quinta-feira, 28 outubro 2021
Tags Posts tagged with "BaianaSystem"

BaianaSystem

Dia 17 de setembro é aniversário da cantora e compositora Duda Brack. E ela se deu (e nos deu) o presente de unir BaianaSystem e Ney Matogrosso no seu single, “Ouro lata”. A faixa faz parte do segundo álbum de estúdio da gaúcha intitulado “Caco de vidro”, que chega em outubro através dos selos Matogrosso e Alá com distribuição da Altafonte. Um visualizer criado por Pink & Cérebro em parceria com Máquina de Louco a partir de fotos de Gabriel Castilho acompanha o lançamento.

Composta por Duda, “Ouro lata” foi inspirada no livro AS VEIAS ABERTAS DA  AMÉRICA LATINA – do escritor uruguaio Eduardo Galeano – e incita temas que ela considera urgentes e carentes de diálogo, como a exploração do meio ambiente e a desigualdade social. “Traço um paralelo entre a colonização da América Latina e o neocolonialismo camuflado de democracia, vigente nos dias de hoje. No entanto, o desfecho da canção enaltece a habilidade social e, sobretudo, cultural que o Brasil tem em fazer das latas o ouro, apontando a criatividade não só como forma de resistência política, mas também como caminho para a construção da soberania de uma nação”, explica a cantora.

A produção musical e o arranjo, assinados pelo BaianaSystem, dão contorno ao diálogo entre a ancestralidade e a contemporaneidade que a música propõe transitando pelo funk do morro carioca, o samba, o afrosamba e o ijexá. Nos vocais, a visceralidade do canto de Ney e Duda, ora se fundem, ora se contrapõem, interpretando uma mensagem densa, apesar da ironia travestida de leveza que em alguns momentos se apresenta. Tudo isso num ritmo extremamente envolvente, bem ao estilo do Baiana.

“Eu e Ney já estamos conectados desde o álbum ‘Primavera nos dentes’ (projeto criado por Charles Gavin com canções dos Secos & Molhados, que teve Duda como vocalista) e desde então essa amizade só cresce. Não imaginaria este disco sem ele e como ele tem esse discurso latino americano muito forte e está ligado a questões ambientais, achei que teria tudo a ver. E o Baiana também tem esse discurso latino americano bem potente. Eu sou muito muito fã e a gente vem trocando muitas ideias desde 2018. Daí me ocorreu juntar todo mundo nessa espécie de canto da revolução”, conta Duda.

“Ouro lata” é mesmo um hino contemporâneo. E criado a partir do encontro de artistas de diferentes gerações que se inspiram e se admiram mutuamente. E o resultado promete mexer o corpo e chacoalhar a mente dos ouvintes. “Ficou muito melhor do que eu podia imaginar”, resume Ney.

Japa System e Carlinhos Brown por Luca Castro

Faixa integra primeiro álbum do artista, com lançamento 18 de junho e que ainda traz as participações de BNegão, Larissa Luz e Gabi Guedes

“Sistema Percussivo Integrado” é o nome do disco de estreia do músico e produtor Japa System. Apostando na experimentação de texturas e na percussão híbrida, misturando elementos orgânicos e sintéticos, o artista, que integra o grupo BaianaSystem há seis anos, assina as oito faixas do álbum e reúne, entre outros nomes, Carlinhos Brown, BNegão, Larissa Luz e referências na percussão, como Gabi Guedes (Orkestra Rumpilezz), Mônica Millet (neta de Mãe Menininha do Gantois e uma das primeiras mulheres percussionistas do Brasil) e Marcos Suzano.

O primeiro single, “Tum-Kata-Kruáka”, com a participação de Brown, será lançado no próximo dia 21, junto com um clipe de animação assinado por Pablo Pitombo. O álbum completo chega às principais plataformas de streaming 18 de junho, acompanhado de um curta documental, mostrando um pouco do processo criativo e das raízes da sua música.

