quarta-feira, 19 janeiro 2022
Tags Posts tagged with "Celo Dut"

Celo Dut

A voz, o flow, os versos e as histórias de amor de Celo Dut são grandes atrativos em “Doce”, primeiro EP do cantor e compositor baiano. A trilogia, produzida por Marcelo dela Mare chega na próxima quinta através do selo 999, de Baco Exu do Bluesv com distribuição da Altafonte. Três visualizers que formam um clipe dirigido por Edvaldo Raw acompanham o lançamento.

Nele, Celo Dut contracena com Luna, sua companheira e grande inspiração da sua poesia. As cenas ilustram bem a viagem de Celo em “Doce”.

As faixas são mesmo saborosas e através de beats leves e atraentes narram um homem negro sensível e entregue ao amor. “Este projeto se torna ainda mais importante por eu ter contracenando comigo uma pessoa que sempre acreditou em mim e tem papel fundamental na minha vida e carreira”, afirma o cantor que também idealizou a direção de arte para o filme.

‘Doce’ traz histórias que um homem negro como eu possa amar e ser amado. Onde a doçura não seja fraqueza ou enfraquecida por medo de julgamentos alheios”, resume Celo.

O EP que tem mix assinada por Dactes chega exatamente um ano após o lançamento do impactante single “Fardas e fadas” e dá continuidade à narrativa e à bem pavimentada carreira de Celo Dut. A faixa “Antes eu corria atrás”, ao lado de seus amigos e parceiros de selo, Vírus Carinhoso e Young Piva é outro belo exemplo do talento deste artista que mexe com o coração de quem o ouve.”

OUÇA

Estar estatisticamente vivo e lutando por um sonho. É este o tema da faixa “Ilhada”, novo lançamento do cantor e compositor baiano Celo Dut.

A música é o último lançamento do projeto Bandele, liderado por Baco Exu do Blues com seis performances audiovisuais inéditas de seis artistas pretos no mês da Consciência Negra.

Com beats de JLZ, “Ilhada” chegou hoje, dia 27 de novembro às plataformas digitais através da 999 em parceira com a Altafonte.

Palavra oriunda da Nigéria, Bandele significa “nascido longe de casa” e Celo Dut é mais um artista preto que se sente assim e isto fica claro na faixa.

“Aprendi a chamar e resignificar aqui como casa, por bem e por mal. Me sinto mesmo é longe de mim, longe do que meus ancestrais são. Tateando no tempo cacos, peças e pistas da minha própria história”, desabafa.

Em outubro Celo lançou um outro single, “Fadas e Fardas”, com um clipe caprichado, cheio de metáforas. Meses antes, disponibilizou o EP “Maior onda” ao lado dos amigos Vírus e Young Piva. O trio também tem o clipe primoroso de “Antes eu corria atrás”, primeiro lançamento deles na 999.

Os lançamentos, assim como as participações na turnê “Bluesman* fizeram com que Celo Dut se consolidasse como uma das principais vozes da nova cena.

Sobre Bandele:

Palavra de origem nigeriana, Bandele significa “nascidos longe de casa”. E este foi o nome adotado pela 999 para seu mais novo projeto liderado por Baco Exu do Blues e que envolve outros cinco artistas: Vírus, Dactes, Muse Maya, Young Piva e Celo Dut. Ao todo serão seis faixas inéditas lançadas com direito a performances audiovisuais. É uma avalanche de talento do selo 999, que segue investindo na música preta brasileira.

Os seis episódios que têm direção do próprio Baco, traz interpretações que abordam a luta, a dor e o talento do povo preto. Bandele é apoiado pela PUMA BRASIL e Altafonte Fundação e começa a chegou às plataformas digitais no dia 16, com o single “Mercado Modelo”, de Vírus; no dia 18, com “Não Abrir Mão De Nada”, de Dactes; na última sexta, dia 20, com “Tommie Smith”, de Baco Exu do Blues, dia 23 foi a vez de Young Piva com “Deus Em Pele de Farsa”. Muse Maya chegou grandona com “Sauce” e hoje, dia 27, “Ilhada” por Celo Dut.

 

Foto Vulgo Jr


SA Agência Digital