quinta-feira, 23 maio 2024
Jade Showroom
Tags Posts tagged with "Caixa Cultural"

Caixa Cultural

Bráulio Bessa Foto Divulgação

Bráulio Bessa, Ana Barroso, Sarau da Onça e Slam das Minas estarão no projeto capitaneado por Maviael Melo


Nos dias 13 e 14 de janeiro, na Caixa Cultural acontece a Conversaria na Caixa. O projeto inspirado no Conversaria Literária, contará com poetas, músicos e escritores da Bahia e de outros estados. No local, uma conversaria musical com contações de histórias e declamações de versos na área interna e na externa, recitais e cantorias. O evento acontece a partir das 14h.

Nomes como Mariane Bígio, Sarau da Onça, Bráulio Bessa e Maviael Melo e Ana Barroso, estarão no primeiro dia. Já no segundo o evento contará com Salua Chequer, Slam das Minas e Aiace, Jéssica Caitano e Socorro Lira. A programação conta também com Exposição e Lançamento de Livros e Discos e terá um bate-papo no dia 13 com o lançamento do livro Infantil, Doçura, da vencedora do Prêmio Jabuti 2023, a baiana Emília Nuñez. Cada encontro será registrado e gravado para disponibilização nas redes sociais e no canal do Youtube do poeta e cantador Maviael Melo.

Tendo o violão como marcação sonora, em um cenário de luz marcante, Maviael conversa por 90 minutos em ilustrações poéticas e históricas de momentos, das trajetórias dos convidados e do próprio mediador, abordando temas atuais e os processos criativos de cada convidado. Pela Conversaria já passaram nomes como Bule Bule, Lirinha, Josyara, Juliana Ribeiro, Lazzo Matumbi, Aiace, Flávio Leandro, Xico Sá, Elisa Lucinda, Antônio Nóbrega, Chico Cesar, entre outros.

O Conversaria na Caixa é uma realização da Entre Versos e Canções e Melodia Produções, promovida pelo Programa Educativo CAIXA Gente Arteira, com o apoio cultural da Bahiagás, APLB e 74 Comunicação.

Foto Divulgação

Aniversário da cidade chegando e a Caixa Cultural na Carlos Gomes em Salvador presta sua homenagem à nossa querida Soterópolis.

Nessa quarta, dia 29 de março a partir das 18h vai rolar encontro com o artista Oliver Dorea, criador das obras da mostra imersiva Muros Que Nos Unem.

A exposição que ficará em cartaz até o dia 07 de maio, constitui uma experiência sensorial inclusiva, na qual é possível não só apreciar as telas, grafites e pinturas texturizadas, mas também interagir com elas por meio do tato, do olfato e da audição.

A experiência sinestésica que se desenha ultrapassa os limites da visão, seja através da audiodescrição das imagens expostas, dos estímulos aromáticos ou das barreiras quebradas do som.

Uma mostra de grafite, que ao mesmo tempo se põe como uma experiência imersiva e interativa, na qual Oliver Dorea usa os muros como suporte para quebrar barreiras e fazer conexões entre a rua e a galeria, com seu imaginário e a estética surrealista de seus trabalhos.

Oliver e Tatau

“Muros aqui não separam. Ao contrário, provocam a junção de experiências, linguagens e de gente” lembrou o artista.

Após visita a mostra, o cantor Tatau, pai de Oliver, realizará apresentação especial a partir das 19h, cantando clássicos que marcaram a história da música baiana.

O acesso ao evento é gratuito, mediante lotação do espaço, por isso importante chegar cedo para garantir seu lugar.

Será que o lixo pode servir para alguma coisa? A resposta é “sim” – mas, pra isso, precisamos reeducar o nosso olhar. O assunto será tratado no seminário” Figurinos Sustentáveis”, atividade formativa do Instituto Luciana Galeão.

Luciana Galeão

O encontro acontece no próximo sábado, dia 09 de julho, no Espaço Caixa Cultural Salvador, e conta com a parceria da ONG Justa Moda.

“O trabalho com resíduos requer um diálogo constante com ele: vamos entendendo gradativamente o que podemos fazer com o material”, explica a designer Luciana Galeão, diretora do Instituto que leva o seu nome.

