quarta-feira, 22 setembro 2021
Tags Posts tagged with "teatro"

teatro

Um espetáculo cênico, educativo, patrimonial, que se debruça criticamente sobre o patrimônio, ora valorizando, ora problematizando. Artistas através de poesias burlescas, de levantes hip hip e outras tecnologias artísticas fazem uma leitura afrodiaspórica, periférica, social, poética e crítica de hermas/monumentos espalhados pelas praças públicas da capital.

Este é o levante dramatúrgico de “O Museu é a Rua”, montagem com texto e direção de Fabrício Brito e idealizado pelo grupo de arte popular “A Pombagem”, a ser apresentado pelo tecido urbano de Salvador em uma temporada virtual que traz o diálogo entre teatro de rua e educação patrimonial.

Inspirado no desfile do Dois de Julho, esta ocupação cultural passará por quatro praças da capital baiana com exibição virtual aos sábados do mês de abril (03, 10, 17 e 24), sempre às 14h, pela fanpage do projeto O Museu é a Rua.

A cada praça, a dramaturgia coringa homenageia um artista e/ou personalidade conforme a seguinte programação: na Praça dos Trovadores (Fazenda Grande do Retiro), no dia 3 de abril, será o compositor Catulo da Paixão Cearense; no Largo da Soledade (Liberdade), no dia 10 de abril, em que está localizada a Estátua a Maria Quitéria, o grupo homenageia as mulheres que participaram da Independência da Bahia.

Já no dia 17 de abril, no Busto a Labatut, no Largo da Lapinha (Lapinha), é a vez do espetáculo de caráter educativo patrimonial homenagear caboclos e guerreiros que participaram do Dois de Julho. Para encerrar seu desfile artístico, *O Museu é a Rua* vai a herma do escritor, jornalista, advogado e poeta preto Luiz Gama, no Largo do Tanque, no dia 24 de abril, para recitar seus versos e Trovas Burlescas, festejar a importância deste para o povo preto e sua libertação.


Por conta da pandemia, esta nova temporada terá uma configuração diferenciada, em vez de interagir na presença física com passantes e moradores locais, os artistas do “A Pombagem” vão à rua para gravar as cenas e estas serão exibidas virtualmente através da fanpage do projeto *O Museu é a Rua*.

Para Manu Ribeiro, produtora do projeto, esta configuração virtual possibilita “adentrarmos no universo das plataformas digitais e ampliarmos, assim, o alcance de nossas produções culturais. Isso viabilizará uma abrangência maior e possibilitará o amplo acesso. Isso não compromete a essência do projeto, uma vez que se mantém elementos do espetáculo (o cenário, a dramaturgia e a direção de encenação)”.

Em *O Museu é a Rua*, o espetáculo se transforma em exposição e o público em visitante. O local da apresentação vira uma galeria de arte em que o monumento é a obra que dispara o discurso. O projeto conta com exposição de fotografias que retratam o nosso patrimônio cultural.

Ocorrerão ainda às rodas de conversa a serem transmitidas ao vivo nos mesmos sábados, sempre às 19 horas, pelo Instagram do grupo A Pombagem. Em formato de lives, os bate papos terão como convidados artistas de teatro de rua que dialogam com a questão do patrimônio cultural. No dia 03 de abril, a artista Janete Brito, integrante do A Pombagem, conversa com Mirna Rolim e Bruno Dutra, ambos da Cia Benedita na Estrada (Campinas/SP).

*Dramaturgia*
O texto do espetáculo *O Museu é a Rua* é alterado a cada apresentação, pois o monumento é o que inspira a dramaturgia. Por exemplo, a inspiração para o texto do espetáculo a ser apresentado na Praça dos Trovadores – “Praça dos Poetas”, na Fazenda Grande do Retiro, no dia 03 de abril, a partir das 14h, é o Busto a Catulo da Paixão Cearense, em que os artistas educadores patrimoniais contam a vida e obra deste compositor maranhense através de letra e melodia da música “Luar do Sertão”.

Brito explica que a dramaturgia se dá a partir de como cada monumento afeta os integrantes do grupo A Pombagem. “Fazemos uma pesquisa do que foi aquele acontecimento cívico, político, a figura histórica do busto. Mas há uma perspectiva para além do que está legitimado pela historiografia, a de compreender como os moradores se apropriam daquele espaço público, logo que cada um tem certa história com a localidade”.

