quinta-feira, 9 fevereiro 2023
Expresso Carnaval Rand Topo
Tags Posts tagged with "Sebastianismos"

Sebastianismos

Imagem: Rodrigo Gianesi

Malfeitona, artista baiana conhecida por suas tatuagens “feias” e por levantar
discussões sobre padrões de beleza na arte, faz participação no segundo disco de
Sebastianismos, “Tóxico”, com a música Se Nem Deus Agrada Todo Mundo Muito Menos
Eu. A canção, que será lançada esta quarta-feira (25), trata de ignorar as críticas para fazer
arte do seu próprio jeito, algo que Malfeitona conhece de primeira mão – seu estilo de tatuagem
foi duramente criticado, sendo hoje reconhecido mundialmente.

Tatuadora e mestra em comunicação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), a
baiana é artista visual, influenciadora digital e agora está começando oficialmente a se envolver
com música – antes, contava apenas com algumas participações curtas no currículo – sendo Se
Nem Deus Agrada Todo Mundo Muito Menos Eu seu primeiro produto musical sólido.

Mesmo inovando na área artística, a canção não poderia ser mais alinhada com Malfeitona: “É
mais sobre realmente ir, fazer, se expressar, sem necessariamente se encaixar em um padrão –
tirar essa pressão das pessoas que faz com que elas se sintam presas, sem conseguir mostrar
seus trabalhos. A música busca trazer alívio e dar uma força para quem está precisando dessa
injeção de coragem. Sabemos que enfrentar críticas é difícil, tanto de pessoas desconhecidas
da internet quanto de pessoas próximas, mas a gente tem que seguir nosso coração e fazer”.

A música pop punk se encaixa com a estética da artista, que já carrega o visual disruptivo do
punk em suas artes e em si mesma – sendo conhecida como a “darkzera da Bahia” por ser uma
roqueira soteropolitana, já tendo abordado diversas vezes em entrevistas e ilustrações o
conceito que ela chama de “tropical darkzera”.

Além disso, a música é parte do movimento Tropikal Punk de Sebastianismos.
Conhecido também por seu trabalho na explosiva e politizada Francisco el Hombre e atuante
na música e cena cultural desde os 14 anos de idade, ele cresceu no meio da contracultura
latinoamericana. Alinhado aos ideais do movimento punk, o músico mexicano-chileno
naturalizado brasileiro sentiu a necessidade de criar um movimento próprio, acrescentando um
tempero tropical ao inserir pautas e estéticas que representam o contexto latino.

“O Tropikal Punk é dar um nome a uma cena que já existia e que sempre fiz parte. Me identifico com o disruptivo, a transgressão, o questionamento e o faça-você-mesmo do Punk Rock, mas é o
tempero tropical que cria um movimento nosso, com pautas e contextos nossos”, diz
Sebastianismos.

Sebastianismos e Malfeitona são companheiros e Se Nem Deus Agrada Todo Mundo Muito Menos Eu é uma das várias parcerias artísticas entre os dois – do mesmo jeito que ela foi puxada para o universo da música, ele foi puxado para o universo das artes visuais, sendo o responsável pela arte de capa do álbum. “Tóxico” conta com duas participações soteropolitanas: além de Malfeitona, o rapper Faustino faz feat em “Indestrutível”. O disco também tem participações do baterista do NX Zero, Daniel Weks, da banda Fresno e de integrantes da banda CPM22, o cantor Badauí e o guitarrista Phill Fargnolli.

FICHA TÉCNICA
Se Nem Deus Agrada Todo Mundo Muito Menos Eu | Sebastianismos + Malfeitona
Produção: Sebastianismos
Composição: Sebastianismos
Guitarra: Sebastianismos e Alexandre Zampieri
Baixo: Helena Papini
Bateria: Andre Dea
Voz: Sebastianismos e Malfeitona
Mix: Alexandre Zampieri
Master: Alexandre Zampieri

Foi liberado nessa quarta-feira, dia 07 de julho o mais novo projeto audiovisual do cantor e compositor Sebastianimos.