Japa e Mônica Millet por Luca Castro

Com influências da Capoeira, Candomblé, Samba Duro e Samba de Roda, o primeiro disco de Japa System junta timbal e atabaque a baldes e frigideiras, sonoridades tiradas de barras de ferro, cascas de árvores, pele e couro de animais, com sintetizadores, samplers e bases eletrônicas. O resultado são três faixas instrumentais – com a tríade percussiva Suzano, Gabi Guedes e Mônica Millet na faixa título – e cinco cantadas, onde Japa divide os vocais com o próprio Brown, além de Larissa Luz (“Gente que vem, povo que vai”, com direito ao colega de Baiana, Robertinho Barreto, na guitarra) e BNegão (“Trindade”).

“No Baiana, eu já dobro as vozes com Russo (Passapusso), então tenho essa intimidade. Mas cantar mesmo é a primeira vez”, explica ele. “Quando eu ouvia as músicas, vinham junto as ideias melódicas e comecei a solfejar. Depois, fui pra caneta, as letras foram nascendo e acabou ficando mais cantado mesmo”.

Gravado nos estúdios da Pracatum, Ilha dos Sapos e Casa das Máquinas, “Sistema Percussivo Integrado” tem produção e direção do próprio Japa em parceria com o companheiro de BaianaSystem, João Meirelles, e masterização e mixagem de Victor Vaughan. O lançamento é pelo selo Candyall Music.

O documentário que acompanha o projeto irá mostrar o processo construtivo do disco e um pouco do porquê da participação dos convidados. O roteiro inclui momentos das gravações e um rolé no Candeal, contando um pouco da trajetória de Japa, os primeiros toques no timbal e os anos de Timbalada (ele integrou o grupo por três anos). Com 23 anos de carreira, o artista já tocou em festivais como o Lollapalooza e Rock in Rio, e rodou Europa e Estados Unidos, além de acumular premiações, como o 28º Prêmio da Música Brasileira (2017) e o Grammy Latino (2019) – ambos ao lado do BaianaSystem.

“Sistema Percussivo Integrado” tem apoio financeiro do Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura e da Fundação Pedro Calmon (Programa Aldir Blanc Bahia), via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

BaianaSystem 📸 Edvan Ferreira

Imagine passar a virada do ano com o pé na areia, gente astral, gastronomia típica baiana, e ainda um line up de primeira no maior paraíso do Brasil?

O Réveillon N1 é isso e muito mais! Itacaré, cidade no litoral sul da Bahia, já foi por diversas vezes considerada uma das praias mais bonitas do mundo, será agora cenário da melhor virada de ano do estado.

Ivete Sangalo por Rafa Mattei

Local ideal para práticas esportivas como surf, stand up padle, vôlei, futvôlei, passear de bike, mergulhar e ainda curtir todo o visual desse destino que receberá durante cinco dias de festas noturnas e diurnas, mais de 30 atrações musicais.

O evento acontece de 28 de dezembro até 2 de janeiro, e é assinado pelos mesmos criadores do Camarote N1, o melhor da Sapucaí no Carnaval do Rio de Janeiro.

 

A musa Ivete Sangalo, o sertanejo pop da dupla Jorge & Mateus, o funk de Kevinho, o agito da turma que curte a festa Onda, as batidas únicas da BaianaSystem com a sua guitarra Baiana fundida com os beats modernos da música eletrônica, Sunroi, DJ Aline Rocha, Blackout, Zeh Pretim, Dre Guazelli, Durval Lelys e muito mais.

Siga @reveillon.n1 no Instagram pra saber de tudo que irá acontecer!

