sexta-feira, 27 novembro 2020
Tags Posts tagged with "Fabricio Boliveira"

Fabricio Boliveira

Mais uma vitória do cinema brasileiro. No domingo, dia 11 de outubro foi realizada a edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2020, com a apresentação das comunicadoras Adriana Couto e Marina Person.

Com plateia virtual pela primeira vez na história, o público acompanhou através da internet e da TV Cultura os vencedores das 32 categorias de uma das principais premiações do setor no país, escolhendo as melhores produções de longas, curtas, documentários, série, ficção, animação e os profissionais envolvidos.

Simonal levou 4 prêmios: Melhor ator para Fabricio Boliveira dividindo o mesmo com Silverio Pereira por Bacurau. Melhor primeira direção de longa-metragem para Leonardo Domingues, Melhor Som criado pelos mestres Marcel Costa, Alessandro Laroca, Eduardo Virmond, Armando Torres Jr, ABC e Renato Deadato e a Melhor Trilha Sonora com Wilson Simoninha e Max de Castro.

O longa já foi premiado em setembro do ano passado – 2019, na vigésima terceira edição do Brazilian Film Festival, levando três lentes de Cristal na opinião do corpo de jurados nas categorias Melhor Ator para Fabrício, Melhor Filme e melhor Cinematografia para Fábio Baião. Levando ainda o prêmio de melhor filme no voto popular.

O filme conta a história do cantor carioca Wilson Simonal, que fez grande sucesso nas décadas de 1960 e 1970, mas foi acusado de delatar colegas à polícia ideológica do governo na época — o temido DOPS — durante a ditadura militar, e por isso condenado ao ostracismo artístico pela classe.

Mais sobre o filme no Instagram @simonalofilme e sobre o ator @fabricioboliveira .

Confira todos os ganhadores do Troféu Grande Otelo no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro no Instagram @academia_brasileira_de_cinema.

Bárbara Colen e Fabrício Boliveira em Breve Miragem de Sol

O Soterópolis, desta quinta-feira (24), destaca os 40 anos da música ”A Massa” de Raimundo Sodré e Jorge Portugal que foi composta na ditadura militar.

O programa exibe também uma reportagem sobre o filme ”Breve Miragem de Sol” do cineasta brasiliense Eryk Rocha, lançado no final do ano passado, além do destaque para as novidades da banda Suinga que completou 10 anos de carreira e lançou seu EP com 3 músicas inéditas no mês de julho. A exibição é às 22h, na TVE.

“A Massa” é um samba chula e foi um marco da música brasileira, quebrou paradigmas e influenciou comportamentos na época de sua estreia. Com refrão de Raimundo Sodré e letra de Jorge Portugal, a obra foi composta no período da ditadura militar. Foi apresentada pela primeira vez para plateia no Maracanãzinho durante o “Festival da Nova MPB 80”, da Rede Globo. A empatia com o público foi imediata e, na etapa final do concurso, o público já cantava toda letra da canção.

Vânia Dias, apresentadora do Soterópolis / Foto Sérgio Isensee

O filme nacional “Breve Miragem de Sol” estreou no Festival de Londres em outubro de 2019 e depois passou por Suécia, Portugal, Bahia, São Paulo e Rio. Vencedor de diversos prêmios, três deles só no Festival do Rio 2019, o longa é uma coprodução entre Brasil, França e Argentina. Dirigido por Eryk Rocha, filho do cineasta Glauber Rocha, a história se passa pelas ruas do Rio de Janeiro e acompanha as vidas que se cruzam dentro de um táxi. Disponível no Globoplay.

A banda Suinga é conhecida por suas letras despojadas e irreverentes que brincam com o cotidiano de Salvador. Os integrantes do grupo experimentaram o nascimento e a explosão do movimento “axé music” na Bahia e com esta influência suas canções foram compostas. Seu estilo vai desde o “axé music”, pagode, arrocha, fricote, “samba-reagge” até ijexá, sempre fazendo releituras de estilos com um som bem agitado.