Ela alerta que desenvolver um novo olhar é fundamental: “Precisamos prestar muita atenção no que estamos jogando fora, pode ser a grande diferença usar novamente de forma diferente. Foi o que aconteceu comigo, o que varria pro lixo viraram os meus tradicionais bordados em mosaicos”.

O Seminário tem entrada franca e conta com carga horária de quatro horas de duração, com certificado. Serão abordadas questões como sustentabilidade e seus conceitos-chave, os resíduos e suas consequências, resultado da sociedade altamente consumista em que vivemos e, principalmente, as possibilidades criativas dos resíduos.

A metodologia será teórica-prática e não é necessário nenhum pré-requisito para participar além do desejo de conhecer um pouco mais sobre o assunto.

Ana por Marcus Socco

“Temos a falsa sensação de que, ao colocar o lixo pra fora da nossa casa, o problema está resolvido. Mas não existe ‘jogar fora’: o lixo é um problema de saúde pública que ameaça a nossa existência como sociedade. É preciso debatê-lo e encontrar saídas para ele”, alerta a jornalista Ana Fernanda Souza, especialista em Sustentabilidade, que divide com Luciana Galeão a condução do Seminário, abordando questões ambientais.

Além do seminário, a mostra homônima, também produzida por Luciana Galeão, a exposição “Detalhes do Feito à Mão” ficará aberta para visitação na Galeria da Caixa Cultural até o dia 7 de agosto. Serão exibidos vestidos desenvolvidos a partir da técnica de upcycling, tendo como matéria-prima o material que iria para descarte, exemplificando os assuntos abordados no Seminário. A mostra está em exibição desde outubro de 2021.

O Seminário acontece em dois turnos, e as vagas são limitadas. A inscrição é feita online, a partir do link XXX. O uso de máscara é obrigatório nas dependências da Caixa Cultural e é preciso apresentar o comprovante de vacinação.

QUEM FAZ
Luciana Galeão – designer, trabalha há 20 anos na solução do problema do descarte de resíduos sólidos através do reaproveitamento, utilizando a fusão entre criação em design de moda, gestão, pesquisa de materiais recicláveis e empreendedorismo social. Conquistou o Prêmio Barra Mulher 2010, Prêmio Talentos do Brasil – Sustentabilidade 2011 e 2012 e Prêmio Brasil Criativo 2012 em parceria com o projeto Axé.

Ana Fernanda Souza – jornalista, mestre em estudos da cultura e especialista em meio ambiente e sustentabilidade. É Representante Fashion Revolution e integrante do Comitê Racial da instituição. Palestrante TEDx, com a palestra “O consumo consciente não vai salvar o mundo”

SERVIÇO
O QUÊ: Seminário “Figurinos Sustentáveis”
QUANDO: 09 de julho, das 9h às 13h (turma 1) e das 14h às 18h (turma 2) ONDE: CAIXA Cultural Salvador – Rua Carlos Gomes, 57, Centro INSCRIÇÕES: www.gentearteirasa.com.br
INFORMAÇÕES: 3421-4200
ENTRADA FRANCA

A CAIXA Cultural Salvador apresenta, de 17 de agosto a 17 de outubro, a exposição “*De Passagem*”, da fotógrafa baiana Alice Ramos.

Integram a mostra, aproximadamente 30 fotos feitas em quatro anos de uma vida imprevista de amor, lembranças, anotações e curiosidades de um mundo de passagem. As obras refletem momentos, encontros, paisagens, pessoas, cores e texturas, observadas por um ângulo inovador e guardadas em mais um cartão de memórias.

A retomada da exposição, que foi sucesso em 2013, desperta expectativa de melhores dias para a artista Alice Ramos: “estamos há dois anos em isolamento social, a cultura vem voltando a passos lentos e reeditar essa exposição colorida, que passa por tantos lugares, mostrando a força dos astros, sabores e cores, aproxima ainda mais as pessoas do mundo. Espero que, mais uma vez, minhas imagens despertem a esperança de dias melhores e divirta os visitantes”, explica Alice.