Como inspiração, A Pombagem usa a festa do Dois de Julho, que tem uma dimensão espetacular que dialoga com monumentos públicos para construir o conceito de teatro-monumento, que é uma proposta de Educação Patrimonial por meio do Teatro de Rua. “É um espetáculo que aciona três expressões da cultura: arte, educação e patrimônio, este como expressão ligada à memória”, destaca o dramaturgo.

Com poética ativista, o espetáculo traz uma visão crítica que ora valoriza e ora problematiza a memória exposta. Através da educação patrimonial, *O Museu é a Rua* busca combater as tecnologias que estruturam as relações sociais e as tecnologias de manutenção do poder.

O projeto é contemplado pelo Prêmio Jaime Sodré de Patrimônio Cultural, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador, por meio da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, com recursos oriundos da Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo, Governo Federal.

Serviço
O quê: espetáculo O Museu é a Rua
Quando: 03, 10, 17 e 24 de abril (sábados), às 14h
Temporada virtual:
facebook.com/omuseuearua

O quê: batepapo O Museu é a Rua
Quando: 03, 10, 17 e 24 de abril (sábados), às 19h
Temporada virtual:
instagram @apombagem

Pesquisa e experimentação do improviso teatral no ambiente virtual é tema do projeto Épico (Experimentação e Pesquisa do Improviso na Cena On-line), que em fevereiro vai ocupar as redes sociais.

O projeto estabelece um processo de treinamento na linguagem de improvisação teatral em formato virtual. Durante este mês, serão promovidos oito vídeos curtos de improviso, uma temporada com quatro apresentações on-line e diálogos com pesquisadores.

Encabeçado pelos atores-improvisadores Daniela Chávez, Fabio Vidal, Maria Clara Mendes e Ruan Passos, o projeto convida os artistas e pesquisadores Meran Vargens, Hebe Alves, Celso Jr. para debater o universo da improvisação teatral e os desafios dos tempos atuais.

Os encontros ocorrerão nos dias 16, 19, 23 e 26 de fevereiro, às 19h, no Instagram da Cia Improviso Salvador (@improviso_salvador).

A improvisação teatral é uma linguagem baseada na técnica de criação espontânea, e não se sustenta em um texto ou em cenas previamente estabelecidas. O método consiste em interpretar algo que não foi previamente pensado, escrito ou elaborado. O espetáculo é criado no aqui-agora, junto ao público, no exato momento da apresentação.

Por meio de suportes audiovisuais e uso da tecnologia streaming, os atores-improvisadores Daniela Chávez, Fabio Vidal, Maria Clara Mendes e Ruan Passos, com roteiro e direção de Daniela Chávez, junto a orientação de encenação de Luana Proença, vão realizar espetáculos com técnicas, estéticas e dramaturgias baseadas na improvisação teatral. A temporada de espetáculos será realizada, ao vivo, nos dias 18, 21, 25, 28 de fevereiro, às 20h, com a interação do público pelo canal da Cia Improviso Salvador no YouTube.

Ao longo do mês, oito vídeos curtos e experimentais, com narrativas baseadas em processos improvisacionais, denominados Ensaio Pan, serão lançados nas redes sociais e no canal no YouTube da Cia Improviso Salvador.

Uma realização da Cia de Improviso Salvador, Território Sirius Teatro e Multi Planejamento Cultural, o projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Serviço
Redes sociais: https://linktr.ee/epicoonline
Ensaio PAN – 8 vídeos curtos lançados ao longo do mês nas redes sociais do projeto

Lives no Instagram (terças e sextas-feiras, às 19h)
16/2 – Ruan Passos convida o elenco (Daniela Chávez, Fábio Vidal, Maria Clara Mendes)
19/2 – Daniela Chávez convida Meran Vargens
23/2 – Fabio Vidal convida Hebe Alves
26/2 – Maria Clara Mendes convida Celso Jr.

Apresentações do espetáculo no YouTube: 18, 21, 25, 28 de fevereiro, às 20h

Foto do espetáculo “Pele Negra, Máscaras Brancas”

Com mais de 20 ações, projeto idealizado pela Fred Soares Produções, está com inscrições abertas para  curso de dramaturgia com Marcio Abreu e convocação para montagem e exibição de espetáculo inédito.