 

Serviço:

Programa Soterópolis
Quando: Quinta-feira (24), às 22h. Reapresentação: sexta-feira (25), às 19h e domingo (27), às 18h30
Onde: TVE e www.tve.ba.gov.br/tveonline

Jack Elesbão

ANTÍGONA
“Não nasci pro ódio, nasci pro AMOR”
Quando: Domingo, dia 27 de setembro a partir das 20h

Para participar link na bio dos perfis do Instagram @casacharriot e  @prascabecasprodutora

Um casarão antigo de sete andares no bairro do Comércio em Salvador, tem sido ocupado por artistas das mais diversas áreas com o único intuito de produzir conteúdo mais que relevante, investigando sensações e emoções através da arte.

Uma encruzilhada, bebidas, muitas tragadas e uma conversa sobre gênero e raça que desencadeia uma série de movimentações, em instantes de descanso, lutas internas e encontros potentes, provenientes da diversidade de mulheres pretas.

Primeira montagem dirigida pelo ator Fabrício Boliveira em parceira com a Casa Charriot, firmando o elo com a Pras Cabeças Produtora, tendo no elenco Jack Elesbão, Maju Passos e Nini Kemba Nayo.

O longa experimento será transmitido através de link privado no youtube, com plateia virtual PRETA inscrita através do formulário disponível nos links do Instagram @casacharriot e @prascabecasprodutora, com cota para brancos.

Jack e Maju

— Pras Cabeças —

Com projetos audiovisuais expressivos já assinados pela produtora como a primeira Leitura virtual, usando as principais plataformas digitais vigentes – Facebook, Instagram, YouTube e Zoom- simultaneamente no espetáculo “Namíbia, Não!”

Recentemente apresentou o filme “Breve Miragem do Sol”, lançado no Brasil através da plataforma digital e no processo de feitura de “Antígona: Não nasci pro ódio, nasci pro AMOR”, inspirado no clássico da literatura grega, que resultará numa transmissão ao vivo na internet e longa metragem sobre a experiência.

Ficha Técnica

Elenco: Jack Elesbão/ Maju Passos/ Nini Kemba Nayo
Direção: Fabricio Boliveira
Produção: Pras Cabeças e Casa Charriot
Produção Executiva: Lilian Pinho
Assistente de Produção: Valjan Jr/ Priscila Silveira
Direção de Arte : Jorge Oliveira
Iluminação: Márcio Nonato
Trilha Musical: Manuela Rodrigues/Damilare Falade
Figurino: Soddi
Participação Especial: Malayka SN/Abigail Marianno
Tecnologia: Damilare Falade
Fotografia: Márcio Nonato/Isaac Souza
Comunicação/ RP: Uran
Agradecimentos: Boca de Cena, Pitaya Drink Bar, Loyásicam Bolos Nordestinos

Um ano depois de revelar a trajetória extraordinária de Wilson Simonal nos cinemas, o ator ​Fabrício Boliveira ​joga uma lupa na vida ordinária e comum de ​Paulo o protagonista do primeiro filme exclusivo da GloboPlay.

​“​Breve Miragem de Sol​” conta a história de um taxista que dirige nas noites do Rio de Janeiro para poder pagar a pensão do filho. O longa, dirigido por ​Eryk Rocha​, chega na plataforma de streaming no dia 30 de agosto.

Não se sabe em que tempo se passa ​“Breve Miragem de Sol”​, mas, de dentro do carro, Paulo recebe notícias de um Brasil bem atual. Com o rosto cansado, fragmentos da cidade passam por esse pai – ora como as sirenes da rua, ora como mensagens do celular e ora como as conversas dos passageiros que ele transporta. Dentro dessa rotina esmagadora e desse país em crise, Paulo tenta angariar o dinheiro para poder ver o seu filho, Mateus.