O BaianaSystem é uma das atrações mais esperadas do festival (foto divulgação)

O já bem falado FITA, 1º festival de música e poesia, realizado nos dias 27, 28 e 29 de outubro, na ilha de   Itaparica, foi lançado na  manhã de ontem (terça, 19), no Casarão Del Rei.  Jornalistas, parceiros, artistas e representantes locais participaram da coletiva de imprensa, que contou com a presença da  prefeita do município, Marlylda Barbuda. Com a apresentação ficou a certeza de que esse evento, que nasce para unir a música, a arte e a poesia, além de fomentar a cultura e turismo do local, vai levar alegria e vida para a comunidade. Com público estimado em 30 mil pessoas, o FITA, chega para ser um marco na história de Itaparica.

Coletiva de imprensa do FITA

A programação musical é o chamariz para o festival, que conta com shows do  Zeca Baleiro, BaianaSystem, Mariene de Castro, Lirinha, Bule Bule e Lazzo Matumbi. Mas a valorização dos artistas locais tem destaque no projeto e muitos deles terão a oportunidade de mostrar seu potencial, como foi dito por Yulo Cezzar, o idealizador do festival. Além dos shows divididos em dois palcos, serão realizadas atividades artísticas, esportivas e culturais. Durante o evento, serão realizadas oficinas de literatura e música, promovendo o conhecimento, a leitura e a troca de experiências entre o artista participante e a comunidade local e/ou turística. Uma palestra com o título de “Viva o Povo Brasileiro”, será ministrada por Antônio Risério. A Fundação Pedro Calmon levará um ônibus biblioteca para o festival.

A banda Alibal Conspiracy é uma das atrações locais do FITA -(Foto Divulgação)

Paralela à programação artística, uma feira gastronômica, que oferecerá ao público a oportunidade de experimentar a culinária local.

O acesso a toda a programação será gratuito.

O FITA é uma realização da Prefeitura Municipal de Itaparica.

 

Confiram a programação do FITA:

27/10 (sexta-feira) – Abertura do Festival

14h00 – Oficina Literária e Oficina Musical

15h00 – Palestra “Viva o Povo Brasileiro”, com Antônio Risério

17h00 – Fanfarra, Artistas de Rua, Cordel

18h30 – Karina Rabinovitz e Silvana Rezende – Poesia BA

19h15 – Banda Plano Inclinado – Part. Alex Mesquita – BA

20h00 – Abertura Oficial – Jorge Portugal / Os Guaranys

20h45 – Bule Bule – Poesia Cordel BA

21h30 – Baba de Moça – BA

22h15 – Lazzo Matumbi – BA

23h30 – Mariene de Castro – BA/RJ

28/10 (sábado)

17h00 – Fanfarra, Artistas de Rua, Sussurros Poéticos, Cordel

18h30 – Gregório Gomes e Regina Carvalho – Poesia BA

19h15 – Henrique Moura – BA

20h00 – Nanda Ribeiro e Os Caras Lá de Cima – BA

20h45 – Andréia Pradho e Banda – BA

21h30 – Lirinha e Convidada – Poesia musical RJ

23h00 – Zeca Baleiro – MA

29/10 (domingo) – Encerramento do Festival

17h00 – Fanfarra, Artistas de Rua, Cordel

18h30 – Daniel e Danilo – Poesia BA

19h15 – Eduardo Montanha e Banda – BA

20h00 – Banda Alibal Conspiracy – BA

20h45 – Sarau do Poeta, com Jackson Costa, Música e Poesia BA

22h00 – BaianaSystem – BA

 

SERVIÇO

FITA – I FESTIVAL DE ITAPARICA (MÚSICA E POESIA)

DATA: 27, 28 e 29 de outubro

LOCAL: Praça Jardim dos Namorados (Ilha de Itaparica)

HORARIO: a partir das 17 horas

ABERTO AO PÚBLICO

 

 

Rincon Sapiência

A energia que conquistou o Brasil com uma belíssima apresentação no Prêmio da Música Brasileira, será repetida na Audio em Sampa com o som da banda BaianaSystem e uma galera de primeira mandando suas rimas com letras fortes e conscientes.

