sábado, 31 julho 2021
Tags Posts tagged with "Monica Millet"

Monica Millet

Japa System e Carlinhos Brown por Luca Castro

Faixa integra primeiro álbum do artista, com lançamento 18 de junho e que ainda traz as participações de BNegão, Larissa Luz e Gabi Guedes

“Sistema Percussivo Integrado” é o nome do disco de estreia do músico e produtor Japa System. Apostando na experimentação de texturas e na percussão híbrida, misturando elementos orgânicos e sintéticos, o artista, que integra o grupo BaianaSystem há seis anos, assina as oito faixas do álbum e reúne, entre outros nomes, Carlinhos Brown, BNegão, Larissa Luz e referências na percussão, como Gabi Guedes (Orkestra Rumpilezz), Mônica Millet (neta de Mãe Menininha do Gantois e uma das primeiras mulheres percussionistas do Brasil) e Marcos Suzano.

O primeiro single, “Tum-Kata-Kruáka”, com a participação de Brown, será lançado no próximo dia 21, junto com um clipe de animação assinado por Pablo Pitombo. O álbum completo chega às principais plataformas de streaming 18 de junho, acompanhado de um curta documental, mostrando um pouco do processo criativo e das raízes da sua música.

Japa e Mônica Millet por Luca Castro

Com influências da Capoeira, Candomblé, Samba Duro e Samba de Roda, o primeiro disco de Japa System junta timbal e atabaque a baldes e frigideiras, sonoridades tiradas de barras de ferro, cascas de árvores, pele e couro de animais, com sintetizadores, samplers e bases eletrônicas. O resultado são três faixas instrumentais – com a tríade percussiva Suzano, Gabi Guedes e Mônica Millet na faixa título – e cinco cantadas, onde Japa divide os vocais com o próprio Brown, além de Larissa Luz (“Gente que vem, povo que vai”, com direito ao colega de Baiana, Robertinho Barreto, na guitarra) e BNegão (“Trindade”).

“No Baiana, eu já dobro as vozes com Russo (Passapusso), então tenho essa intimidade. Mas cantar mesmo é a primeira vez”, explica ele. “Quando eu ouvia as músicas, vinham junto as ideias melódicas e comecei a solfejar. Depois, fui pra caneta, as letras foram nascendo e acabou ficando mais cantado mesmo”.

Gravado nos estúdios da Pracatum, Ilha dos Sapos e Casa das Máquinas, “Sistema Percussivo Integrado” tem produção e direção do próprio Japa em parceria com o companheiro de BaianaSystem, João Meirelles, e masterização e mixagem de Victor Vaughan. O lançamento é pelo selo Candyall Music.

O documentário que acompanha o projeto irá mostrar o processo construtivo do disco e um pouco do porquê da participação dos convidados. O roteiro inclui momentos das gravações e um rolé no Candeal, contando um pouco da trajetória de Japa, os primeiros toques no timbal e os anos de Timbalada (ele integrou o grupo por três anos). Com 23 anos de carreira, o artista já tocou em festivais como o Lollapalooza e Rock in Rio, e rodou Europa e Estados Unidos, além de acumular premiações, como o 28º Prêmio da Música Brasileira (2017) e o Grammy Latino (2019) – ambos ao lado do BaianaSystem.

“Sistema Percussivo Integrado” tem apoio financeiro do Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura e da Fundação Pedro Calmon (Programa Aldir Blanc Bahia), via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.


SA Agência Digital