domingo, 25 setembro 2022
Carpe Diem Morro
Tags Posts tagged with "Chamego Bom"

Chamego Bom

Nessa terça-feira dia 29 de março, aniversário de emancipação da capital baiana é o marco também importante para o Coletivo Ifé com o lançaemento em todas as plataformas do seu primeiro Ep de carreira.

“Chamego Bom” é o título do EP do Coletivo Ifé trazendo cinco faixas compostas por Adriano Deiró, vocalista do grupo e os parceiros Dan Kambaiah, Marcos Costa, Nei SG, Neto Fagulha, Ruan de Souza e Yure Wave.

“Este EP propõe coletivizar o amor sob as suas mais diversas formas de expressão e percepção, além de ensejar a integração da vasta diversidade rítmica, poética e sociopolítica de um Brasil afronordestino”  contou Adriano idealizador e realizador do Coletivo Ifè, bem como seu EP Chamego Bom, sob a liderança do mestre em música, produtor musical, diretor, violonista e arranjador Ruan de Souza.

Arte da Capa @desenhosdonando

O álbum é formado pelas músicas: Casinha Amarela, Amor de Almas, Chamego Bom, Dorme Bem e Amor D’Oya, contando com grandes músicos integrantes da banda base como: Eduardo Di Dalva na percuteria, Kedson Silva nos acordeons, Luan Costa e Marcos Musk nas percussões, além das participações vocais de grandes nomes como Aiace Felix, Arno Hübner, Diego Moraes, Fábio Eça e Kekedy Lucie.

Aproveite para OUVIR em sua plataforma predileta e confira o CLIPE.

Fotos Ruan de Souza

Faixa a Faixa de Chamego Bom

“Casinha Amarela”, composta por Adriano Deiró, tem em sua melodia a intensão de mantra por sua leveza e persistência. Canta uma promessa de amor repleta de presentes intangíveis, embalados de muita poesia. Arranjada em reggae de compasso composto, é abarcada também pelo toque vassi.

“Amor de Almas”, composta por Marcos Costa, desde seus primeiros versos sugere a reflexão sobre o exercício do amor incondicional ao próximo, através de uma fictícia conversa entre duas pessoas: ”eu quero me relacionar com almas, independentemente de território, gênero ou cor”. Esta música, de característica pop, por hora é vestida de rap e conta com uma surpreendente récita elaborada por Neto Fagulha e Ruan de Souza, rica em indagações acerca de práticas corriqueiras da sociedade, ofertando-nos mais um convite profundo a reflexões sobre nossas ações e pensamentos cotidianos.

“Chamego Bom” é uma composição de Dan Kambaiah, Yure Wave e Nei SG. Esta canção, que dá nome ao álbum, é um convite ao chamego como uma expressão catalisadora do amor. Esta música se apresenta como um semba que, de forma inusitada, transforma-se em samba-reggae, transportando-nos aos encantos rítmicos soreropolitanos.

“Dorme bem” é uma composição romântica de Dan Kambaiah e Yure Wave, que expressa a beleza de uma paixão real vivida por um casal lgbtqia+, que nos contagia com o poder do amor puro e universal, alimentando além disso, uma reflexão anti – (trans) homofóbica com seu refrão: “risos e olhares, todo querer…como não viver isso, se a gente é de verdade?!”. Esta balada românica conta com a participação do cantor Diego Moraes, dividindo a interpretação com Adriano Deiró. Arno Hübner e Fábio Eça, ambos integrantes do grupo baiano Banda de Boca, trazem, então, a presença musical da ancestralidade afro-diaspórica com o toque vassi contido no arranjo vocal elaborado, neste caso, exclusivamente para vozes masculinas.

“Amor D’Oyá”, composta por Adriano Deiró e Ruan de Souza, é uma canção que revela a promessa de um amor transcendente ao tempo e espaço, remetendo ao drama amoroso de um casal humano em analogia à paixão entre as entidades ancestrais: Oyá e Ogum.

Sobre o Coletivo Ifé

O Coletivo Ifè é um grupo formado pela parceria do cantor e compositor Adriano Deiró com o violonista, produtor musical e arranjador Ruan de Souza. Durante a composição da música “Casinha Amarela”, em 2019, o grupo foi formado com a intenção de explorar a junção de culturas, timbres e ritmos afro nordestinos através da inclusão de quaisquer pessoas que se identificassem com a mistura do som, independente de território, gênero ou cor. Além da dupla, o grupo é também integrado pelos músicos: Aisha Araujo (backing), Eduardo Didalva (percuteria), Kedson Silva (acordeon), Gel Barbosa (acordeon), Marcus Musk (percussão), Vinny Djembé (percussão), tudo sob o comando do diretor musical Ruan de Souza, em parceria com a produção fonográfica e artística de Adriano Deiró. O Coletivo, que realizou sua estreia em Salvador na antiga cervejaria Slow Beer em Stella Maris, tem também como palcos da capital espaços como o restaurante “Entre Folhas e Ervas”, localizado na Lapinha, bem como “A borracharia” no Rio Vermelho. Com apenas 6 meses de formação, o grupo foi vencedor do Concurso Festival de Verão de Salvador em 2020, onde se apresentaram no Palco Itaipava da Arena Fonte Nova. De lá pra cá, o grupo, que lançaria seu primeiro álbum em 2020, precisou envidar esforços para adaptar-se ao cenário repentino de pandemia, quando criou a “Live Integrativa”, onde o público podia usufruir do som do grupo, tanto transmitido por telão ao vivo, quanto também nas casas das pessoas, sem que todos os músicos precisassem sair de suas casas. Com mentalidade e posturas renovadoras, o Coletivo Ifè lança agora o seu primeiro EP, intitulado “Chamego Bom”

 

 


SA Agência Digital