segunda-feira, 17 junho 2024
Jade Showroom
Tags Posts tagged with "Caixa Cultural Salvador"

Caixa Cultural Salvador

Fotos de Autumn Sonnichsen

Vencedora do Grammy Latino de 2020, a artista une elementos e ritmos contemporâneos às suas raízes do forró

CAIXA Cultural Salvador recebe, nos dias 25 e 26 de maio, o show Mariana Aydar & Trio, da cantora e compositora paulistana Mariana Aydar, que conta com clássicos do universo nordestino tão rico, além de releituras adaptadas para o ritmo enraizado na cultura brasileira. A artista faz três apresentações: sábado (25), às 17h e 20h e domingo (26), às 20h,. Os ingressos começam a ser vendidos nesta terça-feira, no site www.sympla.com.br e custam entre R$ 15 (meia-entrada) e R$ 30 (inteira). As apresentações contarão com intérprete de Libras.

Com cinco álbuns de estúdio e um documentário lançado, Mariana mostra a força e liberdade de escolha das mulheres, quebrando pensamentos conservadores e patriarcais e se consolidando como uma voz atual e necessária para a música brasileira.

“Fazer show em Salvador é sempre uma alegria imensa, porque é a cidade que mais amo no mundo, é onde um dia quero morar. Além disso, levar meu show dedicado ao forró para o nordeste tem outro sabor, parece que o círculo se fecha”, explica a cantora que está muito feliz de realizar pela primeira vez o projeto na capital baiana.

“É um show com um trio pé de serra. Estou ido com uma formação bem rootsCosme Vieira na Sanfona, Fê Silva na zabumba e Léo Rodrigues na percussão, pandeiro e congas. Vamos cantar música do meu repertório como “Foguete”, “Preciso do teu sorriso”, “Te faço um Cafuné”,  além de canções do meu disco Veia Nordestina, em uma versão mais pop, mais acúsitca”.

Através dos arranjos, ela mostra sua paixão pela cultura do Nordeste, que nasceu diante de uma das figuras mais importantes e criativas da música popular brasileira, Luiz Gonzaga. Mariana é filha da produtora Bia Aydar, que foi empresária do “Rei do Baião” nos últimos anos de sua carreira e foi assim que ela se apaixonou pela cultura nordestina.  

Foto divulgação

Com entrada gratuita, a mostra reúne um material exclusivo com trabalhos em diversos suportes, entre fotografias, vídeos e uma instalação

Nino Cais, um expressivo expoente da arte contemporânea brasileira, escolheu a Bahia para estreia da Exposição “NINO CAIS | Cada Pessoa Guarda Um Museu Dentro de Si”, que entrou em cartaz em dezembro de 2023 e fica até 04 de fevereiro de 2024, com entrada gratuita.

Com curadoria de Nathalia Lavigne, a mostra reflete sobre o papel das imagens em circulação na cultura visual, acumulando livros, revistas e outros materiais. O título faz referência a uma frase retirada do filme-ensaio Immortality and Resurrection for All! [Imortalidade e Ressurreição para Todos] (2017), do artista Anton Vidokle. Filmado em diversas galerias de arte de Moscou, além de bibliotecas e um Museu de História Natural, o vídeo encerra uma trilogia sobre o Cosmismo Russo, escola de pensamento filosófico que influenciou diversos artistas e intelectuais da vanguarda russa entre o final do século 19 e início do século 20.

Sobre Nino Cais

Nino Cais nasceu em São Paulo em 1969, onde vive e trabalha até hoje. Com Bacharelado (2001) em Artes Plásticas pela Faculdade Santa Marcelina, Nino Cais possui uma obra plural, trabalhando com fotografia, colagem, desenho, escultura, assemblage, vídeo, entre outros. Em seu trabalho, o corpo, as imagens e os objetos ascendem de suas condições de passividade, descartabilidade e esquecimento, respectivamente. Operando através do corte, dobra, empilhamento e composição, Nino descobre afetos e confrontos entre seu corpo e o mundo, entre o mundo e o mundo, criando totalidades que subvertem seus devires originais, hoje decaídos, desvelando as potências latentes de significação contidas na poeira e esquecimento cotidianos. 