Russo Passapusso  levará a malemolência da musicalidade percussiva e rítmica de uma dos grupos de maior crescimento na cena musical no pais. Na agenda de shows, destaque para o dia 22 de novembro no Rock in Rio, da banda que carrega em seu DNA, influências carnavalescas e africanas com muita propriedade e ousadia,  além do vigor do ragga e do dancehall em sua potente mistura

Se liga paulistana, que esse final de semana, no sábado(29) a partir das  vai rolar sonzeira com esses caras do grave e com groove garantido na Audio ao lado do MC Rincon Sapiência e Dj Kefing.

“Meu bloco”, “A Coisa Ta Preta”, “Ponta de Lança (Verso Livre)”,  são algumas das composições de Rincon Sapiência que acabou de lançar o seu primeiro álbum “Galanga Livre”, disco inspirado no conto fictício do escritor Danilo Ambrosia, que conta a história do escravo Galanga que gerou uma grande reviravolta no engenho, a partir do momento em que o mesmo cometeu um crime bárbaro.

Galanga Livre” exalta sonoridades das raízes africanas, combinadas com letras que abordam a consciência e a valorização da afrodescendência no Brasil contemporâneo. Os ingressos estão a venda na bilheteria da Audio e no site e app #Ticket360 no instagram @ticket360.

 

 

O maior evento musical do Brasil, o Rock in Rio chega a mais uma edição após 32 anos com mais de 8,5 milhões de expectadores e com atrações que são ícones pelo estilo, originalidade e autenticidade inventiva.

O palco mundo trará nomes como
Red Hot Chili Peppers, Guns N’ Rose The Who, Lady Gaga, Maroon 5, Fergie, Ivete Sangalo, Justin Timberlake, Alicia Keys, Frejat, Aerosmith, Bon Jovi e muitos outros monstros.

Mas será no palco Sunset que parcerias internacionais serão apresentadas. Vai rolar homenagem ao músico acreano João Donato na apresentação das cantoras Mariana Aydar, Tiê, Emanuelle Araujo e Lucy Alves, além do encontro da BaianaSystem com a cantora transexual angolana Titica.

Titica é famosa pelo hit “Procura o Brinco” que ganhou versão em vários ritmos musicais, sendo um dos nomes de maior força no país africano de luta contra o preconceito e liberdade sexual, tendo o kuduro como base sonora.

Nascida em Luanda em 1986, Teca Miguel Garcia, conhecida mundialmente como Titica é a recém contrata pelo selo Step Music dos produtores Karina Barbosa e Kayaya Junior, elogiada por Bjork, teve seu boom com o
Hit ” Chão”, realizando shows na Inglaterra, Portugal e algumas vezes no Brasil.

Titica com Seko Bass, Roberto Barreto e Russo Passapusso do BaianaSystem

Ser uma figura pública e transexual na Angola não é tarefa fácil, até hoje a homossexualidade é considera como ato imoral previsto pela legislação do país.

No mesmo palco, o grupo formado por jovens e adolescentes do Nordeste de Amaralina em Salvador, criado pelo músico, integrante do Stomp, Marivaldo dos Santos, Quabales, estreia no evento recebendo a cantora Margareth Menezes como convidada.

O Rock in Rio acontecerá em dois finais de semana nos dias 15,16 e 17 e ainda 21, 22, 23 e 24 de setembro.

Todo line up do evento no site oficial e no Instagram @rockinrio.

A banda BayanaSystem e o cantor Pedro Pondé são as atrações do Armazém Hall, em Vilas do Atlântico, no dia 15 de julho.

Dois grandes expoentes da música baiana, o grupo liderado por Russo Passapusso e o ex-vocalista da Scambo animam o público a partir das 22h.

Misturando hip-hop, samba do recôncavo, reggae, arrocha e os graves do sound system jamaicano, a Baiana System produz uma sonoridade única, que atrai fãs por onde passa. No repertório, sucessos como ‘Playssom’, ‘Terapia’, ‘Lucro’, ‘Duas Cidades’ e ‘Jah Jah Revolta’.

