domingo, 14 abril 2024
Bombar
Tags Posts tagged with "Luciano Calazans"

Luciano Calazans

Foto divulgação

A turnê terá oito dias de show de 11 até 28 de abril

Baixo e voz, o baixo e a voz, o homem e a mulher, o macho e a fêmea. Baixo e Fêmea: o som grave e o agudo, o yin e o yang, o uno e o verso. Formado em 2015 pelo Maestro Luciano Calazans e pela cantora Tais Nader, o projeto arrojado é um show onde apenas o Baixo Elétrico e a voz preenchem o espetáculo completamente, o projeto chega na Europa após um hiato de 4 anos. Estão no roteiro de shows oito cidades do Velho Continente, como: Sevilha (Espanha), Lisboa (Portugal), Malaga (Espanha), entre outras.

Com duração de 70 minutos, ele conta com um repertório bastante eclético, com músicas autorais de cada um deles, parcerias dos dois, revisitando, assim, o melhor da nossa música, incluindo sucessos antológicos como: “Esotérico” (Gilberto Gil), “Avassaladora” (Gonzaguinha), “Comida” (Arnaldo Antunes/ Marcelo Fromer / Sérgio Britto), “Balada de um Louco” (Rita Lee / Arnaldo Baptista / Sérgio Dias), entre outros. Tudo apresentado apenas pelo baixo, ora elétrico, ora acústico, e a voz.

O público é imerso numa vivência única e ao mesmo tempo despretensiosa, com fusão de teatro, música e poesia, num palco ocupado por apenas baixos elétricos – o contrabaixo comum, o fretless e o upright (contrabaixo vertical) – tocados por um só instrumentista, Luciano Calazans, soando ora como uma banda, ora como o próprio instrumento (o baixo).

“Essa deveria ser a definição para a música: “sons sem fronteiras” amo tudo isso. Tudo o que for música, está em meu sangue e em minha alma. E levara minha alma junto à alma da minha parceira de vida, Tais Nader, é uma ressignificação à minha vida, tenho certeza que a dela também.  Estou muito animado de celebrar 10 anos do projeto Baixo e Fêmea que nasceu em nossa casa e que é uma extensão da nossa casa aos palcos do mundo. Viva a arte!”, explica Luciano.

E a voz cantada de Tais Nader, por vezes entregue a solfejos, debruçada em canções e poesias, ou suntuosamente vocalizada, é colocada, assim, também como um instrumento musical e como interlocutor de idéias e ideais. Porém, incrivelmente, mesmo com todo o tanto apresentado, o show é essencialmente leve, divertido e picante.

De acordo com Tais, a turnê nasceu de um convite diretamente da Andaluzia (uma comunidade autônoma da Espanha) antes da pandemia e que não pode ser concretizada à época. O que só mostra que tudo tem seu tempo. “Nessa turnê estaremos em locais que variam de bares a centros populares chegando já no final da turnê a um Festival de Jazz anual de Cadiz que movimenta a cidade. Estamos felizes demais!”. Os ingressos para essa turnê variam em torno de $ 10 euros.

O projeto tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

SERVIÇO:

Baixo e Fêmea – Europa

11.04: SEVILHA | Espanha

CPM Cristobal de Morales

Workshop, 12h

12.04: SEVILHA | Espanha

Espacio Cultural Columbre, show 21h

13.04: GELVES | Espanha

Peña Flamenca Alto de La Fuente, show 21h

18.04: LISBOA |Portugal

Samambaia Bar, show 20h

20.04: LAGOS |Portugal

Clube Artístico Lacobrigense – show 21h

25.04: MALAGA | Espanha

La RitmoTK – show 20h (+ workshop 16h)

27.04: CADIZ |Espanha

Festival Internacional JazzVejer, show 20h

28.04: SEVILHA | Espanha

Assejazz, show 21h

Foto de João Pedro Rodriguez

A apresentação que terá participação especial da cantora Marinez, faz parte dos festejos da instituição e será transmitida no YouTube do projeto @vozesdavida

As vozes do Martagão!! É assim que o Coral Vozes da Vida é reconhecido dentro da instituição que completa no dia 17 de março, 59 anos de fundação. E dentro da programação de aniversário, os coralistas se apresentam, no Hospital Martagão Gesteira, dia 25 de março (segunda-feira), a partir das 10h30, com a participação especial da cantora Marinez. A apresentação será transmitida pelo canal do YouTube do projeto.