O artista fez parte da 30ª Bienal Internacional de São Paulo, “A iminência das poéticas” (2012), e participa regularmente de exposições individuais e coletivas na América Latina e nos Estados Unidos. Atualmente é representado no Brasil pela Casa Triângulo, em Nova Iorque pela Fridman Gallery, em Buenos Aires pela Gachi Pietro e em Cusco pela Vigil Gonzales.  Em 2020, passou a fazer parte do acervo expositivo da Pinacoteca do estado de São Paulo. Ao todo, realizou 20 exposições individuais ao longo de sua carreira. 

Serviço:

Exposição: NINO CAIS | Cada Pessoa Guarda Um Museu Dentro de Si

Local: CAIXA Cultural Salvador

Endereço: CAIXA Cultural Salvador | Rua Carlos Gomes, 57, Centro | Salvador (BA)
Visitação: até 04 de fevereiro de 2023.
Horário: terça-feira à domingo, das 9h às 17h30.
Classificação indicativa: Livre 

Entrada gratuita

Foto divulgação

Em cartaz até 04 de fevereiro de 2024, na CAIXA Cultural Salvador a exposição inédita “NINO CAIS | Cada Pessoa Guarda Um Museu Dentro de Si”, do artista plástico visual Nino Cais, apresenta uma linguagem que reflete o papel das imagens em circulação na cultura visual popular, o fio condutor da mostra que busca valorizar o corpo ao entorno da arte, atraindo objetos que contam a sua história. A visitação acontece das 9h às 17h30, com acesso gratuito.

Em uma seleção delicada, o artista apresenta um pouco da sua obra, através da aproximação do universo dos museus com o colecionismo, mostrando que cada um pode reviver e ter memórias afetivas.

O título da mostra, que teve estreia na Caixa Cultural Salvador, faz referência a uma frase retirada do filme-ensaio Immortality and Resurrection for All! [Imortalidade e Ressurreição para Todos] (2017), do artista Anton Vidokle. Filmado em diversas galerias de arte de Moscou, além de bibliotecas e um Museu de História Natural, o vídeo encerra uma trilogia sobre o Cosmismo Russo, escola de pensamento filosófico que influenciou diversos artistas e intelectuais da vanguarda russa entre o final do século 19 e início do século 20.

A exposição “NINO CAIS | Cada Pessoa Guarda Um Museu Dentro de Si” foi contemplada pelo Edital da Caixa Cultural 2023|24 e tem a proposta de futuras itinerâncias por outras capitais brasileiras.


Sobre Nino Cais

Nino Cais nasceu em São Paulo em 1969, onde vive e trabalha até hoje. Com Bacharelado (2001) em Artes Plásticas pela Faculdade Santa Marcelina, Nino Cais possui uma obra plural, trabalhando com fotografia, colagem, desenho, escultura, assemblage, vídeo, entre outros. Em seu trabalho, o corpo, as imagens e os objetos ascendem de suas condições de passividade, descartabilidade e esquecimento, respectivamente. Operando através do corte, dobra, empilhamento e composição, Nino descobre afetos e confrontos entre seu corpo e o mundo, entre o mundo e o mundo, criando totalidades que subvertem seus devires originais, hoje decaídos, desvelando as potências latentes de significação contidas na poeira e esquecimento cotidianos. 


O artista fez parte da 30ª Bienal Internacional de São Paulo, “A iminência das poéticas” (2012), e participa regularmente de exposições individuais e coletivas na América Latina e nos Estados Unidos. Atualmente é representado no Brasil pela Casa Triângulo, em Nova Iorque pela Fridman Gallery, em Buenos Aires pela Gachi Pietro e em Cusco pela Vigil Gonzales.  Em 2020, passou a fazer parte do acervo expositivo da Pinacoteca do estado de São Paulo. Ao todo, realizou 20 exposições individuais ao longo de sua carreira. 

Serviço:

Exposição: NINO CAIS | Cada Pessoa Guarda Um Museu Dentro de Si

Local: CAIXA Cultural Salvador

Endereço: CAIXA Cultural Salvador | Rua Carlos Gomes, 57, Centro | Salvador (BA)
Visitação: 05 de dezembro a 04 de fevereiro de 2023.