A música “Bomba Relógio”,  marca a nova fase estética e sonora dei artista que introduz ao mundo o conceito de “tropikal punk”, o pop punk com tempero tropical, representando o sentimento coletivo atual: “Não apenas eu tenho me sentido assim, mas muitas pessoas têm a sensação de estar prestes a explodir em meio a tanto caos, a tantas dores e tanta coisa errada que a gente vê todo dia acontecendo. Nos sentimos como uma uma panela de pressão, prestes a explodir, uma bomba Relógio”, contou o artista ao Site Uran.

O clipe foi inspirado no universo pop punk, com direito a cenas de Sebastianismos descendo ladeira deitado em um skate, tocando bateria em uma caminhonete em movimento, cantando debaixo d’água, em cima de mesas de restaurantes e sendo tatuado – de verdade – pela tatuadora Malfeitona, que também assina o figurino e inserts de imagens captadas com câmera Cybershot resgatando a estética dos anos 2000. Com referências diretas como releitura da capa do álbum Enema of the State, da banda Blink 182, e participação surpresa de Supla, o Clipe é da premiada dupla de diretores Los Pibes, responsáveis por filmes como Hear Me Now, de Alok e Tá com dolar, tá com Deus, da Francisco el Hombre.

Bomba Relógio é o primeiro manifesto audiovisual do movimento nomeado por Sebastianismos como Tropikal Punk: Conhecido também por seu trabalho na explosiva e politizada Francisco el Hombre e atuante na música e cena cultural desde os 14 anos de idade, Sebastianismos cresceu no meio da contracultura latinoamericana.

Alinhado aos ideais do movimento punk, o musico mexicano-chileno naturalizado brasileiro sentiu a necessidade de criar um movimento próprio, acrescentando um tempero tropical ao inserir pautas e estéticas que representam o contexto latino.

“O Tropikal Punk é dar um nome a uma cena que já existia e que sempre fiz parte. Me identifico com o disruptivo, a transgressão, o questionamento e o faça-você-mesmo do Punk Rock, mas é o tempero tropical que cria um movimento nosso, com pautas e contextos nossos”, diz Sebastianismos.

Bomba Relógio fará parte de TÓXICO, segundo álbum do artista que será lançado em Agosto de 2021. Confira também os Tropikal Punk Covers de Sebastianismos das músicas Tá Rocheda e Recarei, de Barões da Pisadinha com clipes gravados em Massarandupió, Bahia.

FICHA TÉCNICA
Direção: Los Pibes
Roteiro: Los Pibes, Sebastianismos, Cynthia helena & Renato Simon
Produção Executiva: Raphael Reitano, Vinicius Lombardi, Sebastianismos & Los Pibes Co Produção: Awake Film & Difusa Fronteira
Assistência de direção: Vinicius Lombardi
Fotografia: Tony Molina
Foto Still: Rodrigo Gianesi
Arte: Daniel Fiori e Sebastianismos
Figurino: Malfeitona e Sebastianismos
Direção de produção: Raphael Reitano
Montagem: Matheus Fractal & Los Pibes Vfx: Vinicius Voar
Cor: Cora Post
Finalização: Rui Fontes
Casting: Malfeitona, Sebastianismos & Supla
Agradecimentos especiais: Alma Grey Bowl, Guaco, Ricardo Solimeno, Thomás Benson, Capilé & Estúdio Costela, Hangar 110, Monster Cam, Aguia locações, Casa do produtor, D22 equipamentos de câmera, Gabriel Nanni & Fabio Politi, Matheus Moreira
Produção Musical: Sebastianismos Autoria: Sebastianismos
Mixagem: Alexandre Zampieri Master: Alexandre Zampieri
Equipe Sebastianismos
Produção e representação: Difusa Fronteira
Manager: Felipe França Gonzalez
Produção geral: Nina Souza, Grão, Estefania del Valle e Rodrigo Flesch Distribuição digital: Olga Music e ADA Brasil
Planejamento & Conteúdo de Mídias Sociais: Malfeitona e Sebastianismos

Uma quarta-feira, 11 do mês 11, com lançamento audiovisual que treme o cosmos e aguçam a percepção para o diferente.

Com aquele clima de suspense e sedução, ambiente vampiresco arcaico, os cantores Sebastianismos e Jaloo acabaram de lançar na rede o clipe da música “Calma”.