Formado por ex-pacientes do Hospital, o coral é uma extensão de atendimento humanizado, um trabalho terapêutico que proporciona mais leveza na rotina de cada participante. Para Beatriz Loiola, de 20 anos, o projeto representa renascimento, ela que é ex-paciente e está há 12 anos fora de tratamento, reflete sobre a importância de ser uma das vozes guia do Vozes da Vida.

“Me faz sempre lembrar do quanto sou forte, do quanto eu sou guerreira, agradeço muito por fazer parte desse encontro maravilhoso que leva para muita gente a esperança com provas vivas de que existe sim dias melhores, o importante é não parar de lutar”, explica.

Idealizado pelo Maestro Luciano Calzans, que tem uma relação de dez anos com o Martagão, o projeto foi pensado para promover a sensibilidade através da música, unindo o social e a arte mãe, através dos encontros e apresentações de um coral de pessoas que tem muita história para cantar. O intuito é também, através da musicalização, atuar tanto em termos terapêuticos, agindo com a coordenação motora, além do uso do canto como ferramenta poderosa de união e celebração abrindo a possibilidade de uma transformação perene e irrestrita. É terapia em forma de canto, é um conforto no coração de quem tem fé e esperança.

Nas palavras do Maestro, o Coral é mais um tentáculo da instituição dando, literalmente, voz ou vozes ao hospital através dos muitos ex-pacientes que são testemunhas oculares e auditivas do arcabouço de bem fazer que é o Martagão Gesteira, uma tarefa árdua e prazerosa.

“É transformar o que um dia foi sofrimento e incerteza em celebração e regozijo. Isso é o Coral Vozes da Vida. Isso é o Projeto Vozes da Vida.  É, através da música, do canto e encontros, agregar gente de diferentes nichos e com, digamos assim, a mesma visão sobre a importância da vida e da instituição tendo como espinha dorsal a música. Tenho certeza que essa coisa toda se transformará em legado e que as informações serão passadas de uma geração para outra, visto que o Coral é (e sempre será) aberto a todos os ex pacientes do Hospital Martagão Gesteira como se fosse outra fase — essa mais lúdica —  de tratamento. O tratamento terapêutico através dos sons das vozes e de instrumentos musicais.  Esse experimento vem dando certo e todos os participantes se sentem em família. Eu também”, declara.

O projeto tem patrocínio da RedeMiX e do Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda e apoio do Shopping Vitória Boulevard.

Foto divulgação

Foi uma tarde emocionante!! Nesta quarta-feira (17), o Maestro Luciano Calazans realizou a entrega das doações arrecadadas no show de celebração dos seus 50 anos em prol ao Hospital Martagão Gesteira, foram meia tonelada de leite em pó e um cheque de R$ 17.853,20. A abertura da cerimônia contou com a primeira apresentação do Coral Vozes da Vida na instituição que é referência no atendimento às mais diversas especialidades pediátricas do Norte e Nordeste.

Formado por ex-pacientes do Hospital, o Coral é pura gratidão ao Maestro pela iniciativa de transformar vidas.

“Nós precisamos agradecer, pela oportunidade de devolver de alguma forma tudo aquilo que nos foi dado. Entramos no Martagão sem chão, quebrados e conseguimos sair de lá com nossos filhos recuperados, com uma transformação nas nossas vidas por causa das lições que recebemos diante de tal desafio. Que o Senhor continue abençoando a sua vida, a sua família e a vida de cada pessoa que contribuiu para uma ação tão linda importante”, relata Liliane Botas, mãe de Arthur de 13 anos, que foi diagnosticado com LLAB – leucemia Linfóide aguda tipo B e passou dois anos em tratamento no Martagão, hoje faz parte do Coral.

O evento contou com a presença da Presidente de Honra da Liga Álvaro Bahia, entidade mantenedora do Martagão Gesteira, Rosina Bahia, patrocinadores e apoiadores do projeto, pacientes e funcionários da instituição.

O projeto Vozes da Vida tem a missão de promover a sensibilidade através da música, unindo o social e a arte mãe, através dos encontros e apresentações de um coral de pessoas que tem muita história pra cantar. O intuito é também, através da musicalização, atuar tanto em termos terapêuticos, agindo com a coordenação motora, além do uso do canto como ferramenta poderosa de união e celebração abrindo a possibilidade de uma transformação perene e irrestrita.