A inspiração para as fotografias da mostra surgiu após Alice terminar um relacionamento e ouvir os conselhos de uma amiga astróloga. Ela foi passar o aniversário em Amsterdã, sem direção e descobriu belezas e simplicidades de lugares e pessoas. Essa foi a primeira viagem entre muitas, na volta ao Brasil foi aconselhada mais uma vez a viajar, próximo destino foi o Panamá, onde conheceu um novo amor e partiu rumo a outros e novos lugares registrando até 2011 suas passagens por Inglaterra, Espanha, Itália, França, Bélgica, Tailândia e Brasil.

Com a curadoria de Justino Marinho, a mostra traz cliques intimistas de momentos que marcaram um começo de amor. As pessoas fotografadas não obedecem mais à sua direção e as paisagens não se submetem à sua arrumação. Alice descobriu prazer em registrar também o espontâneo e imprevisto.

Duo + Dois por Marco Flávio

Da singularidade entre os vários achados musicais dos violonistas Fernando Melo e Luiz Bueno, o Duofel e um dos ícones do sopro, Carlos Malta com o percussionista Robertinho Silva, nasceu o o grupo musical Duo + Dois. É esse espetáculo que a CAIXA Cultural Salvador apresentará nos 12 a 14 de setembro (quinta-feira a sábado), com quatro apresentações durante os três dias de evento (no sábado, em dois horários: às 17h e 20h). Um show para se emocionar com clássicos da música popular brasileira e inusitados tratamentos harmônicos e rítmicos do grupo. Além dos shows, o grupo ministrará oficinas gratuitas sobre o uso de instrumentos de sopro, percussão e violões de nylon e 12 cordas. Informações através do (71)3421-4200. Os ingressos serão vendidos a preços populares, a partir das 9h de quinta-feira (12), para todas as apresentações, na bilheteria da própria CAIXA Cultural Salvador, na Rua Carlos Gomes, 57, Centro.

O Duo + Dois se apresenta em Salvador Foto: Marco Flávio

Nas apresentações, o público poderá conferir canções já eternizadas a exemplo do “Canto de Yemanjá” (de Baden Powell e Vinícius de Moraes), e a condução rítmica de “Água de Beber” (Tom Jobim e Vinícius), com a emoção de evanescente versão de “Cais” (Milton Nascimento e Ronaldo Bastos) e a contagiante introdução e improvisos de “Maracangalha” (Dorival Caymmi).

 

 

 

Os baianos poderão conferir gratuitamente a versão itinerante do festival Anima Mundi a partir desta sexta-feira, 24 de agosto, na CAIXA Cultural Salvador, localizada na Rua Carlos Gomes. A 26ª edição do evento chega à capital baiana depois de passar pelo Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília, com um amplo painel de 48 filmes infantis, infanto-juvenis e adultos. A programação completa e a classificação indicativa dos filmes estão disponíveis nos sites da Caixa Cultural e do próprio Anima Mundi.

Nos três dias de evento – a exibição dos filmes vai até domingo (26) -, o público poderá acompanhar o que vem sendo produzido no Brasil e no mundo em termos de animação em três sessões diárias, às 15h, 17h e 19h. A entrada é gratuita e a programação opções além dos filmes para crianças, como a Oficina de Massinha, das 12h às 18h.

A abertura do evento, na sexta (24), às 20h, reunirá alguns dos principais filmes adultos que serão exibidos durante o festival, com destaque para Weekends (EUA), de Trevor Jimenez, vencedor de Melhor Roteiro de 2018; o brasileiro Lé com Cré, de Cassandra Reis; e o francês Hybrids, de Florian Brauch, Matthieu Pujol, Kim Tailhades, Yohan Hireau e Romain Thirion. Nos demais dias, chamam atenção também os eleitos este ano pelo Júri Popular: o francês Like an Elephant in China Shop, de Louise Chevrier, Luka Fischer, Rodolphe Groshens, Marie Guillon, Eletelle Martines, Benoit Paillard e Lisa Rosassombat; O Homem Caixa, de Ale Borges, Álvaro Furloni e Guilherme Gehr; e o impactante Augenblincke, da alemã Kiana Naghshineh.

Sabe aquela desculpa de que não tem nada pra fazer no fim de semana? Pois, foi por água abaixo! Nos vemos lá!

