sexta-feira, 19 abril 2024
Bombar
Tags Posts tagged with "BaianaSystem"

BaianaSystem

“´Presente´ traz uma mensagem que sensibiliza e busca a compreensão das coisas que realmente importam pra nossas vidas, depois de tempos tão difíceis de pandemia. O fato de ser lançada nesse carnaval é fundamental para que não esquecermos do que passou, pra lembramos que o sentimento que rege todas as celebrações é o amor”, diz Russo Passapusso.

“Depois de um ano trabalhando no nosso álbum ´Pra gente acordar´, este single traz muito significado. O Baiana é uma potência atual que traz toda ancestralidade da música da Bahia, assim como nós. Eles são de grande inspiração e este encontro foi muito especial, genuíno e que nasceu no Ensaio do Cortejo Afro. Não tinha como dar errado”, afirma Fran Gil.

“E ainda temos a sorte de ter o Tropikilazz, que sintetiza perfeitamente a mescla de gêneros que nosso grupo tanto gosta”, completa José Gil.

foto divulgação

Atração mais aguardada do domingo, no Carnaval da Bahia, a BaianaSystem apareceu no Campo Grande ao cair da tarde. Patrocinada pelo Governo do Estado, por meio da Sufotur (Superintendência de Fomento ao Turismo), a banda baiana badalada entre os modernos trouxe seus maiores sucessos e arrastou uma multidão pela Avenida.

Saci, Sulamericano, Lucro (Descomprimindo) e Capim Guiné estiveram entre os hits mais tocados. Do alto do Navio Pirata, o famoso trio da Baiana, Russo Passapusso orquestrava a multidão, que não parava de cantar com ele. A palavra de ordem do vocalista: ‘Respeito’, sobretudo às mulheres e às crianças. O domingo de carnaval, dia 19, no Circuito Osmar trouxe ainda Thiago Aquino e Jau.

Thiago, cantor da nova geração do arrocha baiano, voltou a apresentar seus mais prestigiados sucessos. Ex-Olodum, autor de hinos do carnaval, como Canto ao Pescador, Jau  colocou o público para dançar ao som de sucessos como É d’Oxum, Sandália de Couro e Amar é Bom. No Circuito Dodô (Barra-Ondina), desfilaram Seu Maxixe, tocando músicas como Canudinho, Toca um Arrocha Aí e Garrafa Pet, Guga Meyra, Aila Menezes, Tayrone, Lucas e Mr. Armengue.

Pelourinho e Paripe – No Largo do Pelourinho teve Gabi Lins, Juliana Ribeiro e Nelson Rufino. No Quincas, apresentaram-se Espelhart, Rick Dpater, Aloísio Menezes, Banda Pagodão, União do Gueto e Dammys. O largo Tereza Batista recebeu Afro Jhow, Marcio Mello, Carlos Pitta, Pablo Moraes e Marcos Carvalho (projeto Eu Sambo Mesmo). No Pedro Arcanjo teve Fred Dantas, Nara Couto, Dom Chicla, Diego Moraes, Mãeana e Genard.

Tio Paulinho e Lilica Rocha comandaram o baile infantil da Praça das Artes. Passaram pelas ruas do Pelô, Apaxe, Samborim, Edd Bala com sua Fanfarra Mágica, Batida do Pelô, Samba e Folia, além de Folia de Erê, Oficina de Sons, Cia de Danças e Folguedos, Gente de Teatro da Bahia e Filó Brincante. Também os microtrios Marana e Garampiola e os nanotrios Rixô Elétrico e Rural Elétrica.

Em Paripe, Val Macambira, Nivia Mafuany, Chica Fé e Pali Fem animaram os foliões do subúrbio.

Vai começar o Circuito Musical Verão 22! No próximo dia 08 de janeiro, sábado, a partir das 18h, os portões do Espaço Marés do Centro de Convenções de Salvador serãoabertos para a realização dos primeiros três shows doevento que irá marcar o verão da capital baiana, com espetáculos de grandes nomes da música brasileira.

Oferecendo uma estrutura composta por Praça Gourmet, Espaço Instagramável, Pista, Lounge VIP, Lounge Gramae Torre do Dj, além do grande palco onde acontecerão os shows, o Circuito Musical Verão 22 realiza em sua primeira noite as apresentações da talentosa baiana Thathi, que criou a música tema do Circuito Musical Verão 22 – “Quando o Verão Chegar”, da dupla folk-pop brasileira duo AnaVitória, vencedora no Brasil na edição 2021 do Grammy Latino e de Nando Reis, que resgata seus 40 anos de carreira na turnê “Nando Hits”. E entre um show e outro a festa não para com o DJ Telefunksoul.