Serviço
O Quê: Catálogo Brasileiro de Teatro – Curso Dramaturgias do hoje e do amanhã – com Marcio Abreu

Quando: 10, 17, 24 de Fevereiro, 03 e 10 de Março, das 19h às 21h
Liberação de acesso: palco@fredsoares.com.br

Com uma programação que reúne artistas nacionais renomados como Eduardo Moscovis e Ana Lúcia  Torre (Norma), Renata Sorrah (em Renata Sorrah em Companhia), Débora Falabella e Yara de Novaes (Neste  Mundo Louco, Nesta Noite Brilhante) e Otávio Muller (Questão de Falha), o Catálogo Brasileiro de Teatro  apresenta sua primeira versão digital e com uma programação totalmente gratuita após mais de 20 anos de  experiência devido a pandemia de Covid-19.

Renata Sorrah

A primeira ação do projeto é a Oficina “Dramaturgias do Hoje e do Amanhã” com com o ator, diretor  e dramaturgo Márcio Abreu, da Companhia Brasileira de Teatro, a ser realizado pelo Zoom todas às quartas de 10 de fevereiro a 10 de março, das 19h às 21h, cujas inscrições para acesso a oficina devem ser solicitadas pelo email palco@fredsoares.com.br.

O evento conta ainda com uma programação baiana – Salvador e interior: Pele Negra, Máscaras  Brancas – da Cia Teatro da UFBA, A Travessia do Grão Profundo, os solos Medéia Negra, Criança Ferida, GbaGbe, Rosas  Negras, o infantil A Vaca Lelé, da Cia Baiana de Patifaria, e o espetáculo cênico-musical  #ComproVendoTrocoAmor._ O Catálogo Brasileiro de Teatro contemplará ainda uma montagem inédita  produzida exclusivamente para versão digital (online ou exibição).

Fred Soares

Reconhecido como um dos maiores projetos de circulação e difusão nas artes cênicas, a versão online  do Catálogo traz artistas e grupos de diversas regiões do país: Belo Horizonte, Curitiba, Recife, Rio de Janeiro,  São Paulo, além de Salvador e cidades do interior da Bahia. Além dos espetáculos e artistas citados acima,  Tudo Que Cabe Em Uma VHS (Magiluth/PE) e Tá Tudo Treta e a Poesia Rege (Companhia do Tijolo/SP)  também integram a mostra nacional _Tudo Que Você Quer Ver na Web_.

Sob a direção de Paulo de Morais, da Companhia Armazém de Teatro, os interessados na montagem  devem enviar texto do espetáculo, argumento ou projeto cênico para o email palco@fredsoares.com.br, até o  dia 08 de Fevereiro, apresentando também informações acerca do elenco. A produção  contemplada receberá um prêmio para produção da montagem que terá sua apresentação de estreia em 28 de  Março no canal youtube.com/fredsoaresproducoes.

*Leitura*
Haverá ainda uma leitura dramática do texto de Luiz Antônio Sena Jr, uma adaptação da obra Pequeno  Manual Antirracista, de Djamila Ribeiro. Dirigido por Fred Soares, a encenação será feita pelas atrizes Denise  Correia, Ella Nascimento, Marcia Limma e Valdineia Soriano e revisita 10 lições breves que Djamila aponta  em seu livro para entender as origens do racismo e como combatê-lo. A exibição acontecerá dia 27 de Março,  em comemoração ao Dia Mundial do Teatro, no canal youtube.com/fredsoaresproducoes.

*Formação*
Em sua versão digital, o Catálogo Brasileiro de Teatro realizado desde 2000 em Salvador pela Fred  Soares Produções realizará a ação formativa Pra Trocar Experiências que trará cursos, bate papos, oficinas e  aulas expositivas em fevereiro e março. O primeiro é o Dramaturgias do hoje e do amanhã, que se debruça  sobre as relações entre dramaturgia e encenação.

Para participar dos cinco encontros deste curso – 10, 17, 24 de fevereiro, 03 e 10 de março – de duas  horas cada os interessados devem se inscrever através do perfil do Catálogo no Sympla. O curso tem caráter  expositivo e abordará de maneira analítica, contextual e relacional um repertório dramatúrgico que traz as  principais criações de Abreu – PROJETO BRASIL, Preto, Nós e Outros – e de autores como Paulo Leminski,  Hanoch Levin, Grace Passô, Alexandra Badea, entre outrxs.

