“Bendito sou entre as mulheres”, se diverte o baiano Val Perré, na...

“Bendito sou entre as mulheres”, se diverte o baiano Val Perré, na novela Babilônia

Foto: Reprodução

Quando um ator participa de um teste ele dá tudo de si na perspectiva de conseguir o papel. No caminho, o desafio de se mostrar mais bem preparado do que os outros colegas que concorrem ao personagem. Ao final, quando o resultado é positivo a sensação de dever cumprido é indescritível. Foi assim com o baiano Val Perré, quando recebeu a ligação do produtor de elenco da novela Babilônia, da Rede Globo. Com quase duas décadas de carreira e muitos trabalhos no currículo, ele estava gravando um vídeo institucional numa produtora, quando o celular tocou com a boa notícia. Por telefone, do Rio de Janeiro, cidade que reside desde 2007, ele conversou com o SiteUR e falou um pouco do novo trabalho.

Foto: Divulgação/Felipe O'Neill
Foto: Felipe O’Neill/Divulgação

As cenas no primeiro capítulo do folhetim das 21 horas exibidas na segunda (16) que renderam comentários elogiosos ao seu personagem, teve direito a uma sequência de sexo e nudez com a ninfomaníaca Beatriz, vivida pela atriz Glória Pires. “O Cristóvão aparece e morre no primeiro capítulo. Ele dá seu recado e sai de cena. No entanto, é uma ausência presença, porque será lembrado sempre. Ele é o elo entre as três principais personagens da novela”, explica orgulhoso, ao falar da atuação ao lado das amantes Beatriz (Glória Pires) e Inês (Cláudia Abreu) e da filha Regina Rocha (Camila Pitanga). “Bendito sou entre as mulheres”, se diverte.

É a partir da morte de Cristóvão que se inicia o primeiro conflito na novela. Na trama de Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga, o motorista é assassinado por Beatriz. Para ele, o trabalho teve um gostinho pra lá de especial. “Trabalhar com grandes estrelas da televisão é como jogar bola com Pelé. É muito fácil. Mas a gente não pode deixar de lado a dedicação, empenho e o amor à arte”, completa.

 

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Os olhos mais atentos vão lembrar-se do ator em outros trabalhos na TV. No ano passado interpretou um segurança sedutor em “O Rebu”, também protagonizando cenas quentes com Vera Holtz. O ator também fez participação em “Insensato Coração” (2011), “Ti Ti Ti” (2011), “O Relógio da Aventura” (2011), “Viver a vida” (2009/2010), “Amazônia de Galvez a Chico Mendes” (2006), “Desejo proibido” (2008), “Força Tarefa” (2008/2009), “Faça sua História” (2008) e “Guerra e Paz”, todos pela TV Globo.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Nos palcos baianos Perré coleciona trabalhos significativos, desde a época do Curso Livre de Teatro na Universidade Federal da Bahia. Atuou em “O Cortiço” (2011), “Ogum Deus e Homem” (2010), “O Baile” (2009), “O Beijo no Asfalto” (2003), “Eqquus” (1997), “O sonho” (1996), dentre outros e fala com saudade desses trabalhos. “Ogum foi um espetáculo em que eu tive um imenso prazer em participar. Lotávamos o teatro Martim Gonçalves três horas antes do início do espetáculo. Foi uma temporada sensacional e espero voltar com essa peça”, comemora.

 

O ator no espetáculo "Ogum Deus e Homem". Foto: Divulgação
O ator no espetáculo “Ogum Deus e Homem”. Foto: Vitor Villar/Divulgação

Mas antes de comemorar tantos trabalhos a dificuldade foi grande até se firmar no Rio de Janeiro. A distância dos filhos baianos, Tássio (18) e Yuri (15), era amenizada pela presença da filha carioca, Júlia (09). A ajuda da amiga e atriz Neuza Borges também foi essencial. “Quando decidi morar no Rio a Neusa me acolheu no apartamento dela por um tempo. Sou muito grato”, comenta. Perré cita, ainda, alguns profissionais que foram importantes na sua carreira como os professores Celso Júnior e Paulo Cunha, Meran Vargens, Iami Rebouças e as diretoras Fernanda Júlia e Carmen Paternostro, entre outros. Se tudo der certo nos planos do ator, já, já vamos vê-lo na telona e num voo solo no palco.