Composição do cantor mexicano, naturalizado brasileiro, Sebastianismos tem revelado constantemente seu fazer artístico libertador, sem definições de gênero estabelecidos pela normalidade.

A ideia do clipe veio ao assistir ao filme “Entrevista com Vampiro”, inspirado no livro da escritora norte americana Anna Rice, trazendo forte a estética épica vampiresca.

Gravado em um casarão antigo de Sampa, o clipe leva a primorosa direção de Gabriela Mo e produção de Gabriela. O figurino é assinado por Bru Fernandes com a produção de Claudia Bezerra e maquiagem de Alma Negrot que também é responsável pela Direção de Arte.

Siga @sebastianismos e @jaloomusic

 

Direção: Gabriela Mo
Produção Executiva: Gabriela Mangieri Coordenação de Produção: Gabriela Mangieri Assistente de Produção: Julia Bazerque
Direção de Fotografia: Milena Seta
1° Assistente de Câmera: Rafael Giacondino 1° Assistente de Câmera: Marilia Morais Steadicam: Gus Morozini
Logger: Bernardo Guerreiro
Elétrica: Diogo Costa
Assistente de Elétrica: Daniel Barnete Fotografia Still: Bernardo Guerreiro
Direção de Arte: Alma Negrot Assistente de Arte: Dafne Pantaroto Styling: Alma Negrot e Bru Fernandes Figurinista: Bru Fernandes
Produção de Figurino: Claudia Bezerra
Maquiagem: Alma Negrot
Assistente de Maquiagem: Bruno Nascimento
Direção de Movimento e Atuação: Luiza Magalhães Elenco: Sebastian e Jaloo
Montagem: Fernanda Krumel
Cor: Samanta do Amaral
Designer Gráfico: Thaís Esmeraldo
Produção Musical: Jan Luska, Lucs Romero e Sebastianismos Autoria: Sebastianismos
Mixagem: Guigo
Master: Felipe Tichauer
Produção Fonográfica: Sebastianismos e Felipe Gonzalez
Produção Geral: Difusa Fronteira (André Maia, Nina Souza e Felipe Gonzalez) Manager: Felipe Gonzalez
Assessoria de Web: Alice Bransoni e Patrick Ghidott.
SEBASTIANISMOS é conhecido por seu trabalho com a banda Francisco, el Hombre (fundador, baterista e vocalista), nominada ao Grammy Latino em 2017, com a qual está em turnê desde 2013, passando por festivais como Rock in Rio (BR), Lollapalooza (BR), Lollapalooza (Chile), Vive Latino (Mexico), Saca el Diabo (Ecuador), Havana World Music Festival (Cuba), Festival de Loulé (Portugal) e muitos mais.

Fotos Felipe Miranda

A trajetória do músico Sebastián Piracés-Ugarte tem como a coletividade como marca. Muito disso se deve à história que ele construiu ao lado dos demais integrantes da banda Francisco, el Hombre. Agora, ele se desvencilha de tal modelo para mostrar todo o caos artístico que habita nele.

A sua estreia solo chega por meio do disco Sebastianismos. Este, inclusive, é o vulgo que o artista adota nesta jornada, que, por mais que seja individual, está longe de ser solitária.

O trabalho, que acaba de chegar aos aplicativos de streaming, vai do reggaeton ao punk rock, de músicas de amorzinho e putaria até posicionamentos políticos. Para isso, ele conta com as participações especiais Russo Passapusso(BaianaSystem), Malfeitona, Jaloo e  Luê.

“Boa parte do processo do disco foi feita em segredo”, conta Sebastián, que foi criando tudo em meio às turnês e viagens da banda pela América Latina e enquanto fazia a trilha para um espetáculo da São Paulo Companhia de Dança. “Foi um trabalho terapêutico, de sonhar e de fazer do sonho meta; e encarar os desafios até realizar o que eu queria: me sentir bem comigo mesmo, ser fã de mim mesmo”, lembra.

