quinta-feira, 2 dezembro 2021
Tags Posts tagged with "Centro de Comercialização do Artesanato da Bahia"

Centro de Comercialização do Artesanato da Bahia

De passagem por Salvador, os turistas têm dado cada vez mais preferência a produtos artesanais, levando um pouco da Bahia para suas cidades de origem. Os itens mais concorridos vão das lembrancinhas, como imãs de geladeira, chaveiros, instrumentos musicais e acessórios de moda, aos objetos mais sofisticados de decoração ou utilitários, principalmente os de cerâmica.

Seguindo os protocolos de combate à Covid-19, desde a segunda quinzena de dezembro, o Centro de Comercialização do Artesanato da Bahia, no Largo do Porto da Barra, tem percebido um movimento maior de turistas. O espaço reúne criações de artesãos de todas as regiões do estado, como os grandes mestres reconhecidos no mercado nacional e internacional.

“Aqui na loja, o turista e o baiano encontram a diversidade e originalidade típicas do artesanato do nosso estado. Além disso, estamos tomando todos os protocolos para garantir a segurança dos visitantes e do nosso quadro funcional”, garante a coordenadora estadual de Fomento ao Artesanato, Luciana Embilina.

Os produtos são desenvolvidos através de técnicas diversas, das modernas às tradicionais, como bordados, carpintaria, cerâmica, cestaria, costura, papietagem, renda, tapeçaria e tecelagem.

Aberto de segunda a sexta, das 10h às 18h, e aos sábados, das 10h às 16h, o Centro de Comercialização do Artesanato da Bahia faz parte do Programa Artesanato da Bahia, realizado pelo Governo do Estado, através da Setre – Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte e pela Associação Fábrica Cultural.

Foto: Erivan Morais

A 1ª Rodada de Negócios Artesanato da Bahia vai reunir lojistas e compradores do País, artesãos, arquitetos, decoradores, imprensa e profissionais do setor, de 24 a 26 de novembro, com atividades e atendimentos on-line e presenciais, das 10h às 18h, no Centro de Comercialização do Artesanato da Bahia, no Largo do Porto da Barra, em Salvador. Os lojistas interessados podem agendar os atendimentos através do (71) 99906-6746. A abertura do evento, transmitida através do Facebook e Youtube do Artesanato da Bahia, reunirá representantes do setor em uma live, no dia 24, às 10h.

A rodada foi criada para ampliar as oportunidades de comercialização do artesanato no estado e apresentar a sua capacidade produtiva para atender ao mercado nacional, gerando novos negócios. Em reuniões on-line ou presenciais pré-agendadas, cerca de 200 artesãos e grupos de várias regiões do estado oferecem seus produtos a lojistas, de acordo com os interesses de compras de cada um. Os compradores terão oportunidade de conhecer e se informar sobre os processos produtivos, as técnicas e materiais utilizados pelos criadores.

A Rodada de Negócios faz parte das Ações de Qualificação, Promoção e Comercialização do Artesanato da Bahia, realizadas pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte – Setre Bahia, através da Coordenação de Fomento ao Artesanato, e pela Associação Fábrica Cultural.

“A Rodada de Negócios é mais uma ferramenta para resolver um dos principais gargalos do segmento artesanal, que é o escoamento da sua produção, além de fazer uma ponte direta entre um público comprador e os artesãos”, comenta Davidson Magalhães, secretário da Setre.

Os curadores do evento buscaram artesãos e grupos com capacidade de entrega de produto com boa qualidade no acabamento e maturidade conceitual. Os produtos estarão organizados em um catálogo com fotos e fichas técnicas, que facilitará as vendas presenciais e online. O material será encaminhado exclusivamente para compradores cadastrados na Rodada de Negócios. Os pedidos serão supervisionados pela equipe de suporte do Artesanato da Bahia, garantindo que os artesãos realizem acordos eficazes e seguros do ponto de vista da produção e entrega.

O Centro de Comercialização do Artesanato da Bahia, inaugurado em dezembro último, no Largo do Porto da Barra, passa a abrir aos sábados. O espaço havia voltado a funcionar, após a flexibilização do isolamento social, de segunda à sexta-feira, das 10h às 16h. A reabertura aos sábados atende o mesmo horário e segue todas os protocolos de segurança e higiene, abrindo aos artistas mais um dia para que seus trabalhos sejam vistos por baianos e turistas. Produzidos com técnicas modernas e tradicionais, os produtos são criados por artesãs e artesãos de todas as regiões do estado, selecionados de acordo com a relevância cultural, técnica e a representatividade estadual.

Pulseira de Lara Mascarenhas

O Artesanato da Bahia acaba de chegar na Bemglô, plataforma colaborativa dos sócios Gloria Pires, Orlando Moraes, Betty Prado e Nelson Carneiro. A parceria surge a partir das Ações de Qualificação, Promoção e Comercialização do Artesanato da Bahia, realizadas pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte – SETRE, através da Coordenação de Fomento ao Artesanato, e pela Associação Fábrica Cultural, na busca de novos espaços para comercialização e divulgação da produção artesanal do estado.

A peças de artesãs e artesãos baianos já podem ser adquiridas através do site www.bemglo.com. São acessórios e objetos utilitários selecionados pela sua beleza e qualidade, como pulseiras, colares de cerâmica, pentes de madeira com osso, echarpe e cestos de fibras naturais. A parceria vai dar uma maior visibilidade aos produtos e seus criadores.