Horário: terça-feira à domingo, das 9h às 17h30.
Classificação indicativa: Livre 

Entrada gratuita

Foto divulgação

Com a exposição inédita “NINO CAIS | Cada Pessoa Guarda Um Museu Dentro de Si”, que estreia nesta terça-feira e fica em cartaz até 04 de fevereiro, Nino compartilha com o público alguns métodos de seu trabalho

CAIXA Cultural Salvador apresenta de 05 de dezembro de 2023 a 04 de fevereiro de 2024 a exposição inédita “NINO CAIS | Cada Pessoa Guarda Um Museu Dentro de Si”, do artista plástico visual Nino Cais, um expressivo expoente da arte contemporânea brasileira. Com entrada gratuita, a mostra reúne um material exclusivo com trabalhos em diversos suportes, entre fotografias, vídeos e uma instalação.

Na quarta-feira (06 de dezembro), o artista Nino Cais e a curadora Nathália Lavigne estarão à frente da oficina “Metodologia de Arquivos Pessoais”, com duração de duas horas. Nesta oficina o artista apresentará algumas de suas metodologias no uso de seus arquivos pessoais, incentivando que os participantes apresentem um material de seus arquivos pessoais (analógicos ou digitais) a fim de serem trabalhados, ressignificados e problematizados dentro de uma linha estética e poética pessoal. A atividade educativa é gratuita, para um público de 18 a 70 anos de idade. As inscrições acontecem através do site da CAIXA CULTURAL Salvador www.caixacultural.gov.br/Paginas/Salvador.aspx  

Sobre Nino Cais

Nino Cais nasceu em São Paulo em 1969, onde vive e trabalha até hoje. Com Bacharelado (2001) em Artes Plásticas pela Faculdade Santa Marcelina, Nino Cais possui uma obra plural, trabalhando com fotografia, colagem, desenho, escultura, assemblage, vídeo, entre outros. Em seu trabalho, o corpo, as imagens e os objetos ascendem de suas condições de passividade, descartabilidade e esquecimento, respectivamente. Operando através do corte, dobra, empilhamento e composição, Nino descobre afetos e confrontos entre seu corpo e o mundo, entre o mundo e o mundo, criando totalidades que subvertem seus devires originais, hoje decaídos, desvelando as potências latentes de significação contidas na poeira e esquecimento cotidianos. 


O artista fez parte da 30ª Bienal Internacional de São Paulo, “A iminência das poéticas” (2012), e participa regularmente de exposições individuais e coletivas na América Latina e nos Estados Unidos. Atualmente é representado no Brasil pela Casa Triângulo, em Nova Iorque pela Fridman Gallery, em Buenos Aires pela Gachi Pietro e em Cusco pela Vigil Gonzales.  Em 2020, passou a fazer parte do acervo expositivo da Pinacoteca do estado de São Paulo. Ao todo, realizou 20 exposições individuais ao longo de sua carreira. 

Serviço:

Exposição: NINO CAIS | Cada Pessoa Guarda Um Museu Dentro de Si

Local: CAIXA Cultural Salvador

Endereço: CAIXA Cultural Salvador | Rua Carlos Gomes, 57, Centro | Salvador (BA)
Abertura: 05 de dezembro de 2023, às 19h30, com visita guiada com Nino Cais e a curadora Nathalia Lavigne.

Visitação: 05 de dezembro a 04 de fevereiro de 2023.
Horário: terça-feira à domingo, das 9h às 17h30.
Classificação indicativa: Livre 

Entrada gratuita

Atividade Educativa:
DATA: 06 de dezembro de 2023;
HORÁRIO: das 16:30 às 19:00 horas;
TEMA: Metodologia, ressignificação e problematização do uso de arquivos (analógicos ou digitais);
PÚBLICO-ALVO: entre 18 a 70 anos;
MINISTRANTES: Nino Cais (Artista) e Nathalia Lavigne (Curadora).

Foto Divulgação

Com curadoria de Nathalia Lavigne e produção da AjAx | Produção em ARte, exposição do artista estreia mostra na capital baiana reunindo um conjunto de trabalhos em diversas mídias.

CAIXA Cultural Salvador apresenta de 05 de dezembro de 2023 a 04 de fevereiro de 2024 a exposição inédita “NINO CAIS | Cada Pessoa Guarda Um Museu Dentro de Si”, do artista plástico visual Nino Cais, um expressivo expoente da arte contemporânea brasileira. Com entrada gratuita, a mostra reúne um material exclusivo com trabalhos em diversos suportes, entre fotografias, vídeos e uma instalação.

A exposição será aberta no dia 05 de dezembro (terça-feira), às 19h30, com visita guiada e mediada pelo próprio Nino acompanhado da curadora Nathalia Lavigne. No dia 06 de dezembro, das 16h30 às 19h00, o artista e a curadora realizam a Oficina “Cada Pessoa Guarda um Museu Dentro de Si: arquivos pessoais, narrativa visual e redes off-line.”