Já Pondé apresenta seu trabalho solo, com claras influências de MPB, rock, reggae e dub. O setlist do novo show conta a trajetória do artista, com composições próprias – ‘Depois de Ver’, ‘Amor de Graça’, ‘Sua Mulher’, ‘Meu Bem’, entre outras – e versões de clássicos que ficaram marcadas em sua voz – ‘Tigresa’ (Caetano Veloso), ‘Carcará’ (João do Vale e José Cândido), ‘Geni e o Zepelim’ (Chico Buarque) e ‘Ocê i eu’ (Gonzaguinha).

Os ingressos do primeiro lote custam entre R$ 30 e R$ 70 e estão à venda na casa de shows, no SAFE e nos balcões dos shoppings.

SERVIÇO

O QUE: BaianaSystem e Pedro Pondé

QUANDO: 15 de julho a partir das 22h

ONDE: Armazém Hall – Avenida Luiz Tarquínio, 2893 – Villas do Atlântico

QUANTO: R$ 30 (pista), R$ 50 (área VIP) e R$ 70 (camarote) – 1º lote

INFORMAÇÕES: 71 3379-5360

 

Cartaxo

Uma composição de Russo PassaPusso, Roberto Barreto, SekoBass e Filipe Cartaxo, o single inédito Invisível do BaianaSystem foi apresentado no último dia 01 de fevereiro no clip dirigido por Jonga Oliveira e Cartaxo, tendo no elenco o cantor BNegão, amigo de longas datas do grupo.

“Criamos um mundo particular para nos proteger do visível“, assim é feita a descrição do vídeo no canal do youtube do BS, que já ultrapassa 50 mil visualizações em menos de 10 dias de sua publicação na rede.

Não é apenas um novo single. É mais um assunto, do que um clipe ou uma música, é um questionamento. É algo que está dentro da gente, como a sensibilidade” comentou ao Site UR, o vocalista do Baiana, o cantor Russo, que continuou: ” A ideia do clipe veio do processo de continuidade que o Baiana já tem nas músicas -as outras músicas chamam outros assuntos, existe continuidade e pontos de vista variados pros temas abordados – assim acontece no álbum Duas Cidades com Jah Jah Parte,  Barra Avenida Parte 2 e outras. Isso é uma escola das nossas grandes influências, o samba reggae e Sound System” completou o Passapusso.

O novo trabalho que surge após quase um ano do lançamento do disco “Duas Cidade”, traz a tona uma provocação para ser ouvida, vista e sentida em 3’15” de um samba-reggae digital onde a ideia central é falar sobre o ver e o não ver num mundo de infinitas possibilidades.

Invisível foi gravada em Salvador no estúdio Casa das Máquinas e mixada em São Paulo nos estúdios da Red Bull, como um projeto especial junto com a instrumental “Forasteiro”, que contou com a produção do BaianaSystem, do produtor Mahal Pita.

 O videoclipe é uma realização da Máquina de Louco e vem na sequência de “Playsom”: trabalho audiovisual de 2015, produzido e dirigido pelo responsável pela parte visual do grupo, Filipe Cartaxo que também assina o roteiro de Invisível, ao lado de Filipe Bezerra.

 

Em tempos, o Baiana marcará presença no Carnaval de Salvador a começar pelo Pré-Furdunço, dia 19 no Circuito Orlando Tapajós(Ondina- Barra). No Circuito Osmar(Campo Grande), com o Furdunço dia 24 de fevereiro e dia 26 na Praça Castro Alves realizando um pôr-do sol fervente. E para encerrar a segunda(27) de Carnaval, o Baiana será o último da fila de trios, levando a #Pipoca ao delírio no Circuito Dodô(Barra-Ondina).


SA Agência Digital