O projeto tem patrocínio da Redemix e do Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda.

Sobre o Martagão Gesteira

Instituição filantrópica que atende pacientes de todo o estado da Bahia pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Martagão Gesteira foi responsável, em 2022, por 63% das cirurgias oncológicas em pacientes de 0 a 14 anos, no estado. Foi responsável também por 44% dos tratamentos oncológicos; por 41% das cirurgias cardíacas e por 22% das cirurgias neurológicas. Em média, por ano, o Hospital atende a mais de 80 mil pacientes e realiza mais de 500 mil atendimentos, em 28 especialidades médicas.

Mais informações

E-mail: @coralvozesdavida@gmail.com 

Instagram: https://www.instagram.com/coralvozesdavida/

Youtube: https://www.youtube.com/@VozesdaVida

Foto divulgação

O maestro Luciano Calazans celebrará 50 anos de vida com um show em prol do Hospital Martagão Gesteira. Com 37 anos de carreira, Calazans convida músicos e artistas que fizeram parte dessa caminhada para um encontro musical na Casa Rosa, no Rio Vermelho, no dia 15 de janeiro (segunda-feira), a partir das 19h.

Além do show de Luciano e convidados, o evento contará com a participação do DJ Processman, na abertura da casa, e algumas surpresas. Para Luciano, será uma noite inesquecível com uma meta especial: “valorizar a vida e utilizar seu dom para ajudar a quem precisa”.

“Minha parceria com o Hospital Martagão Gesteira irá completar em 2025 dez anos! Tudo começou quando minha irmã Ivete Sangalo me convidou para atuar no concerto em prol do Martagão em 2015, escrevi todos os arranjos para orquestra, dirigi musicalmente e, numa visita com Ivete ao hospital conheci todo o belo trabalho desenvolvido e também a Dr. Rosina Bahia, presidente de honra. O vínculo foi imediato. Há muita verdade e entrega neste local que salva vidas e almas. Desde lá, faço questão de me fazer presente como posso. Celebrar os meus 50 anos com o propósito de doar a esse hospital tão necessário é uma honra, um verdadeiro presente que proponho receber coletivamente. Digo receber pois não se trata de uma doação. Recebo bem mais que doou sempre quando o assunto é o Martagão Gesteira”, conta Luciano, sob forte emoção

Para curtir o show e as “surpresas” da noite, o ingresso será uma lata de leite em pó, a ser recolhida na entrada. Por mês, o hospital utiliza uma média de 240 quilos de leite em pó para os pacientes.  Haverá, ainda, um estande da Loja do Martagão, com produtos que levam a marca da instituição filantrópica.

Maior hospital exclusivamente pediátrico do Norte Nordeste, o Martagão é referência no atendimento a diversas especialidades pediátricas. São 220 leitos, mais de 80 mil pacientes de todo estado e mais de 500 mil atendimentos por ano.

Foto divulgação

Com preparação vocal do cantor Samuel Marques, o projeto terá formação de 100 vozes de ex-pacientes do Hospital Martagão Gesteira

Idealizado pelo Maestro Luciano Calazans, com parceria do Hospital Martagão Gesteira e da Liga Álvaro BahiaVozes da Vida nasce de um desejo de sincronizar a voz e a cura, o objetivo é inter-relacionar música e saúde através das aulas e apresentações de um coral de pessoas que tem muita história pra cantar.

De acordo com o maestro Luciano Calazans, o Coral é um projeto de gratidão à vida para louvá-la. “Ele surgiu envolto por palavras melífluas e dulcíssimas de duas pessoas que amam a vida. Proferida por minha pessoa ao Martagão Gesteira representada pelo Dr. Carlos Emanuel, superintendente geral da Liga Álvaro Bahia e por sua vez do próprio doutor incansável que, também, afagou minha alma com pureza permeada de uma altivez linda! O Coral Vozes da Vida tem como objetivo principal unir o regozijo pelo viver à dádiva inerente a qualquer ser humano que é a de cantar como uma expressão cultural, de agregação, união e, também, de sensibilização para com a causa do Hospital Martagão Gesteira”, explica.   

Com a missão de dar voz à vida em toda a sua extensão, o projeto harmoniza os impactos da música com a coordenação motora, ressaltando a importância do canto na combinação dos diferentes tons, experimentando os efeitos sonoros, abrindo a possibilidade do uso da música como uma ferramenta de transformação.