Para Nathalia, que acompanha o trabalho do artista há mais de duas décadas, Nino tem uma produção importante na arte atual brasileira por refletir sobre o papel das imagens em circulação na cultura visual, acumulando livros, revistas e outros materiais. Como explica:”Nessa exposição ele apresenta um recorte de sua obra a partir das aproximações com o universo dos museus e do colecionismo. É algo que aparece em sua produção tanto enquanto temática – por exemplo, em imagens de reproduções de pinturas – ou enquanto processo, na maneira como ele cria sentido para uma grande variedade de imagens e objetos que coleciona,” afirma a curadora.

Já para o artista, a ideia do arquivo tem uma origem espontânea, como comenta: “Tenho o costume e a ideia de sempre olhar as coisas na cidade, trazendo-as para o ateliê. O que adquiro, seja na forma de imagens, fotos ou objetos, vai formando uma coleção de lembranças. Desse modo, o ateliê vai se transformando num campo minado, e quando vou esbarrando nesses itens algumas conexões acontecem e resultam em trabalhos que, possivelmente, estarão inseridos em museus ou espaços institucionais. No final, há uma relação cíclica, como um relógio, no qual os ponteiros vão e voltam”, explica Nino.

O título da mostra, que estreia na Caixa Cultural Salvador, faz referência a uma frase retirada do filme-ensaio Immortality and Resurrection for All! [Imortalidade e Ressurreição para Todos] (2017), do artista Anton Vidokle. Filmado em diversas galerias de arte de Moscou, além de bibliotecas e um Museu de História Natural, o vídeo encerra uma trilogia sobre o Cosmismo Russo, escola de pensamento filosófico que influenciou diversos artistas e intelectuais da vanguarda russa entre o final do século 19 e início do século 20.

A exposição “NINO CAIS | Cada Pessoa Guarda Um Museu Dentro de Si” foi contemplada pelo Edital da Caixa Cultural 2023|24 e tem a proposta de futuras itinerâncias por outras capitais brasileiras.

OFICINA “Cada pessoa carrega um Museu Dentro de Si: arquivos pessoais, narrativa visual e redes off-line”

Nas últimas décadas, passamos a produzir e armazenar uma quantidade de imagens sem precedentes na história da fotografia. Apesar disso, a forma como arquivamos esse material é controversa: terceirizamos nossas memórias para grandes empresas de tecnologia sob o risco de desaparecem do dia para a noite sem que sejamos avisados. Partindo de uma discussão sobre práticas colecionismo propiciadas pelo boom da memória na era digital, essa oficina teórico-prática compartilha com o público alguns métodos de trabalho do artista Nino Cais.

Há mais de duas décadas que sua produção reflete sobre o papel das imagens na atualidade, acumulando livros, revistas e outros materiais da cultura visual contemporânea. Junto com a curadora Nathalia Lavigne, cuja pesquisa trata de temas como documentação social e contra colecionismo em redes sociais, as atividades propostas pretendem envolver o público em um debate crítico sobre nossas escolhas do que guardar e como criar sentido para o que acumulamos em nossos arquivos pessoais.

Embora o ambiente digital seja o ponto de partida, a intenção é que a oficina resgate uma ideia de redes off-line, incentivando exercícios de atenção na leitura coletiva de imagens.

É recomendado (porém não obrigatório) que os participantes levem de casa um pequeno material de suas coleções pessoais de imagens ou objetos com as quais gostariam de trabalhar (exemplos: cartões-postais, jornais ou revistas, cadernos de notas, bilhetes de cinema, fotos de família etc).

A atividade educativa é gratuita, para um público de 18 a 70 anos de idade. As inscrições acontecem através do site da CAIXA CULTURAL Salvador www.caixacultural.gov.br/Paginas/Salvador.aspx

Oficina

Com o tema “Metodologia de Arquivos Pessoais”, o artista Nino Cais e a curadora Nathália Lavigne estarão à frente da oficina com duração de duas horas. Nesta oficina o artista apresentará algumas de suas metodologias no uso de seus arquivos pessoais, incentivando que os participantes apresentem um material de seus arquivos pessoais (analógicos ou digitais) a fim de serem trabalhados, ressignificados e problematizados dentro de uma linha estética e poética pessoal. A atividade educativa é gratuita, para um público de 18 a 70 anos de idade. As inscrições acontecem através do site da CAIXA CULTURAL Salvador www.caixacultural.gov.br/Paginas/Salvador.aspx  