A CAIXA Cultural Salvador apresenta o grupo OQuadro, em quatro shows, entre os dias 17 e 19 de novembro de 2017 (sexta-feira a domingo).

Os músicos apresentarão repertório autoral, que inclui o disco homônimo (2012) e singles como “Where I’m From”, “Jesus Cristin” e “Filme”, além de trazer uma prévia de músicas do seu segundo disco, “Nêgo Roque”, lançado no dia 9 de novembro.

As apresentações acontecem às 20h na sexta-feira; em duas sessões, às 17h e às 20h, no sábado e às 19h no domingo. Os ingressos serão vendidos a preços populares.

Com mais de duas décadas de estrada, a banda fundada em Ilhéus (Bahia) representa uma vertente do RAP que busca inovações sonoras a partir do diálogo com outros estilos musicais e movimentos culturais. As composições do grupo percorrem questões individuais e universais e sua sonoridade vai do ijexá ao afrobeat, passando pelo rock, zouk, samba de roda, entre outros ritmos, sem deixar de priorizar os elementos do RAP.

Nas apresentações em Salvador, a banda dialogará com convidados da cena musical local, contando com as participações do grupo Opanijé (17.11), do músico Letieres Leite (18.11, às 20h) e do grupo ÀTTØØXXÁ (19.11).

*Serviço:*
Música: OQuadro
Período: de 17 a 19 de novembro
Horário: sexta-feira, às 20h; sábado, duas apresentações, às 17h e 20h; domingo, às 19h.
Local: CAIXA Cultural Salvador – Rua Carlos Gomes, 57, Centro – Salvador (BA)
Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)
Informações: (71) 3421-4200
Classificação indicativa: livre
Conveniência: estacionamento gratuito ao lado

Rafael Medrado, Igor Epifânio, Alexandre Moreira e Jarbas Oliver em EGOTRIP

Depois de estrear em 2016 com sucesso de público e crítica, o espetáculo teatral “EGOTRIP – Ser ou não ser? Eis a comédia” anuncia nova temporada na CAIXA Cultural Salvador, dias 10, 11, 12, 17, 18 e 19 de março, sendo sextas e sábados às 20h e domingos às 19h, com ingressos a preços populares. A bilheteria é aberta no primeiro dia da peça (10 de março), para todas as seis apresentações. Além disso, o estacionamento ao lado do espaço cultural, na Rua Carlos Gomes, 57 – Centro, será gratuito para o público.

O envolvente e divertido enredo gira em torno de um grupo de quatro amigos tipicamente urbanos e individualistas que decide viajar para uma longínqua cidadezinha do interior com o propósito de recuperar um suposto “anel de nobreza” pertencente à família de um deles.  Durante a empreitada, os personagens viverão uma série de situações cômicas e dramáticas que transformarão suas percepções sobre o mundo. Uma clara alusão ao gênero cinematográfico road movie, em que os protagonistas deixam seus lares, partindo em busca de novas aventuras e fatalmente alterando as perspectivas sobre suas próprias vidas cotidianas.

Durante esse processo, surgem muitas questões que refletem dilemas atuais, como os binômios “carreira profissional x realização pessoal”, “posição política de esquerda x direita”, “casamento x vida solteira”, “cidade x campo” e “competitividade x solidariedade”. Divisões que proporcionarão uma busca de identidade, uma viagem do ego – daí o título da obra.

O espetáculo conta com um elenco estelar da nova geração do teatro baiano – Igor Epifânio, Alexandre Moreira, Jarbas Oliver e Rafael Medrado, que já integraram grandes sucessos de bilheteria, como “Entre Nós – Uma comédia sobre diversidade”,“A Bofetada”, “Os Cafajestes”, “Siricotico” e “Camila Backer”.

Por sua vez, o encenador João Sanches é responsável por prestigiados espetáculos, como “Eu te amo mesmo assim”, “Boca a boca: um solo para Gregório” e “Entre Nós – Uma comédia sobre diversidade”

O cenário do espetáculo traz pop-art vibrante e colorida. A base do material primário utilizado são engradados de cerveja. As ilustrações que colorem os engradados são inspiradas na arte urbana e caótica do norte americano Jean Michel Basquiat, valorizando a estética do grafite e da pintura neo-expressonista.