A realização é da G11 Eventos, grupo formado por 11 das principais empresas do setor de produção cultural da Bahia – Allcance Produções, Carambola Produções, Gabiroba Cultural, Íris Produções, Marlúcia Sie Produções, Pau Viola Entretenimento, Sole Produções, Tapis Rouge, Trevo Produções, Join Produções Culturais e Entretenimento e Valdir Andrade Produções e Eventos.

No dia 15 sobem ao palco Larissa Luz, Pitty e Baiana System; e no dia 22 Titãs e Jota Quest.

Todos os protocolos de segurança serão seguidos e será exigido o comprovante de imunização.

Foto Alexandre Loureiro 

Dia 17 de setembro é aniversário da cantora e compositora Duda Brack. E ela se deu (e nos deu) o presente de unir BaianaSystem e Ney Matogrosso no seu single, “Ouro lata”. A faixa faz parte do segundo álbum de estúdio da gaúcha intitulado “Caco de vidro”, que chega em outubro através dos selos Matogrosso e Alá com distribuição da Altafonte. Um visualizer criado por Pink & Cérebro em parceria com Máquina de Louco a partir de fotos de Gabriel Castilho acompanha o lançamento.

Composta por Duda, “Ouro lata” foi inspirada no livro AS VEIAS ABERTAS DA  AMÉRICA LATINA – do escritor uruguaio Eduardo Galeano – e incita temas que ela considera urgentes e carentes de diálogo, como a exploração do meio ambiente e a desigualdade social. “Traço um paralelo entre a colonização da América Latina e o neocolonialismo camuflado de democracia, vigente nos dias de hoje. No entanto, o desfecho da canção enaltece a habilidade social e, sobretudo, cultural que o Brasil tem em fazer das latas o ouro, apontando a criatividade não só como forma de resistência política, mas também como caminho para a construção da soberania de uma nação”, explica a cantora.

A produção musical e o arranjo, assinados pelo BaianaSystem, dão contorno ao diálogo entre a ancestralidade e a contemporaneidade que a música propõe transitando pelo funk do morro carioca, o samba, o afrosamba e o ijexá. Nos vocais, a visceralidade do canto de Ney e Duda, ora se fundem, ora se contrapõem, interpretando uma mensagem densa, apesar da ironia travestida de leveza que em alguns momentos se apresenta. Tudo isso num ritmo extremamente envolvente, bem ao estilo do Baiana.

“Eu e Ney já estamos conectados desde o álbum ‘Primavera nos dentes’ (projeto criado por Charles Gavin com canções dos Secos & Molhados, que teve Duda como vocalista) e desde então essa amizade só cresce. Não imaginaria este disco sem ele e como ele tem esse discurso latino americano muito forte e está ligado a questões ambientais, achei que teria tudo a ver. E o Baiana também tem esse discurso latino americano bem potente. Eu sou muito muito fã e a gente vem trocando muitas ideias desde 2018. Daí me ocorreu juntar todo mundo nessa espécie de canto da revolução”, conta Duda.

“Ouro lata” é mesmo um hino contemporâneo. E criado a partir do encontro de artistas de diferentes gerações que se inspiram e se admiram mutuamente. E o resultado promete mexer o corpo e chacoalhar a mente dos ouvintes. “Ficou muito melhor do que eu podia imaginar”, resume Ney.

Japa System e Carlinhos Brown por Luca Castro

Faixa integra primeiro álbum do artista, com lançamento 18 de junho e que ainda traz as participações de BNegão, Larissa Luz e Gabi Guedes

“Sistema Percussivo Integrado” é o nome do disco de estreia do músico e produtor Japa System. Apostando na experimentação de texturas e na percussão híbrida, misturando elementos orgânicos e sintéticos, o artista, que integra o grupo BaianaSystem há seis anos, assina as oito faixas do álbum e reúne, entre outros nomes, Carlinhos Brown, BNegão, Larissa Luz e referências na percussão, como Gabi Guedes (Orkestra Rumpilezz), Mônica Millet (neta de Mãe Menininha do Gantois e uma das primeiras mulheres percussionistas do Brasil) e Marcos Suzano.

O primeiro single, “Tum-Kata-Kruáka”, com a participação de Brown, será lançado no próximo dia 21, junto com um clipe de animação assinado por Pablo Pitombo. O álbum completo chega às principais plataformas de streaming 18 de junho, acompanhado de um curta documental, mostrando um pouco do processo criativo e das raízes da sua música.