Sobre Nino Cais

Nino Cais nasceu em São Paulo em 1969, onde vive e trabalha até hoje. Com Bacharelado (2001) em Artes Plásticas pela Faculdade Santa Marcelina, Nino Cais possui uma obra plural, trabalhando com fotografia, colagem, desenho, escultura, assemblage, vídeo, entre outros. Em seu trabalho, o corpo, as imagens e os objetos ascendem de suas condições de passividade, descartabilidade e esquecimento, respectivamente. Operando através do corte, dobra, empilhamento e composição, Nino descobre afetos e confrontos entre seu corpo e o mundo, entre o mundo e o mundo, criando totalidades que subvertem seus devires originais, hoje decaídos, desvelando as potências latentes de significação contidas na poeira e esquecimento cotidianos. 


O artista fez parte da 30ª Bienal Internacional de São Paulo, “A iminência das poéticas” (2012), e participa regularmente de exposições individuais e coletivas na América Latina e nos Estados Unidos. Atualmente é representado no Brasil pela Casa Triângulo, em Nova Iorque pela Fridman Gallery, em Buenos Aires pela Gachi Pietro e em Cusco pela Vigil Gonzales.  Em 2020, passou a fazer parte do acervo expositivo da Pinacoteca do estado de São Paulo. Ao todo, realizou 20 exposições individuais ao longo de sua carreira. 

Serviço:

Exposição: NINO CAIS | Cada Pessoa Guarda Um Museu Dentro de Si

Local: CAIXA Cultural Salvador

Endereço: CAIXA Cultural Salvador | Rua Carlos Gomes, 57, Centro | Salvador (BA)
Abertura: 05 de dezembro de 2023, às 19h30, com visita guiada com Nino Cais e a curadora Nathalia Lavigne.

Visitação: 05 de dezembro a 04 de fevereiro de 2023.
Horário: terça-feira à domingo, das 9h às 17h30.
Classificação indicativa: Livre 

Entrada gratuita

Atividade Educativa:
DATA: 06 de dezembro de 2023;
HORÁRIO: das 16:30 às 19:00 horas;
TEMA: Metodologia, ressignificação e problematização do uso de arquivos (analógicos ou digitais);
PÚBLICO-ALVO: entre 18 a 70 anos;
MINISTRANTES: Nino Cais (Artista) e Nathalia Lavigne (Curadora).

Foto de Nil Caniné:

Artista fará apresentações com repertório de seu álbum mais recente e clássicos da carreira

CAIXA Cultural Salvador apresenta, nos dias 02 e 03 de dezembro, show de uma das mais premiadas artistas do samba da atualidade: Mart’nália. Nas três apresentações que serão realizadas no teatro do espaço cultural, a artista interpretará repertório de seu álbum mais recente, “Sou Assim Até Mudar”, além de clássicos da carreira. Os ingressos estão disponíveis pela plataforma Sympla e custam entre R$ 15 (meia-entrada) e R$ 30 (inteira).

Acompanhada de sua banda, a cantora e compositora vai performar sucessos como Tocando a VidaNamora ComigoTonga da MirongaOnde anda VocêTava por aí e Estácioholly Estácio. Nos 60 minutos de apresentação, o público poderá conferir a versatilidade da artista, vencedora de dois Grammys Latinos na categoria Melhor Disco de Samba.    

O show de Mart’nália, que passeia com naturalidade por todas as vertentes do samba, contará também com versões para grandes clássicos e pot pourris de diversas canções deste ritmo tipicamente brasileiro. No sábado (02), a apresentação será às 20h, e contará com revezamento de dois intérpretes de Libras. Já no domingo (03), haverá dupla sessão: às 18h e às 20h.

Brenda Guerra

Agenda abre a nova temporada com os projetos aprovados no Programa de Ocupação na sexta-feira (15)

CAIXA Cultural Salvador apresenta nesta sexta-feira (15) e sábado (16) shows de Wado. O evento marca a retomada dos projetos do Programa de Ocupação dos Espaços do banco, que não era realizado há quatro anos, e faz parte de uma programação especial que acontece simultaneamente nos outros seis espaços culturais da CAIXA. Os outros espaços recebem shows de Mart’nália, Tetê Espíndola, Ceumar, 14 Bis, Amaro Freitas e Zé Manoel e Francisco, elHombre.