E, durante essa trajetória, sua sensibilidade expande.
“Breve Miragem de Sol” retrata o universo do trabalhador brasileiro. Além de ser um filme de denúncia, em que mostra esse pai querendo ascender em uma sociedade bastante desigual, é também um apontamento de uma saída, de como é possível gerir a crise de um país no dia a dia da cidade.

Paulo é um homem melancólico, mas totalmente aberto aos pequenos respiros e miragens que a vida lhe dá. E essa subjetividade é captada de maneira muito delicada através do silêncio, das lágrimas e dos poucos sorrisos.

A interpretação rendeu a Fabrício Boliveira o Prêmio de Melhor Ator ​no Festival do Rio em 2019. O longa teve a sua estreia oficial, no ano passado, na Inglaterra, no ​BFI London Film Festival. Eryk Rocha ganhou o ​Prêmio de Melhor Diretor ​no Festival Pachamama​, do Acre. E o filme ainda conta com a atuação de Bárbara Colen, protagonista de “Bacurau” (2019).


SINOPSE:​ BREVE MIRAGEM DE SOL conta a história de Paulo (40), um homem desempregado e recém divorciado que começa a dirigir um táxi pelas noites do Rio de Janeiro. Carregando uma dívida de pensão com seu filho, Mateus (10), ele encontra no novo trabalho a chance de um recomeço. Conforme Paulo aprende a coreografia da nova profissão, a solução aparentemente provisória se solidifica como momento presente, e noite após noite, conversas com os passageiros misturam-se às de sua vida. Karina, enfermeira de um hospital público, surge na vida de Paulo como um respiro de amor e luta. Assim como ela, cada passageiro possui um destino diferente, mas ao fim é sempre Paulo que está no comando do volante, tecendo uma grande narrativa sobre um país em convulsão política, econômica e social.
FICHA TÉCNICA​:

Direção:​ Eryk Rocha
Produzido por​: Eryk Rocha, Edgard Tenembaum, Diego Dubcovsky e Walter Salles

Roteiro:​ Eryk Rocha, Fabio Andrade e Julia Ariani
Direção de Fotografia:​ Miguel Vassy
Produção Executiva:​ Joelma Oliveira Gonzaga
Montagem:​ Renato Vallone
Desenho de som:​ Edson Secco
Trilha original:​ Ava Rocha, Negro Léo, Kiko Dinucci
Produção associada:​ Pras Cabeças, Carlos Diegues
Coprodução: ​Globo Filmes, VideoFilmes e Canal Brasil
Produção:​ Aruac Filmes, Tu Vas Voir, Varsovia Filmes

ELENCO​:

Fabrício Boliveira (Paulo)

Bárbara Colen (Karina)

Cadu N. Jay (Mateus)

Filme exclusivo do GloboPlay

Fotos de Rodrigo Peixoto para registrar a alegria de colaborar com um projeto pela vida. Será que a gente precisa mesmo de tudo o que tem?

Estamos isolados e é sempre bom rever velhos hábitos. Repensar a forma de viver, entender que o planeta não suporta mais o consumo desenfreado e o tanto de lixo que a gente gera. Repensar as roupas, reaproveitar, reusar, reformar. Ostentar não tá com nada!

 O projeto [ 5por1 ] do querido Milton Castanheiras tem  recebido doações de roupas, artigos de higiene, dinheiro para cestas básicas para o @grupoliberdadesdiversidade de São Gonçalo, no Rio que assiste pessoas da comunidade LGBTQIA+.

Seu Verciah

“Ser homem trans, negro e fora do padrão físico aceitável pela sociedade não nos deslegítima” contou Seu Verciah, cantor baiano fotografado para campanha de divulgação do projeto.

Nos clicks também atores como Fabrício Boliveira, Cris Vianna, Zezé Mota, Luana Xavier, o jornalista Ernesto Xavier, Olívia Araujo, Regiane Alves e Carol Castro e Armando Babaioff.