As sementes foram sendo jogadas ao mundo aos poucos. Quatro das faixas de Sebastianismos chegaram em formato de singles. São elas: “Culto Al Culo”, que traz um elogio bem humorado a todas as bundas do planeta e passa a mensagem de um jeito leve, criativo e  dançante. “Calma”, com a participação de Jaloo; e “Sexo de Manhã” e “Fudeu”,  ambas produzidas ao lado de Lucas Silveira, da banda Fresno.

Com refrão chiclete e roupagem latina (a sonoridade tem elementos de bachata, gênero oriundo da República Dominicana), “Fala Que Me Quer” surgiu como trilha do namoro à distância de Sebastián com a artista baiana Malfeitona. Relacionamento este que, hoje, deixou para trás empecilhos geográficos. Com isso, ela participa de “Ai Meu Coração” (Malfeitona gravou a voz de dentro do armário da casa deles). “Ela é a grande responsável por eu ter começado a escrever músicas românticas nesse disco, então não poderia ficar de fora. Improvisei versos em espanhol e português em cima de uma base de dancehall, mas ainda sentia falta de algo: a voz dela”, comenta Sebastián.

Malfeitona e Sebastianismos

Com participação da cantora paraense Luê, “Ouvidinho” teve como ponto de partida as antigas músicas do Skank. Além de ter contado com a produção de Dudu Marote, responsável por trabalhos icônicos da banda mineira, como Calango (1994) e Samba Poconé (1996), a faixa teve o baixo gravado pelo baixista do Skank: Lelo Zaneti.

O artista abusa da sensualidade em “Tu Sexo Es Mi Medicina”. Para ele, “é pura hipocrisia amor sem putaria”. Em “Click Click Click”, por sua vez, Sebastián aborda a dependência que a sociedade tem das redes sociais, criando um espiral sonoro dessa relação nada saudável.

Sebastianismos e Russo

Faixa mais política de Sebastianismos,“Kontrasistema” surgiu como um grito em um momento em que as manifestações no Chile alarmavam sobre a desigualdade social e também exigiam a implementação de reformas sociais profundas, sem falar na situação social e política vigente no Brasil. A voz de Russo Passapusso, da banda BaianaSystem, agrega para o tom urgente de “Kontrasistema”.

Letra de kontrasistema

Filho de pai chileno e mãe mexicana, Sebastián, que nasceu no México e tem fortes laços com a América Latina, deixou mais duas faixas do trabalho serem influenciadas pela situação do Chile: “Todo Esta Normal” e, por fim, “Renuncia”. “Eu sou chileno também. Ver 1 milhão de pessoas do meu povo vibrando junto, me inspirou. Decidi escrever esse poema para manifestar o meu apoio”, finaliza.

Acompanhe tudo no Instagram @sebastianismos

Tracklist:

1. Sexo de Manhã

2. Fala que Me Quer

3. Ai Meu Coração (feat. Malfeitona)

4. Ouvidinho (feat. Luê)

5. Culto al culo

6. Calma (feat. Jaloo)

7. Fudeu

8. Tu Sexo es Mi Medicina

9. Click click Click

10. Kontrasistema (feat. Russo Passapusso)

11. Todo Está Normal

12. Renúncia

Ficha técnica:

SEBASTIANISMOS

Produção Musical: Sebastianismos, Lucas Silveira, Dudu Marote,  Góbi, Jan Luska e Lucs Romero

Arranjos: Sebastianismos

Direção Artística:  Sebastianismos

Produção Executiva:  Sebastianismos e Difusa Fronteira

Managment: Felipe França Gonzalez

Composições: Sebastianismos e Russo Passapusso (em Kontrasistema)

Feats:  Jaloo, Russo Passapusso, Luê e Malfeitona

Participações nos arranjos: Andrei Kozyreff, Helena Papini, Lelo Skank, Lele e Pedro Lobo.

Mixagem: Guigo Berger ,Tiago Abrahão e Dudu Marote

Master: Felipe Tichauer e Icy Sasaki (em Ouvidinho)

Selo: Antikontra

Identidade Visual: Leo Lucena

Distribuição: ONErpm

Editora: Difusa Fronteira

Assessoria de Imprensa: Trovoa Comunicação

Assessoria de Web: Alice Brondani e Patrick Ghidotti


SA Agência Digital