“Esse projeto remete ao que há de mais sublime nas crianças do Martagão. Representa a superação, a vida, a esperança. É também, ao mesmo tempo, um ato de respeito e homenagem a todos os pacientes que já passaram por aqui. É alegria, reflexão e oração”, ressalta o superintendente geral da Liga Álvaro Bahia (mantenedora do Martagão Gesteira), Carlos Emanuel Melo.

Para participar do Coral é preciso ser ex-paciente do Hospital Martagão Gesteira, com vagas para adultos e crianças. De acordo com a coordenadora do projeto Tais Nader, a ideia não é restringir uma pessoa pela habilidade vocal dela, e sim prepará-la, partindo do princípio que todo mundo tem a música dentro de si.  As inscrições podem ser feitas através desse formulário: https://forms.gle/7Auq3n7GvvogSkjo6 .

Com coordenação geral de Tais Nader, regência e direção musical de Luciano Calazans, o projeto contempla 12 meses de trabalho, incluindo audições para triagem dos participantes, preparações vocais, ensaios e 3 apresentações. A iniciativa é da Maestro Azul Produções, patrocínio da Redemix e do Governo do Estado da Bahia, através do Fazcultura.

“Pergunta Sem Resposta”, composição instrumental, é o primeiro single que apresenta o novo disco do maestro Luciano Calazans.

Produzida e arranjada pelo músico, a faixa traz uma atmosfera experimental, alegre, dançante e viva. A música não tem fins comerciais e todo valor arrecadado será revertido ao Hospital Martagão Gesteira, referência no atendimento às mais diversas especialidades pediátricas na Bahia.

O single foi lançado pelo selo Maestro Azul Produções com distribuição da OneRPM  para todas as plataformas digitais.

“A música é uma peça que compus em um momento de muitas perguntas sem respostas, inclusive de que título daria a ela. A faixa foi gravada no dia do meu aniversário e no meio do processo eu recebi um vídeo lindo de uma criança chamada Gabriele desejando feliz aniversário e encerrando com a seguinte frase: ‘um abraço do tamanho do Martagão’ e me tocou bastante, vi que o meu aniversário seria uma extensão do amor e da paixão que eu tenho pelo Martagão Gesteira”, explica o maestro que tem uma relação com a instituição desde 2015 e de lá para cá realiza muitas ações em parceria.

A gravação que surgiu de um desejo de celebrar a vida com mais música, converteu-se em música como doação. Com arranjos rebuscados e ao mesmo tempo de fácil decodificação, “Pergunta Sem Resposta” tem e muita influência da black music dos anos 70 e 80, gravado por Flávio Souza no Estúdio Ilha dos Sapos com mix de Luís Paulo Serafim, máster de Brendan Duffey, edição e moog de Marcelinho Oliveira e uma formação instrumental composta por Nilton Azevedo – saxes alto, tenor e barítono; Everaldo Pequeno e Gilmar Chaves– Trompetes; Bruno Aranha – Piano e órgão; Robinson Cunha – Bateria e Icaro Sá – Percussão. Assim, o segundo disco do artista tem como pontapé inicial um ato de amor e doação, coisa que o maestro Luciano Calazans já faz há muitos anos em sua história.

O álbum completo está previsto para o segundo semestre e contará com participações de artistas amigos que fizeram e fazem parte de sua carreira musical.

Para Carlos Emanuel Melo, diretor-presidente da Liga Álvaro Bahia Contra a Mortalidade Infantil, mantenedora do Martagão Gesteira, o amor e dedicação que o maestro sente pelas crianças da instituição é sempre evidente em todas as ações e projetos que ele participou.

“O maestro Luciano Calazans é parceiro do Martagão há muitos anos. Ele é um exemplo de como os apoiadores do Martagão se entregam à causa da saúde da criança. Essa ação da música que ele lançou vai se somar aos esforços de todos que ajudam o hospital da criança a se manter. Somos muito gratos. O Martagão é o resultado de todo esse apoio dos mais diversos setores da sociedade”, ressalta

O Hospital Martagão Gesteira é filantrópico e 100% SUS. Atende, por ano, a mais de 80 mil crianças de todo o estado, nas mãos de 28 especialidades que disponibiliza. Com a pandemia, passou a atender também casos de COVID-19 em crianças e adolescentes.