Wado revisita canções extraídas dos álbuns de sua carreira, num repertório pautado por gêneros brasileiros: do axé ao funk carioca, do samba ao ijexá. Além do passeio por vertentes sonoras distintas, a obra do artista aborda questões sociais, de gênero, raça e culturais diversas.

No palco, juntamente com Dinho Zampier (teclado e vocais) e Rodrigo Peixe (bateria), Wado vai presentear o público com clássicos e novidades de sua autoria, como as faixas Uma Raiz Uma Flor, Tarja Preta/Fafá e Vozes Trans, entre outras. O espetáculo traz também cores de matizes africanas em novas versões para Teta e Martelo de Ogum.

Antes do show, haverá um evento receptivo no Foyer da CAIXA Cultural Salvador, envolvendo música, dança e fotografia. O ambiente contará com projeções de vídeo e intervenções de dança contemporânea feitas pela Cia. de Dança Mayana Magalhães. O figurino das artistas e o próprio espetáculo remeterão a cada uma das linguagens artísticas patrocinadas pela CAIXA. Além disso, cada visitante levará para casa como lembrança, uma foto sua tirada durante a reestreia do Programa de Ocupação.

O Programa de Ocupação dos Espaços da CAIXA Cultural, com inscrições realizadas no início deste ano, vai investir R$ 30 milhões em um total de 171 eventos culturais selecionados dos segmentos teatro, dança, música, cinema, artes visuais e vivências. A seleção pública recebeu o número recorde de 7.727 inscrições.

Os projetos que passam a ocupar as unidades da CAIXA Cultural a partir de 15 de setembro foram anunciados no início de agosto. Até novembro deste ano, devem ser divulgados os projetos que serão patrocinados para ocuparem os espaços entre abril e dezembro do próximo ano.   

Duo + Dois por Marco Flávio

Da singularidade entre os vários achados musicais dos violonistas Fernando Melo e Luiz Bueno, o Duofel e um dos ícones do sopro, Carlos Malta com o percussionista Robertinho Silva, nasceu o o grupo musical Duo + Dois. É esse espetáculo que a CAIXA Cultural Salvador apresentará nos 12 a 14 de setembro (quinta-feira a sábado), com quatro apresentações durante os três dias de evento (no sábado, em dois horários: às 17h e 20h). Um show para se emocionar com clássicos da música popular brasileira e inusitados tratamentos harmônicos e rítmicos do grupo. Além dos shows, o grupo ministrará oficinas gratuitas sobre o uso de instrumentos de sopro, percussão e violões de nylon e 12 cordas. Informações através do (71)3421-4200. Os ingressos serão vendidos a preços populares, a partir das 9h de quinta-feira (12), para todas as apresentações, na bilheteria da própria CAIXA Cultural Salvador, na Rua Carlos Gomes, 57, Centro.

O Duo + Dois se apresenta em Salvador Foto: Marco Flávio

Nas apresentações, o público poderá conferir canções já eternizadas a exemplo do “Canto de Yemanjá” (de Baden Powell e Vinícius de Moraes), e a condução rítmica de “Água de Beber” (Tom Jobim e Vinícius), com a emoção de evanescente versão de “Cais” (Milton Nascimento e Ronaldo Bastos) e a contagiante introdução e improvisos de “Maracangalha” (Dorival Caymmi).

 

 

 

A Caixa Cultural Salvador oferece neste sábado[08], as oficinas Experimentos em pintura: Cor e Gesto e Experimentos em escultura: Corpo e Linha, ambas do Instituto Tomie Ohtake. Gratuitas e abertas a todos os públicos com faixa etária acima de 12 anos, as oficinas visam experimentar técnicas inspiradas nas obras da artista Tomie Ohtake. A atividade de prática experimental em pintura possui 15 vagas e acontece a partir das 11h. Já a prática experimental em escultura acontece à tarde, às 15h, também com 15 vagas. As inscrições estão abertas e podem ser realizadas na recepção da Caixa Cultural Salvador (Rua Carlos Gomes, 57, Centro), que também recebe a exposição Tomie Ohtake – Cor e Corpo até o dia 23.

