quinta-feira, 29 julho 2021
Tags Posts tagged with "Diane Lima"

Diane Lima

Tem estreia hoje, 20h, no canal do Ilê Aiyê no YouTube, o evento “Curuzu Affrofuturista”. A programação de hoje é a mesa de conversa “O Poder da Música”, com os artistas Larissa Luz e Japa System e mediação do músico e professor Mário Pam. Já amanhã, o tema do encontro é “Artes e Estéticas”, tendo como convidados a escritora Diane Lima e o roteirista de audiovisual Marcelo Lima, com mediação do produtor de conteúdo e podcaster Edgar Igor.

Os dois momentos giram em torno da reflexão sobre a existência negra nas artes, na política, nos mais diferentes espaços a partir do encontro entre tradição, tecnologia, ciência e inovação. Como pano de fundo dos debates está o Afrofuturismo como movimento estético, cultural e social, que se afirma a partir de perspectivas negras, mirando num futuro onde pessoas negras existem e são diretamente responsáveis pelo mundo em que vivem

“o Ilê Aiyê deseja fortalecer esse conceito, abordando temas como racismo, liberdade de expressão, empoderamento e projeção de futuro, problematizando questões históricas, econômicas e sociais dos negros”, comenta Antônio Carlos Vovô, presidente da entidade.

Hoje, logo mais às 20h, na mesa “O Poder da Música”, as abordagens serão em torno da música como instrumento fundamental para colocar a experiência negra como central nas narrativas construídas pela arte. A ideia é especular sobre o futuro e o passado, aplicando na produção musical a junção de elementos tecnológicos e futuristas perpassados de ancestralidade e cultura negra.

Diane Lima

Já amanhã, na mesa de conversa “Artes e Estéticas”, as vivências dos participantes irão embasar uma discussão será sobre a importância de contar novas histórias que não invisibilizem o negro nas artes e no seu dialogo na luta pela representação em qualquer forma de futuro.

Ainda neste mês de abril, nos dias 15 e 16, o bloco Ilê Aiyê realiza, no mesmo formato de mesas de conversa, o evento “Curuzu do Mundo”, com o tema Turismo Étnico Cultural. Os participantes irão se dedicar a discutir o assunto a partir das experiências e potencialidades do bloco e da sua comunidade. Os temas das duas mesas são “Experiência Turísticas Afro Culturais” e “O Turismo que fortalece a Identidade Negra”.

“Curuzu Afrofuturista” é uma realização do Ilê Aiyê e da Caderno 2 Produções, com patrocínio do Governo do Estado por meio da Bahiatursa.

 

SERVIÇO:

CURUZU AFROFUTURISTA

 

Mesa 1 – O Poder da Música

Dia: 08/04 (quinta-feira)

Horário: 20h

Convidados: Larissa Luz e Japa System

Mediador: Mario Pam

Onde: Canal do Ilê Aiyê no YouTube

 

 

Mesa 2 – Artes e Estéticas

Dia: 9/4 (sexta-feira)

Horário: 20h

Convidados: Diane Lima e Marcelo Lima

Mediador: Edgar Igor

Onde: Canal do Ilê Aiyê no YouTube

 

PARTICIPANTES:

LARISSA LUZ – Cantora, compositora, curadora, produtora, ativista, atriz e empresária, Larissa contabiliza 10 anos de carreira. Período este que serviu para que compreendesse que as possibilidades de expressão e existência são múltiplas e complexas. As mensagens podem chegar, por exemplo, pelos discos Mudança (2012), Território Conquistado (2016) e Trovão (2019. mas também pela maneira como atua ou como faz a curadoria de um festival.  Coube a ela, por exemplo, a curadoria da primeira edição brasileira do festival Afropunk (2020), um dos maiores eventos de cultura negra do mundo.

 

JAPA SYSTEM – O músico percussionista integra, desde 2013, a banda BaianaSystem, com a qual já participou de diversos festivais em países como Japão, Chile, Dinamarca, Portugal, Espanha, Inglaterra e Estados Unidos, além do Lollapalooza e Rock in Rio no Brasil. Com a banda, ganhou, em 2017, o 28º Prêmio da Música Brasileira e, em 2019. o Latin Grammy. É criador da “Nave System”, setup musical criado que utiliza instrumentos eletrônicos e orgânicos para criação de possibilidades de comandos percussivos, que só seriam possíveis através de uma ampla quantidade de instrumentos

 

MARIO PAM – Professor de música e regente da banda do bloco Ilê Aiyê, Mário Pam desde a sua infância se encantou pela arte percussiva. Formado em Licenciatura em Música pela Universidade Católica do Salvador e mestrando na UFBA, hoje ministra aulas de percussão e palestra em Universidades, ONGs, escolas públicas e privadas, assim como para diversos grupos da Europa e Estados Unidos. Atualmente coordena a Associação Cultural Tambores do Mundo, que há treze anos reúne percussionistas de todo mundo para um intercâmbio musical e cultural em Salvador durante o Carnaval, além de promover ações sociais em comunidades de Salvador.

DIANE LIMA –Diane Lima é escritora, curadora independente e uma das principais vozes feministas negras na arte contemporânea brasileira. Vivendo entre São Paulo e Salvador, atualmente é co-curadora de Frestas – 3ª Trienal de Artes do SESC-SP e das exposições monográficas do artista Paulo Nazareth, na Pivô em São Paulo, e de Stella do Patrocínio no Museu Bispo do Rosário no Rio de Janeiro. Seus textos, tanto críticos quanto autobiográficos, documentam a história de uma estética radical negra contemporânea a partir de uma prática curatorial em perspectiva decolonial e feminista negra nas Américas.

MARCELO LIMA – Roteirista de audiovisual e HQs, Marcelo é Doutor em Comunicação pela UFBa, com pesquisa sobre Dramaturgia de Séries Animadas Serializadas. É professor de roteiro na Estação do Drama (UFBa), narrAtiVas (Benditas) e na Pequena Oficina de Dramaturgia (Funceb/Calendário das Artes). Escreveu a série animada Auts (PlayKids/TVE/TV Cultura); cocriou a série animada Pequenos Narradores, em finalização para a TV Aratu; e é cocriador da série animada Galera da Praia (Griot Filmes/Projeto Tamar), entre muitas outras produções No âmbito acadêmico participa das pesquisas “História da Animação na Bahia” e “Vários Mundos, Uma Bahia – um estudo sobre a construção de Mundos Ficcionais nas Séries Baianas”.

EDGAR IGOR – Edgar Santos é diretor de arte há quase 20 anos, colecionador de quadrinhos, podcaster e produtor de conteúdo. Seus trabalhos carregam referências da cultura pop como o cinema, games e claro, HQs. Sempre inquieto, além de trabalhar criando para empresas nacionais, foi professor universitário e hoje está à frente de uma produtora de podcasts chamada Omiró”.

Larissa Luz por Caio Lírio


SA Agência Digital