Além do curso de dramaturgias, o Catálogo Brasileiro de Teatro traz a aula expositiva “Trajetória vocal  de uma atriz”, com Laila Garin; bate papo sobre “Teatro, Tecnologia e Presença Remota”, com Mariana Lima  Muniz; “Desconstruindo o Teatro real para o Digital”, com a participação das atrizes Debora Falabela e Yara  de Novaes.

O Catálogo Brasileiro de Teatro conta com o apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria  de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc,  direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.

*PROGRAMAÇÃO*

*TODOS OS ESPETÁCULOS FICARÃO DISPONÍVEIS 24H, a partir das 20h do dia abaixo, COM EXCEÇÃO DE “QUESTÃO DE FALHA”, QUE OCORRERÁ AO VIVO ÀS 21H30, E “TUDO QUE CABE NUMA VHS”, INTERATIVO E EM HORÁRIOS DIFERENTES POR ESPECTADOR. O infantil A VACA LELÉ será disponibilizado a partir das 15h.*

07/02 – FINAL DE INSCRIÇÕES PARA MONTAGEM TEATRAL
10/02 – OFICINAS “DRAMATURGIAS DE HOJE E DO AMANHÔ COM MARCIO ABREU
12/02 – RESULTADO MONTAGEM TEATRAL

19/02 – ESPETÁCULO ONLINE “LUGAR DE FALHA”
20/02 – ESPETÁCULO ONLINE “LUGAR DE FALHA”
21/02 – EXIBIÇÃO ESPETÁCULO “EU VEJO VOCÊ, ROSAS NEGRAS”

26/02 – EXIBIÇÃO ESPETÁCULO EXIBIÇÃO ESPETÁCULO “PELE NEGRA, MÁSCARAS BRANCAS”
27/02 – EXIBIÇÃO ESPETÁCULO “RENATA SORRAH EM COMPANHIA”
27 E 28/02 – ESPETÁCULO INTERATIVO “TUDO QUE CABE NUMA VHS”
28/02 – EXIBIÇÃO ESPETÁCULO “GBAGBE”

05/03 – EXIBIÇÃO ESPETÁCULO “NORMA”
06/03 – EXIBIÇÃO ESPETÁCULO “#COMPROVENDOTROCOAMOR”
07/03 – EXIBIÇÃO ESPETÁCULO “TÁ TUDO TETRA E A POESIA REGE”

09, 10, 11 E 12/03 – OFICINA “TEATRO, TECNOLOGIA E PRESENÇA REMOTA” COM MARIANA LIMA MUNIZ

12/03 – EXIBIÇÃO ESPETÁCULO “MEDEIA NEGRA”
13/03 – EXIBIÇÃO ESPETÁCULO “NESTE MUNDO LOUCO, NESTA NOITE BRILHANTE”
14/03 – BATE PAPO “DESCONTRUINDO O TEATRO REAL PARA O DIGITAL” COM DEBORA FALABELLA

18/03 – AULA EXPOSITIVA “A TRAJETÓRIA VOCAL DE UMA ATRIZ” COM LAILA GARIN
19/03 – EXIBIÇÃO ESPETÁCULO “CRIANÇA FERIDA”
20/03 – EXIBIÇÃO ESPETÁCULO “A TRAVESSIA DO GRÃO PROFUNDO”
20/03 – EXIBIÇÃO ESPETÁCULO INFANTIL“A VACA LÉLÉ”

27/03 – EXIBIÇÃO LEITURA DRAMÁTICA “PEQUENO MANUAL ANTIRRACISTA”
28/03 – EXIBIÇÃO MONTAGEM TEATRAL

Elenco da Comédia Além do Carmo foto Divulgação
Elenco da Comédia Além do Carmo

Stand up Comedy no Centro Histórico de Salvador. Essa é uma das propostas do Comédia Além do Carmo, projeto itinerante que possui uma identidade atrelada a um dos bairros mais charmosos da cidade e une grandes nomes na comédia baiana e novos comediantes, chamados de open mic´s. O encontro acontece no dia 10 de novembro a partir das 17h, no Casarão Filhos de Jorge. Com a ideia de contribuir no fortalecimento da cena local, a edição de Novembro terá como Mestre de Cerimônia o comediante Ivan Santos que também é ator, escritor, dramaturgo e acaba de estrear seu grupo de stand comedy, o Comédia 3×4. Neste ano Ivan completou 8 anos de Comédia já tendo se apresentado nos maiores eventos e projetos da cidade.

