quinta-feira, 29 setembro 2022
Carpe Diem Morro
Tags Posts tagged with "Malfeitona"

Malfeitona

Imagem: Rodrigo Gianesi

Malfeitona, artista baiana conhecida por suas tatuagens “feias” e por levantar
discussões sobre padrões de beleza na arte, faz participação no segundo disco de
Sebastianismos, “Tóxico”, com a música Se Nem Deus Agrada Todo Mundo Muito Menos
Eu. A canção, que será lançada esta quarta-feira (25), trata de ignorar as críticas para fazer
arte do seu próprio jeito, algo que Malfeitona conhece de primeira mão – seu estilo de tatuagem
foi duramente criticado, sendo hoje reconhecido mundialmente.

Tatuadora e mestra em comunicação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), a
baiana é artista visual, influenciadora digital e agora está começando oficialmente a se envolver
com música – antes, contava apenas com algumas participações curtas no currículo – sendo Se
Nem Deus Agrada Todo Mundo Muito Menos Eu seu primeiro produto musical sólido.

Mesmo inovando na área artística, a canção não poderia ser mais alinhada com Malfeitona: “É
mais sobre realmente ir, fazer, se expressar, sem necessariamente se encaixar em um padrão –
tirar essa pressão das pessoas que faz com que elas se sintam presas, sem conseguir mostrar
seus trabalhos. A música busca trazer alívio e dar uma força para quem está precisando dessa
injeção de coragem. Sabemos que enfrentar críticas é difícil, tanto de pessoas desconhecidas
da internet quanto de pessoas próximas, mas a gente tem que seguir nosso coração e fazer”.

A música pop punk se encaixa com a estética da artista, que já carrega o visual disruptivo do
punk em suas artes e em si mesma – sendo conhecida como a “darkzera da Bahia” por ser uma
roqueira soteropolitana, já tendo abordado diversas vezes em entrevistas e ilustrações o
conceito que ela chama de “tropical darkzera”.

Além disso, a música é parte do movimento Tropikal Punk de Sebastianismos.
Conhecido também por seu trabalho na explosiva e politizada Francisco el Hombre e atuante
na música e cena cultural desde os 14 anos de idade, ele cresceu no meio da contracultura
latinoamericana. Alinhado aos ideais do movimento punk, o músico mexicano-chileno
naturalizado brasileiro sentiu a necessidade de criar um movimento próprio, acrescentando um
tempero tropical ao inserir pautas e estéticas que representam o contexto latino.

“O Tropikal Punk é dar um nome a uma cena que já existia e que sempre fiz parte. Me identifico com o disruptivo, a transgressão, o questionamento e o faça-você-mesmo do Punk Rock, mas é o
tempero tropical que cria um movimento nosso, com pautas e contextos nossos”, diz
Sebastianismos.

Sebastianismos e Malfeitona são companheiros e Se Nem Deus Agrada Todo Mundo Muito Menos Eu é uma das várias parcerias artísticas entre os dois – do mesmo jeito que ela foi puxada para o universo da música, ele foi puxado para o universo das artes visuais, sendo o responsável pela arte de capa do álbum. “Tóxico” conta com duas participações soteropolitanas: além de Malfeitona, o rapper Faustino faz feat em “Indestrutível”. O disco também tem participações do baterista do NX Zero, Daniel Weks, da banda Fresno e de integrantes da banda CPM22, o cantor Badauí e o guitarrista Phill Fargnolli.

FICHA TÉCNICA
Se Nem Deus Agrada Todo Mundo Muito Menos Eu | Sebastianismos + Malfeitona
Produção: Sebastianismos
Composição: Sebastianismos
Guitarra: Sebastianismos e Alexandre Zampieri
Baixo: Helena Papini
Bateria: Andre Dea
Voz: Sebastianismos e Malfeitona
Mix: Alexandre Zampieri
Master: Alexandre Zampieri


SA Agência Digital