Utilizando materiais não convencionais para a maioria do público, como pincel japonês, nanquim, caneta de bambu e água, a prática Cor e Gesto vai explorar as principais características das pinturas de Tomie Ohtake: a presença do gesto e o uso de cores fortes e marcantes. Com música ambiente, a atividade acontecerá à meia luz, apenas iluminada por um equipamento que projetará uma pintura feita pelo educador da atividade dentro de uma travessa de água com anilina. A prática irá propor uma desconstrução das pinturas previamente idealizadas pelos participantes, por meio da utilização da água como elemento desestabilizante dessa pintura.

Na atividade Experimentos em escultura: Corpo e Linha, os participantes irão experimentar um pouco do processo criativo das grandes esculturas de Tomie, que a imortalizaram entre umas das maiores artistas abstratas do mundo. Utilizando materiais simples, como papéis e arames, a atividade terá ênfase na produção das esculturas expostas em Tomie Ohtake: Cor e corpo. A proposta é explorar a noção de linha tridimensional em dois momentos, de início utilizando arame para a construção de formas inspiradas nas esculturas da mostra e, posteriormente, por meio de um desenho realizado no espaço através de light painting (técnica de desenho com luz, em que uma câmera fotográfica registra os movimentos feitos com a lanterna).

Tomie Ohtake

As atividades serão conduzidas pelos educadores do Instituto Tomie Ohtake Felipe Tenório e Melina Martinho. Artista educador formado em educação artística pela Faculdades Integradas Coração de Jesus (FAINC) e artes visuais pela Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), Tenório atua no Instituto há seis anos e é coordenador da Equipe de Ação e Pesquisa Educativa. Assistente de coordenação da mesma equipe, Melina Martinho é bacharel em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP) e atua no Instituto desde 2011.

Serviço:
Oficinas Experimentos em pintura: Cor e Gesto e Experimentos em escultura: Corpo e Linha
Data: 8 de abril de 2017 (sábado)
Horário: 11h (Cor e Gesto) e 15h (Cor e Linha)
Local: CAIXA Cultural Salvador (Rua Carlos Gomes, 57, Centro – Salvador)
Realização: Instituto Tomie Ohtake
Inscrições: Gratuitas, no local.
Informações: (71) 3421-4200
Classificação indicativa: 12 anos

 

 

Aláfia

A CAIXA Cultural Salvador apresenta, de 5 a 8 de janeiro de 2017 (quinta-feira a domingo), uma série de shows com a banda paulistana Aláfia. Com um som dançante e engajado, a banda mistura rap, funk, MPB e músicas de terreiro, com um discurso ao mesmo tempo lírico e político sobre a sociedade contemporânea.

Nas apresentações, o grupo Aláfia executará canções do seu primeiro disco, Aláfia (2013), e também do trabalho mais recente, Corpura (2015), que mantém o compromisso da banda com a ancestralidade e as matrizes brasileiras. O público poderá conferir de perto o som da banda, que flerta com a black music carioca dos anos 1970 e o funk estadunidense e africano.

Formado em 2011, com dois discos no mercado e com o lançamento de um novo previsto para março de 2017, o grupo volta a Salvador em meio a uma série de apresentações que tem feito em países da América Latina, como Colômbia, Chile e Uruguai. As apresentações na CAIXA Cultural contarão com a peculiar presença de palco e performances mobilizadoras dos músicos.

O som da banda Aláfia é resultado da união de 12 personalidades diferentes: Eduardo Brechó (voz e guitarra), Jairo Pereira (voz), Xênia França (voz), Lucas Cirillo (gaita), Alysson Bruno (percussão), Pedro Bandera (percussão), Pipo Pegoraro (guitarra), Felipe Gomes (bateria), Gil Duarte (trombone e flauta), Fabio Leandro (teclados), Gabriel Catanzaro (baixo) e Vinícius Chagas (saxofone).

Os ingressos serão vendidos a preços populares, a partir das 9h da quinta-feira (5), para todas as apresentações, na bilheteria da própria CAIXA Cultural Salvador, na Rua Carlos Gomes, 57, Centro.

SERVIÇO:

O QUE:  Aláfia

QUANDO: 5 a 8 de janeiro de 2017/ Horário: às 20h (quinta-feira e sábado) e às 19h (domingo)

ONDE: CAIXA Cultural Salvador – Rua Carlos Gomes, 57, Centro – Salvador (BA)

QUANTO: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

INFORMAÇÕES: (71) 3421-4200

CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: Livre

CONVENIÊNCIA: Estacionamento gratuito ao lado


SA Agência Digital