Mais informações no @rod_peixoto @castanheiras

Vencedor de três prêmios no Festival do Rio 2019, “Breve Miragem de Sol” (Burning Night), oitavo longa de Eryk Rocha (Transeunte, Campo de Jogo, Cinema Novo) será o tema da próxima live no instagram da Globo Filmes, na próxima quinta, 25 de junho, às 18h.

O diretor conversará com os protagonistas Fabricio Boliveira e Barbara Colen. Coprodução entre Brasil, França e Argentina, o filme já foi lançado recentemente em território argentino , na plataforma de streaming Cine Ar, onde já foi visto por mais de 25 mil espectadores.

Rodado no Rio de Janeiro, “Breve Miragem de Sol” conta história de Paulo (Boliveira), um homem que busca se reinventar após ficar desempregado e começa a dirigir um taxi nas noites cariocas. Enquanto enfrenta este recomeço e luta para dar sustento a seu filho Mateus (Cadu N. Jay), conhece a enfermeira Karina (Barbara Colen), uma de suas passageiras. O longa é uma produção Aruac Filmes, Tu Vas Voir e Varsovia Filmes, em coprodução com a Globo Filmes, VideoFilmes e Canal Brasil.

O longa arrematou três prêmios no Festival do Rio: Melhor Fotografia, Melhor Montagem e Melhor Ator para Fabricio Boliveira. “Breve Miragem de Sol” teve estreia mundial no BFI Festival de Cinema de Londres, também foi exibido no Festival de Cinema de Gotemburgo, na Suécia, e na 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Participou da Mostra Competitiva Nacional do XV Panorama Internacional Coisa de Cinema, na Bahia, e venceu o prêmio Indie Lisboa, o que garantiu a exibição na próxima edição festival homônimo, que está previsto para agosto, em Portugal. Além disso, participou do X Festival Pachamama, no Acre, onde recebeu o prêmio de Melhor Diretor.

Após rodar por festivais, o longa estreou na Argentina, direto no streaming, com boa recepção dos críticos. Javier Porta Fuoz do jornal La Nacion destacou que o longa tem “força documental tremenda e dilacerante.” Já o crítico Pablo O. Scholz do Clarin disse que “‘Miragem’ é um drama social potente”.

SINOPSE

Breve Miragem de Sol conta a história de Paulo (40), um homem desempregado e recém divorciado que começa a dirigir um táxi pelas noites do Rio de Janeiro. Carregando uma dívida com seu filho, Mateus (10), ele encontra no novo trabalho a chance de um recomeço. Conforme Paulo aprende a coreografia da nova profissão, a solução aparentemente provisória se solidifica como momento presente, e noite após noite, conversas com os passageiros misturam-se às de sua vida. Karina, enfermeira de um hospital público, surge na vida de Paulo como um respiro de amor e luta. Assim como ela, cada passageiro possui um destino diferente, mas ao fim é sempre Paulo que está no comando do volante, tecendo uma grande narrativa sobre um país em convulsão política, econômica e social.

ELENCO

Fabricio Boliveira (Paulo)
Bárbara Colen (Karina)
Cadu N. Jay (Mateus)

FICHA TÉCNICA

DIRIGIDO POR – Eryk Rocha
ELENCO PRINCIPAL – Fabricio Boliveira, Bárbara Colen, Cadu N. Jay
PRODUZIDO POR – Eryk Rocha, Edgard Tenembaum, Diego Dubcovsky,
Walter Salles
ROTEIRO – Eryk Rocha, Fabio Andrade, Julia Ariani
PRODUÇÃO EXECUTIVA – Joelma Oliveira Gonzaga
DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA – Miguel Vassy
MONTAGEM – Renato Vallone
DESENHO DE SOM – Edson Secco
TRILHA ORIGINAL – Ava Rocha, Negro Léo, Kiko Dinucci
PRODUÇÃO ASSOCIADA – Pras Cabeças, Carlos Diegues
COPRODUÇÃO – Globo Filmes, VideoFilmes, Canal Brasil
PRODUÇÃO – Aruac Filmes, Tu Vas Voir, Varsovia Filmes
Brasil, 2019, cor, 95 min