Japa e Mônica Millet por Luca Castro

Com influências da Capoeira, Candomblé, Samba Duro e Samba de Roda, o primeiro disco de Japa System junta timbal e atabaque a baldes e frigideiras, sonoridades tiradas de barras de ferro, cascas de árvores, pele e couro de animais, com sintetizadores, samplers e bases eletrônicas. O resultado são três faixas instrumentais – com a tríade percussiva Suzano, Gabi Guedes e Mônica Millet na faixa título – e cinco cantadas, onde Japa divide os vocais com o próprio Brown, além de Larissa Luz (“Gente que vem, povo que vai”, com direito ao colega de Baiana, Robertinho Barreto, na guitarra) e BNegão (“Trindade”).

“No Baiana, eu já dobro as vozes com Russo (Passapusso), então tenho essa intimidade. Mas cantar mesmo é a primeira vez”, explica ele. “Quando eu ouvia as músicas, vinham junto as ideias melódicas e comecei a solfejar. Depois, fui pra caneta, as letras foram nascendo e acabou ficando mais cantado mesmo”.

Gravado nos estúdios da Pracatum, Ilha dos Sapos e Casa das Máquinas, “Sistema Percussivo Integrado” tem produção e direção do próprio Japa em parceria com o companheiro de BaianaSystem, João Meirelles, e masterização e mixagem de Victor Vaughan. O lançamento é pelo selo Candyall Music.

O documentário que acompanha o projeto irá mostrar o processo construtivo do disco e um pouco do porquê da participação dos convidados. O roteiro inclui momentos das gravações e um rolé no Candeal, contando um pouco da trajetória de Japa, os primeiros toques no timbal e os anos de Timbalada (ele integrou o grupo por três anos). Com 23 anos de carreira, o artista já tocou em festivais como o Lollapalooza e Rock in Rio, e rodou Europa e Estados Unidos, além de acumular premiações, como o 28º Prêmio da Música Brasileira (2017) e o Grammy Latino (2019) – ambos ao lado do BaianaSystem.

“Sistema Percussivo Integrado” tem apoio financeiro do Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura e da Fundação Pedro Calmon (Programa Aldir Blanc Bahia), via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

BaianaSystem 📸 Edvan Ferreira

Imagine passar a virada do ano com o pé na areia, gente astral, gastronomia típica baiana, e ainda um line up de primeira no maior paraíso do Brasil?

O Réveillon N1 é isso e muito mais! Itacaré, cidade no litoral sul da Bahia, já foi por diversas vezes considerada uma das praias mais bonitas do mundo, será agora cenário da melhor virada de ano do estado.

Ivete Sangalo por Rafa Mattei

Local ideal para práticas esportivas como surf, stand up padle, vôlei, futvôlei, passear de bike, mergulhar e ainda curtir todo o visual desse destino que receberá durante cinco dias de festas noturnas e diurnas, mais de 30 atrações musicais.

O evento acontece de 28 de dezembro até 2 de janeiro, e é assinado pelos mesmos criadores do Camarote N1, o melhor da Sapucaí no Carnaval do Rio de Janeiro.

 

A musa Ivete Sangalo, o sertanejo pop da dupla Jorge & Mateus, o funk de Kevinho, o agito da turma que curte a festa Onda, as batidas únicas da BaianaSystem com a sua guitarra Baiana fundida com os beats modernos da música eletrônica, Sunroi, DJ Aline Rocha, Blackout, Zeh Pretim, Dre Guazelli, Durval Lelys e muito mais.

Siga @reveillon.n1 no Instagram pra saber de tudo que irá acontecer!

O BaianaSystem é uma das atrações mais esperadas do festival (foto divulgação)

O já bem falado FITA, 1º festival de música e poesia, realizado nos dias 27, 28 e 29 de outubro, na ilha de   Itaparica, foi lançado na  manhã de ontem (terça, 19), no Casarão Del Rei.  Jornalistas, parceiros, artistas e representantes locais participaram da coletiva de imprensa, que contou com a presença da  prefeita do município, Marlylda Barbuda. Com a apresentação ficou a certeza de que esse evento, que nasce para unir a música, a arte e a poesia, além de fomentar a cultura e turismo do local, vai levar alegria e vida para a comunidade. Com público estimado em 30 mil pessoas, o FITA, chega para ser um marco na história de Itaparica.

