebido doações de roupas, artigos de higiene, dinheiro para cestas básicas para o @grupoliberdadesdiversidade de São Gonçalo, no Rio que assiste pessoas da comunidade LGBTQIA+.

Seu Verciah

“Ser homem trans, negro e fora do padrão físico aceitável pela sociedade não nos deslegítima” contou Seu Verciah, cantor baiano fotografado para campanha de divulgação do projeto.

Nos clicks também atores como Fabrício Boliveira, Cris Vianna, Zezé Mota, Luana Xavier, o jornalista Ernesto Xavier, Olívia Araujo, Regiane Alves e Carol Castro e Armando Babaioff.

Mais informações no @rod_peixoto @castanheiras

Vencedor de três prêmios no Festival do Rio 2019, “Breve Miragem de Sol” (Burning Night), oitavo longa de Eryk Rocha (Transeunte, Campo de Jogo, Cinema Novo) será o tema da próxima live no instagram da Globo Filmes, na próxima quinta, 25 de junho, às 18h.

O diretor conversará com os protagonistas Fabricio Boliveira e Barbara Colen. Coprodução entre Brasil, França e Argentina, o filme já foi lançado recentemente em território argentino , na plataforma de streaming Cine Ar, onde já foi visto por mais de 25 mil espectadores.

Rodado no Rio de Janeiro, “Breve Miragem de Sol” conta história de Paulo (Boliveira), um homem que busca se reinventar após ficar desempregado e começa a dirigir um taxi nas noites cariocas. Enquanto enfrenta este recomeço e luta para dar sustento a seu filho Mateus (Cadu N. Jay), conhece a enfermeira Karina (Barbara Colen), uma de suas passageiras. O longa é uma produção Aruac Filmes, Tu Vas Voir e Varsovia Filmes, em coprodução com a Globo Filmes, VideoFilmes e Canal Brasil.

O longa arrematou três prêmios no Festival do Rio: Melhor Fotografia, Melhor Montagem e Melhor Ator para Fabricio Boliveira. “Breve Miragem de Sol” teve estreia mundial no BFI Festival de Cinema de Londres, também foi exibido no Festival de Cinema de Gotemburgo, na Suécia, e na 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Participou da Mostra Competitiva Nacional do XV Panorama Internacional Coisa de Cinema, na Bahia, e venceu o prêmio Indie Lisboa, o que garantiu a exibição na próxima edição festival homônimo, que está previsto para agosto, em Portugal. Além disso, participou do X Festival Pachamama, no Acre, onde recebeu o prêmio de Melhor Diretor.

Após rodar por festivais, o longa estreou na Argentina, direto no streaming, com boa recepção dos críticos. Javier Porta Fuoz do jornal La Nacion destacou que o longa tem “força documental tremenda e dilacerante.” Já o crítico Pablo O. Scholz do Clarin disse que “‘Miragem’ é um drama social potente”.

SINOPSE

Breve Miragem de Sol conta a história de Paulo (40), um homem desempregado e recém divorciado que começa a dirigir um táxi pelas noites do Rio de Janeiro. Carregando uma dívida com seu filho, Mateus (10), ele encontra no novo trabalho a chance de um recomeço. Conforme Paulo aprende a coreografia da nova profissão, a solução aparentemente provisória se solidifica como momento presente, e noite após noite, conversas com os passageiros misturam-se às de sua vida. Karina, enfermeira de um hospital público, surge na vida de Paulo como um respiro de amor e luta. Assim como ela, cada passageiro possui um destino diferente, mas ao fim é sempre Paulo que está no comando do volante, tecendo uma grande narrativa sobre um país em convulsão política, econômica e social.

ELENCO

Fabricio Boliveira (Paulo)
Bárbara Colen (Karina)
Cadu N. Jay (Mateus)

FICHA TÉCNICA

DIRIGIDO POR – Eryk Rocha
ELENCO PRINCIPAL – Fabricio Boliveira, Bárbara Colen, Cadu N. Jay
PRODUZIDO POR – Eryk Rocha, Edgard Tenembaum, Diego Dubcovsky,
Walter Salles
ROTEIRO – Eryk Rocha, Fabio Andrade, Julia Ariani
PRODUÇÃO EXECUTIVA – Joelma Oliveira Gonzaga
DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA – Miguel Vassy
MONTAGEM – Renato Vallone
DESENHO DE SOM – Edson Secco
TRILHA ORIGINAL – Ava Rocha, Negro Léo, Kiko Dinucci
PRODUÇÃO ASSOCIADA – Pras Cabeças, Carlos Diegues
COPRODUÇÃO – Globo Filmes, VideoFilmes, Canal Brasil
PRODUÇÃO – Aruac Filmes, Tu Vas Voir, Varsovia Filmes
Brasil, 2019, cor, 95 min

Redes Sociais Globo Filmes:
Instagram: https://www.instagram.com/globofilmes/
Facebook: https://www.facebook.com/globofilmes/
Twitter: https://twitter.com/GloboFilmes

Foto Miguel Vassy


SA Agência Digital