Redes Sociais Globo Filmes:
Instagram: https://www.instagram.com/globofilmes/
Facebook: https://www.facebook.com/globofilmes/
Twitter: https://twitter.com/GloboFilmes

Foto Miguel Vassy

Com excelentes críticas, o filme Breve Miragem do Sol chegou para o público argentino nessa quinta, dia 21 de maio através da plataforma digital cine.ar play.

Como protagonista o ator Fabrício Boliveira, o longa dirigido por Eryk Rocha apresenta o ator com pouca falas, mas com discurso direto, transmitido em expressões fortes e olhares precisos.

O filme chama a atenção por se passar quase que inteiramente dentro de um táxi, onde Fabrício vive o personagem Paulo, homem que começa a dirigir o automóvel para conseguir dinheiro e pagar a pensão do filho, impedido de vê-lo, com apenas 10 anos de idade.

Bárbara Colen(Karina) e Fabrício Boliveira(Paulo)

A noite é o tempo da película que traz histórias distintas de vidas, mostrando um cenário caótico das ruas do Rio de Janeiro e as relações conflitantes.

“Si bien la película, una coproducción entre Brasil y Argentina, fue filmada antes del ascenso de Jair Bolsonaro a la presidencia y, obviamente, sin imaginar que una pandemia viral iba a hacer desastres precisamente en esa misma ciudad (y en las vidas de enfermeros como Karina), no se puede evitar verla desde esa perspectiva, lo cual le agrega un grado de dramatismo aún mayor. Si así estaba la ciudad entonces, ¿cómo estará ahora? Lo que queda claro en MIRAGEM es que esas tensiones sociales, raciales y económicas, esa violencia e intensidad urbanas, no son nuevas sino que siempre han formado parte de las redes de relaciones urbanas de Brasil y de toda América Latina” lembrou bem Diego Lerer em sua crítica do micropsiacine.com .

 

“Los primeros planos de las miradas, sobre todo de nuestro protagonista, son acertados, dada la excelente interpretación de Fabrizio Boliveira, una profunda y dolorosa mirada que comunica muchísimo, y acompaña a la dirección y al guion desde el comienzo. Una película contada desde su punto de vista, un narrador actual, en movimiento constante, dinámico y emergente, inmerso en el infierno de una gran ciudad latinoamericana y de un país en apuros” escreveu Laura Pacheco Mora do metafilmika21.

Melhor ator para Fabrício, edição e fotografia no Festival do Rio, melhor longa metragem prêmio Indie Lisboa no XV Panorama Internacional Coisa de Cinema em Salvador, melhor diretor no X Festival Pachamama cinema de Fronteira no Acre e em janeiro desse ano participou do Festival de Cinema de Gotemburgo na Suécia.
Ainda sem data prevista de estreia no Brasil, o filme segue ocupando territórios necessários com discursos pertinentes.

Acompanhe as novidades no Instagram @brevemiragemdosol
Breve miragem de sol

Brasil-França-Argentina/2019)

Direção: Eryk Rocha
Roteiro: Fabio Ariani, Julia Ariani, Eryk Rocha
Fotografia: Miguel Vassy /
Edição: Renato Vallone.
Música: Ava Rocha, Negro Léo y Kiko Dinucci Elenco: Fabrício Boliveira, Barbara Colen, Cadu N. Jay, Inés Estévez, Luis Ziembrowski
Duração 98 minutos

Fabrício Boliveira, Márcia Limma, Gideon Rosa, Thiago Almasy e Aldri Anunciação

Uma leitura da obra *“Namíbia, não!”*, do dramaturgo e ator baiano *Aldri Anunciação*, será realizada nessa *sexta-feira (29)*, a partir das *19h*, por meio de diversas plataformas virtuais, com a colaboração da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi). A atividade integra o conjunto de agendas alusivas ao 25 de maio, o *Dia Mundial da África*. Desta vez as mobilizações acontecem pela internet, em virtude da necessidade de isolamento social por conta da Covid-19.