Coletiva de imprensa do FITA

A programação musical é o chamariz para o festival, que conta com shows do  Zeca Baleiro, BaianaSystem, Mariene de Castro, Lirinha, Bule Bule e Lazzo Matumbi. Mas a valorização dos artistas locais tem destaque no projeto e muitos deles terão a oportunidade de mostrar seu potencial, como foi dito por Yulo Cezzar, o idealizador do festival. Além dos shows divididos em dois palcos, serão realizadas atividades artísticas, esportivas e culturais. Durante o evento, serão realizadas oficinas de literatura e música, promovendo o conhecimento, a leitura e a troca de experiências entre o artista participante e a comunidade local e/ou turística. Uma palestra com o título de “Viva o Povo Brasileiro”, será ministrada por Antônio Risério. A Fundação Pedro Calmon levará um ônibus biblioteca para o festival.

A banda Alibal Conspiracy é uma das atrações locais do FITA -(Foto Divulgação)

Paralela à programação artística, uma feira gastronômica, que oferecerá ao público a oportunidade de experimentar a culinária local.

O acesso a toda a programação será gratuito.

O FITA é uma realização da Prefeitura Municipal de Itaparica.

 

Confiram a programação do FITA:

27/10 (sexta-feira) – Abertura do Festival

14h00 – Oficina Literária e Oficina Musical

15h00 – Palestra “Viva o Povo Brasileiro”, com Antônio Risério

17h00 – Fanfarra, Artistas de Rua, Cordel

18h30 – Karina Rabinovitz e Silvana Rezende – Poesia BA

19h15 – Banda Plano Inclinado – Part. Alex Mesquita – BA

20h00 – Abertura Oficial – Jorge Portugal / Os Guaranys

20h45 – Bule Bule – Poesia Cordel BA

21h30 – Baba de Moça – BA

22h15 – Lazzo Matumbi – BA

23h30 – Mariene de Castro – BA/RJ

28/10 (sábado)

17h00 – Fanfarra, Artistas de Rua, Sussurros Poéticos, Cordel

18h30 – Gregório Gomes e Regina Carvalho – Poesia BA

19h15 – Henrique Moura – BA

20h00 – Nanda Ribeiro e Os Caras Lá de Cima – BA

20h45 – Andréia Pradho e Banda – BA

21h30 – Lirinha e Convidada – Poesia musical RJ

23h00 – Zeca Baleiro – MA

29/10 (domingo) – Encerramento do Festival

17h00 – Fanfarra, Artistas de Rua, Cordel

18h30 – Daniel e Danilo – Poesia BA

19h15 – Eduardo Montanha e Banda – BA

20h00 – Banda Alibal Conspiracy – BA

20h45 – Sarau do Poeta, com Jackson Costa, Música e Poesia BA

22h00 – BaianaSystem – BA

 

SERVIÇO

FITA – I FESTIVAL DE ITAPARICA (MÚSICA E POESIA)

DATA: 27, 28 e 29 de outubro

LOCAL: Praça Jardim dos Namorados (Ilha de Itaparica)

HORARIO: a partir das 17 horas

ABERTO AO PÚBLICO

 

 

Rincon Sapiência

A energia que conquistou o Brasil com uma belíssima apresentação no Prêmio da Música Brasileira, será repetida na Audio em Sampa com o som da banda BaianaSystem e uma galera de primeira mandando suas rimas com letras fortes e conscientes.

Russo Passapusso  levará a malemolência da musicalidade percussiva e rítmica de uma dos grupos de maior crescimento na cena musical no pais. Na agenda de shows, destaque para o dia 22 de novembro no Rock in Rio, da banda que carrega em seu DNA, influências carnavalescas e africanas com muita propriedade e ousadia,  além do vigor do ragga e do dancehall em sua potente mistura

Se liga paulistana, que esse final de semana, no sábado(29) a partir das  vai rolar sonzeira com esses caras do grave e com groove garantido na Audio ao lado do MC Rincon Sapiência e Dj Kefing.

“Meu bloco”, “A Coisa Ta Preta”, “Ponta de Lança (Verso Livre)”,  são algumas das composições de Rincon Sapiência que acabou de lançar o seu primeiro álbum “Galanga Livre”, disco inspirado no conto fictício do escritor Danilo Ambrosia, que conta a história do escravo Galanga que gerou uma grande reviravolta no engenho, a partir do momento em que o mesmo cometeu um crime bárbaro.

Galanga Livre” exalta sonoridades das raízes africanas, combinadas com letras que abordam a consciência e a valorização da afrodescendência no Brasil contemporâneo. Os ingressos estão a venda na bilheteria da Audio e no site e app #Ticket360 no instagram @ticket360.

 

 


SA Agência Digital