O elenco da quarta edição será formado por Juninho Brandão, Marcos Musse, Camila Giulia, Raoni Beta, Vitor Magalhães, Daniel Ferreira e contará com microfone aberto para Matheus Aziz e Caio Cesar, além de participações que ainda não foram divulgadas. Os ingressos custam R$10 e podem ser adquiridos através do Sympla ou no local do evento (sujeito a lotação).

 

Com Dendê - o nosso musical Foto Divulgação

 

Um espetáculo apaixonante, vibrante e inesquecível que mistura música e humor para traduzir a Bahia e mostrar as dores e as delícias de ser baiano. Assim será  Com Dendê – o nosso musical, que será apresentado a baianos e turistas no Teatro Módulo, na quinta (24) e sexta-feira (25), a partir das 20 horas. Além da pluralidade e ginga, o show, que tem direção geral de Viviane Lopes, destaca outras marcas registradas do povo baiano, tais como a alegria, a pimenta – nas comidas e nas relações e, claro, o dendê.

A peça teatral tem a Bahia como cenário da vida de João, um jovem que vive com a mãe e sonha em ser cantor. O espetáculo traz situações típicas baianas, de fácil identificação do público, mas também é super indicado para turistas que vêm a Salvador interessados em conhecer a cultura local. “Quem é daqui vai se ver no musical, mas os turistas que estiverem na plateia vão se apaixonar ainda mais por nossa Bahia. Por isso, acreditamos na força deste espetáculo como atração turística e, claro, como ícone de valorização da nossa cultura”, explicou Viviane Lopes.

A classificação do espetáculo é livre e os ingressos podem ser adquiridos no Teatro Módulo ao valor único de R$ 30. Imperdível.

 

Foto Rafaela Bandeira

O Grupo Cor de Teatro, fechou o final de semana com as duas sessões do espetáculo Confissões de Adolescente, esgotadas, no Teatro Eva Herz, da Livraria Cultura, no Salvador Shopping. Dirigida e produzida por Henrique Bahia, a peça – primeira a ser encenada pelos alunos da turma de adultos do grupo – abordou as questões que envolvem o universo complexo dos adolescentes.  No elenco, a Ex – BBB Carol Peixinho fazendo o papel de uma mãe protetora e cuidadosa.

A ex-BBB Carol Peixinho fez parte do elenco Foto Rafaela Bandeira

“Estou me sentindo feliz e realizado. Sensação de missão cumprida e recompensa, após muito esforço e dedicação dos alunos. O conjunto da obra que faz o sucesso! O público amou! Estamos satisfeitos”, celebra Henrique Bahia.

 

Danilo Cairo 📷 Diney Araújo

Serviço

O quê: O Último Capítulo – solo com Danilo Cairo
Quando: 04, 11 e 18 de setembro, 20h
Onde: Sala do Coro do Teatro Castro Alves
Ingresso: R$ 30 inteira e R$ 15 meia – disponíveis para compra no site www.ingressorapido.com.br

Integrando a campanha nacional SETEMBRO AMARELO, a montagem *O Último Capítulo* – solo com o premiado ator baiano Danilo Cairo, inspirado no conto escrito em 1883 por Machado de Assis – volta a cartaz para curta temporada nos dias 04, 11 e 18 de setembro, às 20h, na Sala do Coro.

Com o objetivo de reforçar e potencializar a importantíssima campanha, o projeto realizará diariamente o bate-papo _TEM PSICOTERAPEUTA NA PLATÉIA_, com dois profissionais da área de psicologia sobre o tema abordado na obra: suicídio. A ação conta com o apoio do Centro de Valorização da Vida (CVV), do Núcleo de Estudo e Prevenção ao Suicídio (NEPS) e da Associação Brasileira de Estudo e Prevenção ao Suicídio (ABEPS).

A montagem baiana incorpora à atmosfera tragicômica do texto um tom intimista, interativo e contemporâneo, que caminha sobre o terreno misterioso da representação do narrador-suicida Matias Deodato – um bacharel em Direito que se afirma como “um grande caipora, o mais caipora de todos os homens”, um azarado que acredita acumular na vida uma sequência de infortúnios que justificam a sua decisão.