Foto Felipe Oliveira

OUÇA

 

A faixa que emana renovação celebra o Dia Internacional do Meio Ambiente e faz parte do novo trabalho da cantora que desde março de 2021 lança um single por mês

O encontro de vida entre Tais Nader e Luciano Calazans já rendeu filhos e frutos, entre eles está a canção “Na Veia e Na Teia”, que chegou no último sábado, dia 05 de junho em todas as plataformas musicais. Com produção independente, a música desconecta para conectar o equilíbrio necessário à qualidade de vida, que serve de acalanto, lembrando o quanto o contato com a natureza influencia na sua paz interior.

Em 2015, Tais ganhou o prêmio de Melhor Intérprete no Festival da Educadora com o single que ainda era desconhecido do público, após seis anos ela lança oficialmente a canção, disponibilizando em todas as plataformas de streaming.

“A ideia de reativar a música foi a percepção de que ela é praticamente inédita, que só foi executada ao vivo e na rádio Educadora FM em virtude do Festival. Fizemos com muita entrega e em um período que precisávamos de calmaria, tranquilidade, mas ela acabou não sendo trabalhada, ficou guardadinha após a premiação pois tive complicações na gravidez e tive que me ausentar de todas as minhas atividades. Neste ano, que estou lançando um single por mês, quis trazer ela de volta no Dia Internacional do Meio Ambiente, com toda verdade que a canção tem e toda vontade que meu coração teve ao compor e tem de agradecer à vida”, explica Tais.

O feat com Luciano nesta canção foi em um momento especial, Tais estava grávida e no meio de muita turbulência Luciano fez a melodia e a desafiou que colocasse a letra, a inspiração veio no mesmo instante e saiu. “Luciano é um artista completo e um músico, maestro e arranjador requisitado. Sei que tenho sorte de tê-lo ao meu lado, as criações fluem com facilidade em nossa casa. E, nesta música, temos todo o pacote deste grande artista completo em máxima potência, e só com os baixos ele apresenta uma banda inteira tocando e orquestrando a natureza.”

“Quando Tais e eu casamos (o nosso namoro já foi um casamento, que, por sua vez, se converteu em muitos namoros até hoje), percebi de cara sua inquietação em tudo o que faz e/ou se propõe a fazer. Ela já era compositora contumaz. Vivia (e vive) cantando melodias e gravando. Numa noite de Setembro de 2014, escrevi uma melodia na pauta. Fui até o quarto e lancei o desafio. Mostrei a partitura a ela e “cantei” a melodia. Perguntei a ela “você já fez letra sobre música”? E ela respondeu assertivamente: “não acho que a música nasce assim. Ela simplesmente vem”. Respeitei o ponto de vista dela . Poucos minutos depois ela me pediu que eu tocasse a música, gravou em seu celular, e na mesmo noite me apresentou a letra , não só pronta, mas todinha em cima da melodia e do ritmo. Assim nasceu “Na Veia e Na Teia”, nossa primeira parceria. A música, é muito complexa e sinuosa. A melodia, cheia de saltos, fica caminhando sobre acorde maior e acorde menor. Houve quem dissesse que “baixou um Jobim em você! “ Exageros à parte, Gravamos a canção que ela interpretou indefectivelmente! A canção tem Voz e três baixos. Um upright, um fretless e um baixo com traste. Ela deu tanta vida à canção que levou o prêmio de melhor intérprete do Festival de Música da Rádio Educadora com nossa parceria. Não preciso escrever de quanto fiquei orgulhoso dessa mulher que não me canso de admirar e, também , de agradecer aos céus por ser escolhido por ela. Recomendo que todos vocês que chegaram até aqui, ouçam a música que está disponível em todas as plataformas. Vale a pena. Foi feita de amor e com muito amor de nós dois, para vocês“, escreveu Luciano em seu instagram.

Produzida apenas com baixo e voz que preenchem a canção, o maestro Luciano Calazans utilizou apenas baixos elétricos – o contrabaixo comum, o fretless e o upright (contrabaixo vertical), soando ora como uma banda, ora como o próprio instrumento, argumentando em sons o que a música traz em palavras, diversidade e interação da natureza.

Aproveite para OUVIR a artista e seguir no instagram @taisnader e @lucianocalazans.


SA Agência Digital