Já a trilha sonora é realizada ao vivo pelo multi-instrumentista e compositor Leonardo Bittencourt, fazendo várias referências à cultura popular brasileira, desde o samba de roda ao punk rock. Além dos números musicais, Bittencourt também executa a sonoplastia, o fundo musical e outros efeitos e intervenções sonoros durante toda a peça, ajudando a criar a atmosfera das cenas.

SERVIÇO:

O QUE : Espetáculo: “EGOTRIP – Ser ou não ser? Eis a comédia”

ONDE: CAIXA Cultural Salvador: Rua Carlos Gomes, 57, Centro- Salvador (BA)

QUANDO: 10,11,12, 17, 18, 19 de março de 2017

HORÁRIO: Sextas e Sábados 20h00. Domingos às 19h00

QUANTO: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

INFORMAÇÕES: (71) 3421-4200

CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: 12 anos

CONVENIÊNCIA: estacionamento gratuito ao lado da CAIXA Cultural Salvador

 

Elza Soares

A CAIXA Cultural Salvador apresenta, a cantora Elza Soares em ‘A Voz e a Máquina’. Inédito na capital baiana, o show é uma parceria com os DJs Ricardo Muralha e Bruno Queiroz e mistura samba, jazz e batidas da música eletrônica. Serão três apresentações que acontecem sexta-feira (13) e sábado (14), às 20h, e domingo, às 19h.

Diva consagrada da música popular brasileira, Elza Soares mostra nesse show que está conectada com as novas tendências da música e empresta sua voz inconfundível a arranjos inusitados de canções bastante conhecidas pelo público.

 

No repertório, músicas como “Cálice”, Chico Buarque e Gilberto Gil, “Chega de Saudade”, de Vinicius de Moraes e Tom Jobim, “A Cidade”, de Chico Science e “W/Brasil”, de Jorge Benjor são executadas em arranjos que, além de samba e jazz, passam por gêneros eletrônicos como Drum & Bass, House e Techno.

Em um formato não convencional de apresentação, os DJs Bruno Queiroz e Ricardo Muralha, utilizam pads, tablets, teclados e outras ferramentas eletrônicas, misturando voz e máquinas em um espetáculo musical que surpreende. Os ingressos serão vendidos a R$ 5 e R$ 10, a partir das 9h da sexta-feira (13), para todas as apresentações, na bilheteria da própria CAIXA Cultural Salvador, que fica na Rua Carlos Gomes, 57, Centro, Salvador.

SERVIÇO:

O QUE: Elza Soares – A Voz e a Máquina

ONDE: CAIXA Cultural Salvador – Rua Carlos Gomes, 57, Centro

QUANDO: 13, 14 e 15 de janeiro (sexta-feira a domingo)

HORARIO: sexta-feira e sábado, às 20h; domingo, às 19h.

QUANTO: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

INFORMAÇÕES: (71) 3421-4200

CLASSIFICAÇÃO: livre

CONVENIÊNCIA: estacionamento gratuito ao lado

A CAIXA Cultural Salvador apresenta, de 1º a 4 de dezembro (quinta-feira a domingo), o Festival de Samba de Roda de Cachoeira. Oito grupos tradicionais do Recôncavo baiano se apresentam, exaltando o samba de roda, que, desde 2005, foi tombado como patrimônio imaterial da humanidade. Os espetáculos acontecem de quinta-feira a sábado, às 19h, e no domingo, às 18h.

O festival exalta a poética e o ritmo singular dos sambadores do Recôncavo, com o propósito de unir o público em um festejo de interação com as raízes do samba de roda. A cada dia, duas agremiações tradicionais de Cachoeira-BA se apresentam. Participam do festival os grupos Samba Filhos do Caquende, Geração do Iguape, Esmola Cantada, Juventude do Iguape, Samba de Dona Dalva, Raiz do Boqueirão, Filhos da Barragem e Suspiro do Iguape.

Os ingressos serão vendidos a preços populares, a partir das 9h da quinta-feira (1º), para todas as apresentações, na bilheteria da própria CAIXA Cultural Salvador, na Rua Carlos Gomes, 57, Centro.

Toda programação pode ser conferida no site da Caixa Cultural.


SA Agência Digital