Para isso, Mathias decide montar um espetáculo de teatro com o objetivo de encenar o seu último dia, compartilhando com o público as histórias da sua vida e pensamentos sobre o sentido da existência, a metáfora da morte, as contradições do amor, as heranças da família e questionando o que vem a ser a felicidade e quais são os motivos que nós temos pra se manter vivos nos dias de hoje.

“Cansado e aborrecido, entendi que não podia achar a felicidade em parte nenhuma; fui além: acreditei que ela não existia na terra, e preparei-me desde ontem para o grande mergulho na eternidade. Será que a vida que a gente constrói não passa de um sonho? De um espetáculo? ” pergunta- se a personagem.

A partir desse enredo, de passagens autobiográficas e de questões que abordam esperança, amizade, contradições, realização, sonho, vida e morte, o ator Danilo Cairo vai assumindo diversas subjetividades e tecendo sua relação com o universo machadiano e a plateia; entrelaçando ficção, memória e realidade.

O espetáculo, montado em 2018 para comemorar os 15 anos de carreira do ator Danilo Cairo, tem direção de Kleber Sobrinho e Rui Manthur, o espetáculo reinventa o próprio conto, ao explorar a metalinguagem e as interfaces ficcionais que podem nascer das possíveis identidades, defendidas pelo intérprete, para recontar e mesmo recriar essa narrativa, como, por exemplo, transpor o local de nascimento do protagonista, Matias Deodato, de Corumbá (Mato Grosso do Sul) para o Recôncavo Baiano; ou ainda inserir memórias familiares que dialogam com as experiências da personagem.

O texto é do próprio ator e do dramaturgo Daniel Arcades, vencedor na categoria Texto do Prêmio Braskem de Teatro 2016. A obra propõe conectar essa história com dramas da atualidade e referências locais. Um olhar para a percepção da felicidade nos aspectos simples da vida. Sinalizar para a dimensão do que é contar com um amigo ou amiga em momentos limites da vida. Falar de aflições para quem sabe se fortalecer, renascer e transformar-se. Mudar e reconfigurar o caminho.

Setembro Amarelo
O Brasil registra um suicídio a cada 45 minutos, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Na Bahia, de acordo com os mesmo dados, uma pessoa se suicida diariamente. Com isso, o Toca de Teatro propõe a realização das três primeiras edições do TEM PSICOTERAPEUTA NA PLATÉIA: um projeto artístico formativo que prevê a realização de apresentações de O Último Capítulo mais um bate-papo com dois profissionais da área de psicologia de linhas distintas.

Os especialistas mediarão uma conversa com o público sobre o tema abordado na obra, ampliando as possibilidades de diálogos e aprofundamentos sobre o assunto apresentado. No dia 04 de setembro, o tema é Suicídio e as Relações Pessoais, com os psicólogos Avimar Júnior e Luca Tateo. Já no dia 11 de setembro, as convidadas Ludimila Nunes, Soraya Carvalho e Maria José Carvalho falarão sobre Suicídio na Adolescência.

Por fim, no dia 18 de setembro, o tema do bate-papo é Suicídio e a Espetacularização na Era Digital, com os especialistas Maria Virgínia Dazzani e Marcelo Veras. A campanha nacional SETEMBRO AMARELO, uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida, do Conselho Federal de Medicina e da Associação Brasileira de Psiquiatria. O bate-papo também contará com a participação de representantes dessas instituições, que apoiam o projeto idealizado por Danilo Cairo.

Castello foto Henrique Resende

O cantor Castello está de volta à capital baiana para uma apresentação única do seu show Intimista, na sexta-feira31 de maio, no Teatro SESC Casa do Comércio , às 21h. Na apresentação, que trará um pouco da sua história, o artista estará acompanhado da musicista mineira Luiza Bruna. Castello cresceu rodeado por influências nada convencionais que o transformaram em um artista sensível o bastante para tocar o coração de seus fãs no primeiro acorde, ao mesmo tempo, em que embala os corpos com ritmos de êxtase sensorial.

Difícil de explicar, mais difícil ainda de rotular, o show promete embalar os mais diversos sentimentos do público presente em uma noite para ficar na memória. Prestes a lançar seu novo álbum, a apresentação contará com as principais músicas dos álbuns Sintoma e Serviço, além de uma roupagem inédita de canções. O show já  passou por várias cidades do Brasil e também por cidades na Europa e México.