A experiência será transmitida no *Zoom* para 100 convidados que mandarem direct no Instagram @boliveirando, através do Facebook da Sepromi
YouTube da produtora Melanina Acentuada e por meio de lives no Instagram dos atores.

Com humor e inteligência, o espetáculo provoca uma discussão sobre as relações humanas no Brasil, a partir do confinamento de dois primos (representados pelos atores *Fabrício Boliveira* e *Aldri Anunciação*) em um apartamento, que tentam se proteger da ambiciosa Medida Provisória.

Além de Aldri e Fabrício, todos em suas casas, a leitura ainda contará com as participações dos atores *Gideon Rosa, Márcia Limma e Thiago Almasy*.

*Sobre “Namíbia, não!”*

Há dez anos, pela primeira vez, “Namíbia, Não!” era encenado na Sala do Coro do Teatro Castro Alves, em Salvador. De lá para cá, veio o Prêmio Jabuti de Literatura (2013), no mais renomado prêmio da literatura brasileira, uma versão traduzida para o inglês e encenada em Londres, uma publicação e tradução para a língua alemã pela editora Fischer Verlag.

Também esteve em quatro edições do Festival Nova Dramaturgia Melanina Acentuada, que extrai uma citação da obra e cria um evento que dá visibilidade a dramaturgos negros de todo país. Há, ainda, o projeto de uma versão cinematográfica, intitulada Medida Provisória, com previsão de lançamento para 2021, numa produção da Lata Filmes, Lerybe Produções, Globo Filmes e Melanina Acentuada.

*Namíbia, não!*

Texto: Aldri Anunciação.
Direção: Aldri Anunciação e Fabrício Boliveira.
Atores: Fabrício Boliveira, Aldri Anunciação, Márcia Limma, Gideon Rosa e Thiago Almasy.

*SERVIÇO:*

Local: Facebook Sepromi ; Zoom e YouTube do Melanina Acentuada; e Instagram dos atores: @aldrianunciacao
@thiagodude @fabricioboliveira @gargideonrosa @marciagomeslimma

Data: Sexta-feira, 29 de maio de 2018.
Horário: 19h.
Classificação indicativa: 12 anos.
*Mais informações:* insta *@boliveirando*.

Fabricio Boliveira e Gloria Pires em Nise
Depois de passar por alguns festivais de cinema importantes, como o do Rio, levando prêmio de melhor filme no juri popular e o de Tóquio, no Japão, como melhor filme e melhor atriz para Glória Pires, chegou aos cinemas brasileiros, na quinta(21), ‘Nise – O Coração da Loucura’, que traz Gloria no papel da psiquiatra Nise da Silveira.

O filme narra a saga da revolucionária médica, que substituiu eletrochoque e a lobotomia no tratamento dos esquizofrênicos por oficinas de arte e terapia ocupacional. “Eu não acredito na cura pela violência. Eu não sou capaz de fazer aquilo”, Nise costumava dizer.

