Obras do pintor sergipano Antonio Maia são apresentadas por César Romero

Obras do pintor sergipano Antonio Maia são apresentadas por César Romero

Ascensao(1992)

O artista plástico César Romero e os Correios apresentam a exposição “Ex-Voto, Alma e Raiz”, do pintor sergipano radicado no Rio de Janeiro, Antonio Maia (1928-2008), no Centro Cultural Correios, que fica no Pelourinho, Centro Histórico de Salvador. A visitação é segunda à sexta-feira, das 10h às 18h até o dia 06 de abril, com entrada gratuita. A mostra conta com pinturas acrílicas datadas dos últimos 30 anos, todas criadas por Maia, além de vitrines com livros, catálogos, cartas, postais, origamis pertencentes ao acervo do curador, além de uma instalação com ex-votos.

Antonio Maia
Antonio Maia

A montagem consta de elementos do universo de Antonio Maia, dispostos pelas paredes, seus signos e figuras de linguagem popular. O expectador também tomará conhecimento da luminosa palheta do artista. Suas cores são personalíssimas e certamente o localizam como um pintor de origem nordestina.​

SiteUR: Por que escolher o pintor Antonio Maia para esta mostra?

César Romero – Maia morou por 50 anos no Rio de Janeiro. Era meu amigo e um dos mais originais artistas brasileiros. Um dia no Rio ele me pediu “não deixem que me esqueçam”. Esse poder eu não tenho, é dele e de sua excepcional obra. Apenas quis homenageá-lo, como fiz com o crítico de arte catarinense Harry Laus na 3ª Bienal da Bahia que era também meu amigo. Maia é um injustiçado, depois de trabalhar initerruptamente por 50 anos, deixando uma obra magistral, foi esquecido em apenas 6 anos de seu falecimento. Isto tem sido comum no Brasil e muito na Bahia.

SiteUR: O que existe na arte do artista que o caracteriza como pintor nordestino?

César Romero – O tema, a luz tropical, ele fez do ex-voto muito comum no nordeste seu único tema. Nunca se repetiu. Trabalhava com a religiosidade popular, pássaros, santos, procissões, Via Sacra. Todo um repertório gravado de memória na sua infância.

César Romero, organizador da mostra
César Romero, organizador da mostra

SiteUR:  As obras fazem parte de seu acervo?

César Romero – Algumas, as outras tomei por empréstimo de colecionadores e galerias. Dentre os colecionadores Luiz Humberto Carvalho, Leonardo Bokor, José Dirson Argolo. As galerias: Zeca Fernandes Escritório de Arte, Prova do Artista Galeria de Arte. Quero agradecer a todos a generosidade.

SiteUR:  Qual dessas obras representam bem o espírito de Maia?

César Romero – Maia era um pintor que seguia seu tema sem abdicar dele. Não esquecia os valores intrínsecos da pintura. Posso citar algumas que seguem sua linha e parecia com sua personalidade. Sentinela, O Iluminado, Ascenção, São Francisco, Graça Alcançada, Uma nova luz, Beata, Amuleto, Oferendas e Madona.

SiteUR: Tem pretensão de rodar outros espaços culturais com essa mostra?

César Romero  – Sim, pela importância de Maia. Ele merece ser resgatado é uma questão de justiça. Ele faz parte do “Brasil brasileiro”.

SiteUR:  Cite algumas exposições que já fez curadoria.

César Romero – A mais importante foi “Às Portas do Mundo” um resumo do que estava acontecendo com os nove países lusófonos. Iniciou-se em Évora patrimônio cultural da humanidade, no Palácio Real Dom Manuel em 30 de novembro de 2005, com a presença dos embaixadores dos países participantes e também do então Presidente da República Jorge Fernando Branco de Sampaio, que prefaciou o catálogo. Também grafite: sinais Urbanos, Bahia – Negras raízes, Carl Brusell – Um artista da forma e da cor, Luis Claudio Campos – Aliança Francesa da Bahia, Vicente de Souza – no Rio de Janeiro, e algumas coletivas também no Rio de Janeiro. Não me considero um curador ainda. Sou um artista visual que faz curadorias quando convidado.

SERVIÇO

O que? Exposição: Antônio Maia, ex Voto, Alma e Raiz
Visitação: Até 06 de abril de 2015 (segunda a sexta-feira 10h às 18h; Sábados 9h às 13h)
Onde? Centro Cultural Correios( Largo do Cruzeiro de São Francisco, nº 20, Centro Histórico, Salvador/BA)
Contato (71) 3321- 6665
Indicação etária: livre
Acesso: gratuito.