Pioneira no formato de e-commerce com conteúdo sobre consumo consciente, a Bemglô oferece produtos dentro da filosofia do comércio justo, contribuindo para um caminho e desenvolvimento mais sustentável. A plataforma também conta a história de quem faz, com afeto, proximidade e consciência de consumo.

A ideia da parceria com o Artesanato da Bahia surgiu através de uma conversa dos sócios da Bemglô com a cantora Margareth Menezes, presidente da Fábrica Cultural. Depois do encontro em São Paulo, não demorou para a curadora e sócia Betty Prado desembarcar em Salvador, onde se encantou com as criações de artesãs e artesãos baianos durante a visita ao Centro de Comercialização do Artesanato da Bahia, no Porto da Barra.

Um dos principais centros de criação de artesanato do país, a Bahia comemora o Dia da Ceramista, nesta quinta-feira, dia 28 de maio, uma data importante para homenagear quem tem nas mãos esta técnica milenar. A diversidade cultural do estado se reflete na produção de uma cerâmica diferenciada, com referências indígenas, africanas e europeias. Utilitárias e decorativas, as peças produzidas por artesãs e artesãos baianos podem ser encontradas no Centro de Comercialização do Artesanato da Bahia, no Largo do Porto da Barra. Neste período de isolamento social, as informações e pedidos podem ser feitos pelo telefone (71) 99906-6746.

A técnica milenar de misturar a argila para modelar objetos é muito utilizada em várias regiões da Bahia. A cerâmica tem um papel histórico, com suas referências étnicas de diversas culturas que convivem no estado. A indígena, que preserva técnicas utilizadas antes da colonização, com a pintura feita com pigmentos naturais; a africana, com referências de seus rituais religiosos e a das antigas civilizações mediterrâneas que utilizam o vidrado e o esmalte como revestimentos, além do uso do torno.

A Bahia também se destaca com a produção de Maragogipinho, o maior centro cerâmico da América Latina. Localizado no município de Aratuípe, o povoado é detentor do Prêmio Unesco de Artesanato para a América Latina e Caribe, de 2004. Maragogipinho tem dezenas de olarias, quase todas às margens do Rio Jaguaripe, que produzem objetos utilitários e peças para decoração.

Em Banzaê, entre o agreste e o sertão baiano, destaque para a cerâmica indígena Kariri, muito valorizada pelos amantes do artesanato. Já nas mãos dos artesãos de Coqueiros, povoado de Maragogipe, são produzidas as panelas e muitos utilitários de barro. A produção de louças e peças figurativas se destacam na cerâmica produzida em Barra, no Oeste da Bahia.

A mostra “Mulheres que Tecem na Arte e na Vida” reúne, no Centro de Comercialização do Artesanato da Bahia, no Porto da Barra, trabalhos utilitários e decorativos feitos por mãos femininas durante um curso de tecelagem. Em cartaz até o dia 9 de março (segunda-feira), a exposição homenageia o Dia da Mulher e abre a programação do Março do Artesanato, que comemora o Dia do Artesão, celebrado no próximo dia 19, com várias ações.

O curso, ministrado pelo mestre artesão Joselito Pinto, de agosto a dezembro do ano passado, foi realizado pela Coordenação de Fomento do Artesanato – CFA, da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esportes – SETRE, e a mostra conta com o apoio da Associação Fábrica Cultural. As alunas vão apresentar os produtos criados através da técnica de entrelaçamento de fios apresentada pelo mestre Joselito Pinto, especialista em tecelagem e na produção de panos da costa.

Peças artesanais rendem presentes super criativos para o Natal e eventos de confraternização de fim de ano. O Centro de Comercialização do Artesanato da Bahia, recém-inaugurado no Largo do Porto da Barra, reúne objetos de decoração, utilitários, brinquedos, bordados, tapeçaria, tecelagem, rendas, acessórios e roupas, peças originais e únicas criadas por artesãos de todas as regiões da Bahia.

Quem percorrer os espaços do casarão histórico vai se encantar com as cerâmicas de Manoel Messias, Constância Maria de Carvalho e Denis, as bolsas de palha das artesãs do Litoral Norte, a cestaria de Maira Brito de Jesus, as louças de Cíntia Pacheco, os brinquedos de madeira de Rogério Redondo e Mestre Bira, os instrumentos musicais de Reinaldo Said e os acessórios de Sonia Maria, Jéssica Oliveira e Geiza de Ituberá. Os produtos encantam turistas e os próprios baianos, representando a diversidade cultural da Bahia. Confira algumas dicas na nossa galeria!

A diversidade cultural é o principal diferencial do artesanato criado na Bahia, através de uma produção que reflete a miscigenação de seu povo. Este trabalho dos artesãos baianos, que encanta turistas do País e do mundo, vai ganhar o Centro de Comercialização do Artesanato da Bahia, que será inaugurado no dia 10 de dezembro, às 16h30, no Largo do Porto da Barra. O histórico casarão vai reunir trabalhos artesanais sofisticados, produzidos com técnicas modernas e tradicionais. São produtos criados em todas as regiões do estado, como bordados, carpintaria, cerâmica, cestaria, costura, papietagem, renda, tapeçaria, tecelagem, entre outros.

A abertura do Centro faz parte do Programa Artesanato da Bahia, realizado pelo Governo do Estado, através da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte – Setre, e pela Associação Fábrica Cultural. O espaço reunirá trabalhos que representam o artesanato produzido nos 27 territórios de identidade da Bahia, selecionados de acordo com a relevância cultural, técnica e a representatividade estadual.


SA Agência Digital