O longa foi filmado durante dois meses no Instituto Nise da Silveira, no Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro, onde ficava o Hospital Psiquiátrico Pedro II. Lá foram revelados grandes nomes das artes plásticas, como Emydgio de Barros, Raphael Domingues, Lucio Noeman e Fernando Diniz. A descoberta do talento deles é apresentada no filme, que mostra o primeiro contato com a tinta, o pincel e o barro

 O pintor é feito um livro que não tem fim. (Fernando Diniz)

O pintor é feito um livro que não tem fim. (Fernando Diniz)

Conversei com médicos e amigos do Fernando. Ele foi o paciente que viveu mais tempo perto da Nise. E se transformou em um grande exemplo dos estudos dela, da revolução que o tratamento psiquiátrico através das artes plásticas pode promover. Fernando e outros seis pacientes, que ficaram conhecidos como Os Sete Camafeus, se transformaram em grandes artistas, com reconhecimento internacionalNesse momento onde assistimos as intenções egoicas dos nossos representantes, é necessário assistir um filme sobre uma heroína brasileira , que pensava realmente numa real mudança na psiquiatria através do afeto , artes e relação horizontal. Pode nos inspirar como nova sociedade.” falou ao SiteUR, o ator Fabricio Boliveira, que vive no longa, o  personagem do paciente Fernando Diniz.

Fabricio Boliveira como Fernando por Vantoen P JR
Fabricio Boliveira como Fernando por Vantoen P JR

Em Salvador, Nise pode ser visto em diversos horários no Shopping da Bahia. Basta acessar o site para conferir a programação completa.

Fabrício Boliveira , Cléo Pires e Thiago Martins em Operações Especiais

Os filmes policiais estão em alta não só na televisão norte-americana, mas também nas produções brasileiras. O sucesso estrondoso de Tropa de Elite I e Tropa de Eliete II , deram a Wagner Moura e José Padilha projeção internacional, colocando a dupla nos holofotes, abrindo os olhos da NetFlix, chamando-os para estrelar o seriado Narcos, que conta a vida do narco traficante colombiano Pablo Escobar.

O filão para esse mercado tem sido analisado por outros diretores, como exemplo Tomas Portela(Qualquer Gato Vira-Lata/Isolados) com o filme Operações Especiais. Gravado em 2014, o longa que conta com distribuição da Paris Filmes, estreia nas telonas no dia 15 de outubro, trazendo a linda Cléo Pires no papel da policial novata Francis, tentando provar seu valor dentro da corporação, que conta no elenco com os atores baianos Fabricio Boliveira e Fabio Lago, tendo ainda Marcos Caruso, Thiago Martins e Fabiula Nascimento. 

Fabrício que soma em sua carreira inúmeros personagens na teledramaturgia e nos cinema, levou ano  passado(2014) o prêmio como melhor ator no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro com o personagem João de Santo Cristo, protagonista  em Faroeste Caboblo, filme inspirado na música da Legião Urbana, premiado ainda como melhor filme, fotografia, trilha sonora original e roteiro adaptado.

Rodei dois filmes em Minas Gerais entre os meses de julho e setembro desse ano. O Vazante, da Daniela Thomas e o “Tudo bem, tudo bom “, do Willy Bionadani. Agora volto ao Rio, vindo do Brazilian Festival of Miami, onde teve uma exibição ao ar livre , do filme Trinta. Foi uma ótima oportunidade de dialogar com os americanos de todas as regiões. Achar conexões nesse continente tão diverso. Essa semana começo as pré-estreias do filme Operações Especias , estréia para 15 de outubro nos cinemas e no festival do Rio, lanço o filme Nise da Silveira , senhora das imagens, do Roberto Berliner, que tem ainda Glória Pires como a famosa psiquiatra” comentou Fabrício em conversa com o SiteUR.

Confira o trailer oficial do filme.

O filme apresenta as relações de conflito enfrentadas pela policia em São Judas do Livramento, interior do estado do Rio de Janeiro, com aumento alarmante da criminalidade. Uma equipe de operações especiais da polícia é enviada à cidade. Depois de dois meses, mudanças são visíveis; os crimes diminuem. A equipe de policiais é vista como heroica. No entanto, a rigidez da aplicação das leis começa a incomodar a população. Inicia-se um perigoso embate entre a polícia militar e a civil. A cidade mudará para sempre.


SA Agência Digital