Castello por Henrique Resende

Natural do Rio de Janeiro e com passagem por São Paulo, Castello elegeu agora Minas Gerais como sua casa-estúdio pelos próximos meses onde irá conceber e gravar seu terceiro álbum, com lançamento previsto para meados de 2019. Com o ar das montanhas como inspiração e na companhia de Ruben di Souza – produtor duas vezes ganhador do Grammy – Castello vislumbra um passo importante com este novo trabalho de uma música que reluz e é cada vez mais necessária para tempos obscuros.

DE UM TUDO Divulgação

Devido ao grande sucesso de crítica e público, “De Um Tudo”, prorroga a temporada e anuncia mais três apresentações nesse mês de abril. A peça, dirigida por Fernando Guerreiro, o espetáculo musical estará em cartaz nos sábados, 14, 21 e 28/04, no Teatro Sesc Casa do Comércio (Pituba), sempre a partir das 20h. Retratando de forma satírica e bem humorada a identidade baiana, a peça discute a baianidade para além dos rótulos e propõe uma reflexão sobre a linguagem e os costumes desse povo criativo que deu vida ao “baianês” . “É um trabalho de reconhecimento da nossa maneira de ser e reflexo de uma baianidade construída a partir de Jorge Amado, Caribé, Caymmi e também de todos nós”, ressalta o ator Diogo Lopes Filho.

Elenco no palco Foto Marina Alfaya Divulgação

O cenário, assinado por Euro Pires, reproduz e resgata um lugar tipicamente baiano: as coloridas barracas de festas populares, que no espetáculo é representada pela Barraca de Dona Nadú. No elenco, a cantora Ana Mametto – que concorre ao prêmio de Atriz Revelação pelo Prêmio Braskem de Teatro, Alexandre Moreira, Denise Correia, Diogo Lopes Filho, José Carlos Júnior e o cantor e compositor Gerônimo Santana.  “De um Tudo” é uma realização de Paula Hazin e produção executiva de Rafael Rebouças e Saulo Robledo. Assinam o roteiro Alan Miranda e Daniel Arcades . O espetáculo conta também com direção coreográfica de Rita Brandi, figurino de Euro Pires e iluminação de Irma Vidal.

DE UM TUDO Divulgação

 

Espetáculo Musical “De Um Tudo” – ULTIMAS APRESENTAÇÕES

Local: Teatro Sesc Casa do Comércio

Data e hora: Sábados de abril (Dias 14, 21 e 28), às 20h

Ingressos: R$ 60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia)

Vendas: no local e no compreingressos.com

Classificação: 14 anos

Foto: Márcio Meirelles/Divulgação

Tem estreia nesta quinta-feira (05), às 20h, no Teatro Vila Velha, o espetáculo Espelho para Cegos, sob direção de Márcio Meirelles.  A montagem se utiliza de multilinguagens, com elemento de audiovisual, teatral e a música original de João Meirelles. Na abordagem, Espelho para Cegos atualiza a investigação sobre os mecanismos de um sistema que faz lavagem cerebral, manipula, silencia, corrói, isola, devora e tira vidas para combater quaisquer ameaças à sua perpetuação. “O que está no palco é o que vivemos: a cidade vazia, fechada em círculos, pessoas fugindo para outros lugares. Um sistema de forças em decomposição, que leva ao marasmo indolente e à permanência de tudo como está”, reflete Meirelles.  A montagem segue em cartaz durante o mês de abril, de quinta a sábado, 20h e Domingo, 19h e os ingressos custam de R$10 a 30.

Montagem Espelho parra Cegos em sua 2ª edição faz estreia no Teatro Vila Velha. Foto: Márcio Meirelles/Divulgação

SERVIÇO

O que: ESPELHO PARA CEGOS – 2ª edição

Onde: Teatro Vila Velha, Passeio Público – Campo Grande

Quando:  05, 06, 07, 08, 12, 13, 14 e 15/04.  Horários: quinta a sábado 20h e domingo 19h

Classificação etária: 14 anos  / Duração: 1h30

Preços: quinta R$ 20 e R$ 10 e sexta a domingo R$ 30 e 15

Ingressos à venda no site www.teatrovilavelha.com.br


SA Agência Digital